Pin It button on image hover

domingo, abril 28, 2019

Os Perfumes de Frida Kahlo



Como somos curiosos com as preferências, hábitos e escolhas das pessoas especiais, que conquistam admiração pública!
Se unirmos duas artes, pintura e perfumaria...curiosidade total!
Frida Kahlo (1907 - 1954) foi uma pessoa fascinante, dotada de luz, beleza própria, e artista inovadora.
Padeceu de muitos males. Além dos que me parecem suportáveis.


Poliomielite na infância, um acidente terrível aos 18 anos, que comprometeu sua saúde durante toda vida. O romance tumultuado com o pintor Diego Rivera, eterno companheiro. Alguns casos amorosos incluindo Leon Trotsky, o revolucionário russo exilado.
Enfrentou 30 cirurgias e 2 abortos...
A história nos mostra uma mulher vibrante, corajosa, combativa, colorida, talentosa e fashion. Lançou moda, padrões de beleza, e provavelmente era  tão vaidosa como a maioria das mortais, além de determinada em impor seus próprios ideais estéticos.


Esta pretensão de feminina frivolidade é atestada pelos 300 vestidos encontrados na Casa Azul, hoje Museu Frida Kahlo, no México.
Além disto guardava suas tintas em frascos de perfume!
Deduzo que teve muitas fragrâncias,  parte do seu cotidiano, tão diversas quanto o colorido das telas que pintava.
Vivia uma relação muito particular com as cores. Verdes, azuis, amarelos, marrons e pretos  representavam suas dores, medos, alegrias, amores e mistérios.
E os cheiros? Teriam especial significado?


La Casa Azul foi  residência de seus pais, e sua morada com Diego Rivera. Nela dois quartos permaneceram trancados durante 50 anos após sua morte.
Polêmica cápsula do tempo!


Encerravam (*)  entre outros objetos frascos de perfume, atualmente vistos na exposição “Frida Kahlo: Aparições podem ser enganosas” no Museu do Brooklyn.
Cinco perfumes: Jean-Marie Farina de R.Gallet(1806); Chanel Nº5 de Chanel(1921); Shocking de Schiaparelli (1936);  Dana Emir (1936); Shalimar de Guerlain (1925).

* Pond's recorda minha infância.  Era o creme de penteadeira da mãe e da vó.


Jean Marie Farina de R.Gallet
Parece-me uma escolha perfeita. Cítrico e refrescante bálsamo para o tropical calor mexicano.
Hipóteses exploram que talvez  esteja representado nas telas,  através de formas e cores citrinas.
Seria compartilhado com o marido amado? Porque não?
Recentemente uma primeira dama europeia declarou que na ausência do marido se apropria e usa  Eau Sauvage Dior.
Nós mulheres gostamos desta cumplicidade.


Chanel Nº 5.
Icônico, febre fashion dos anos 20, Chanel 5 talvez tenha alcançado notoriedade nas altas rodas mexicanas justamente quando Frida era muito jovem, quase adolescente, vítima das múltiplas lacerações que sofreu num terrível acidente de ônibus.

Quando garotinha, pelos idos dos anos 60 eu me encantava com Chanel 5, floral aldeídico carregado de glamour, cobiçado pelas elegantes.

Frida ansiava pelo belo, e pintava natureza exuberante e flores. Era uma mulher vibrante atormentada  e contida pelo  corpo travado e dolorido.
Penso que  ela sonhou e amou Chanel durante muito tempo.


Shocking de Schiaparelli
Quem conhece descreve este floral oriental  como almiscarado animalic, doce, quente e condimentado.
Elsa Schiaparelli mantinha convívio muito próximo com expoentes do surrealismo, estilo que se preocupava em expressar sonhos e o subconsciente. A fragrância foi lançada nesta proposta de surrealismo chocante.
Entretanto Frida pintava tentando retratar seus sentimentos, dentro de contexto *real,  o que me leva a imaginar  que o viés da escolha tenha sido outro.
Quando o perfume foi lançado era mulher adulta, casada, apaixonada, lutando contra traumas físicos e emocionais.
Despertava para o mundo e para a fama. Uma escolha aromática mais ousada soa natural.
Além disso  no frasco sensual, nas guirlandas de flores no topo, rendas, rococós e  no colorido vibrante...Shocking era muito Frida Kahlo!

 *- Eu não pinto sonhos ou pesadelos, pinto minha própria realidade.


Emir de Dana
Lançado na mesma época de Shocking provavelmente era uma opção mais acessível e fácil de adquirir.
Quem no Brasil, da minha geração (e anterior) não conheceu algum perfume Dana? Foi marca muito popular  na América Central e América do Sul.
Este aroma, que não conheço, relatam se aproximar  de Youth Dew de Estée Lauder. Quente, condimentado, amadeirado terroso e balsâmico.
Tudo nele traduz a mulher forte, determinada e sexual que Frida Kahlo demonstrou ser.
Saberemos se o apelo publicitário  foi de encontro às suas esperanças e anseios? Provavelmente não.
Entretanto ela sonhava com a maternidade,  enfrentou gestações frustradas, viveu casos amorosos, perdoou traições...é possível.
E os slogans da fragrância Jean Carles diziam:  "Você quase pode acreditar, enquanto usa o perfume do Emir, naquela noite - tudo pode acontecer" ou "Por causa desse perfume completamente novo, você se atreve a sonhar de novo".
Eram tantos motivos para tristeza na vida da admirável artista, talvez um aroma para sonhar.
Ahhh...onde a imaginação nos leva.


Shalimar
Mais um ícone na vida de uma mulher!
Quantos necessitamos? - Todos e mais alguns.
Shalimar nasceu inebriado de arte, apresentado ao público na  Exposição Internacional de Artes Modernas Industriais e Decorativas de Paris.
Usou a narrativa do grande amor entre um rei e sua esposa predileta, na misteriosa e fascinante Índia, como motivação para o aroma floral doce e inebriante.
Frida amava  histórias, simbolismo , flores e certamente seus perfumes.
É possível que a fragrância tenha atraído a artista com a embalagem em azul vibrante, na Paris de 1939?
Neste ano a cidade luz  a acolheu com uma exposição dos  seus quadros. Começava a escalada  da fama.
Shalimar provavelmente a conquistou pelo nariz, imaginação e coração.

Referências: Listagem dos perfumes extraída de  Beyond the Canvas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!