Pin It button on image hover

domingo, janeiro 27, 2019

Nardo - Muskroot


Em cinturão que abrange Kumaon, Nepal, Sikkim e Bhutan cresce uma planta florida, cujo óleo essencial de cor amarelo pálido é intensamente aromático. Esta faixa do  Himalaia inclui Caxemira (Índia), Uttar Pradesh (Índia), Nepal, Sikkim (Índia), Butão, Sudoeste da China, incluindo o Tibete, Yunnan e o sudoeste de Sichuan.


Chamado de spikenard, nard, muskroot, jatamansi, nardo indiano, valeriana indiana, espiganardo ou nardo pertence a família valeriana sendo uma espécie próxima a madressilva.
Nardostachys jatamansi e Nardostachys grandiflora (indiano) cujas aplicações vão da medicina ayurvédica à perfumaria, eram muito usado pelos antigos egípcios e romanos. Referenciados em inúmeros contextos religiosos e citações bíblicas aparecem nas belas canções de Salomão como na "Exaltação de Amor" de "Cânticos dos cânticos":

Cantique des Cantiques - Gustave Moreau, 1893

12 Enquanto o rei está em seu divã,
meu nardo exala seu perfume.
13 O meu amado é para mim
como bolsa de mirra sobre meus seios;
14 o meu amado é para mim
como um cacho florido de alfena dos vinhedos de Engadi.

Também no livros de João:
..."então Maria tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, de grande valor, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com seus cabelos, e encheu-se a casa toda com seu perfume."João,12:3.

Reis, padres e altos iniciados eram ungidos na crisma com o precioso óleo de nardo.


Utilizado como matéria prima de perfumes e incensos, tem propriedades regenerativas da epiderme, fortalecedora do ritmo cardíaco, sedativa e paliativa da insônia. Restabelece o equilíbrio interno uma vez que promove interação da energia emocional, espiritual e física.
Cresce em altitudes entre 3000 e 6000 metros agarrado em penhascos íngremes e rochosos, fendas, prados úmidos e margens de riachos. Alcança  aproximadamente 1 metro de altura e produz flores em forma de sino.


Na coloração que gradua do esbranquiçado ao rosa púrpura, a floração aparece entre julho e agosto e frutifica de setembro a novembro
Existe no mercado indiano a comercialização de espécie Selinum vaginatum cujos rizomas lembram os rizomas do cravinho. São vendidos com o nome de bhutkeshi ou false jatamansi.



Os rizomas ou raízes perfumados são esmagados e destilados para obter óleo medianamente denso cujo aroma herbal lembra húmus ou terra fresca, turfada e musgosa.
Confere às fragrâncias um teor amadeirado onde percebemos nuances doces e resinosos de animalic quente e picante. Mistura-se harmoniosamente com óleos de alfazema, limão, vetiver, musgo-de-carvalho e especiarias
Combinação de terpenoides constitui a maior parte da sua composição (99%) entre os quais valerianona, ionona, eucaliptol, angelicina, elemol, hidrocarbonetos sesquiterpenos.

Referências: Fundamentos da terapia com Óleos Essenciais das Plantas de Dietrich Gümbel; Wikipédia; artigo do Dr. Chandra Shekhar Gupta

Leia Também : Tuberosa, Nardo, Angélica e Perfumes





Perfumes com Nardo

- 1929 Eau de Parfum - Daniel Josier



- A City On Fire - Imaginary Authors
- AKsun - Pryn Parfum
- Alea 7 - BZ Parfums
- Agaressence - Brecourt Paris
- Antimony - House of Matriarch
- Attar Noir - Florascent

- Barfly - Scotch & Soda
- Bitte Glass - Anna  Zworykina Perfumes


- Chiaroscuro - Roxana Illuminated Perfumes
- Chinchilla - DSH Perfumes
- Christmas Scents Nardus - SP Parfums
- Come Too Me Love Potion - Escentual Alchemy
- Cuir Magnifique - Noble Royale

- Dev#3: The Inevitable - Olympic Orchids Artisan Perfumes
- Dhofar - Xerjoff

- Enlighten Dawn - Persephenie Studio
- Ereve - Myropol

- Genesis Oud Malaki - Le Chameau
- Ginger Zest de Citron - PK Perfumes
- Gujarat -


- Herbes Himalayennes - YanFroloff
- Hierbas de Mallorca - Hierbas de Mallorca
- Himalaya - Scriabin in the Himalayas
- Hinoki - Ayala Moriel>

- I.Oud - IO.CO 1954
- Incense Royale - Sultan Pasha Attars
- Indolice - Providence Perfume Co.


- Jardin d'Iris - Sama
- Jatamansi - L'Artisan Parfumeur

- Kurokami  - DI SER

- Le Parfum D'Ida - Neil Morris
- Leva - O'Driu
- Lignun Vitae Forte - SP Parfums
- Liking - East Nights
- Little Stars - Olympic Orchids Artisan Perfumes
- Lucia - DI SER

- Magnolia - Daniel Josier
- Magie Sexualle - Ikiryõ
- Mayura - Auphorie
- Megaleion - DSH Perfumes
- Mukhmal Lite - Suhad Perfumes


- Nardo - MONOM
- Nardo ( Spikenard) - Crusellas & Company
- Nigredo - Anna Zworykina perfumes
- Nowhere Fast - SP Parfums

- Omen - Phuong Dang
- Oud Picante - Areej le Doré

- Panax Ginseng - Art Deco Perfumes
- Pheromone Gold - Marilyn Miglin
- Pheromone Jasmin- Marilyn Miglin
- Pheromone Musk- Marilyn Miglin
- Poseidon Victoria - Instituto Espanol

- Rati - Pryn Parfum


- Sacred Incense Al Bokoor Al Muqadads Attar - Elixir Attar
- Sacred  Frankincense 6 - JoAnne Bassett
- Shandrani - Farfalla
- Sasora - DI SER
- Secret Oud - Caron
- Sonet XVII -Olympic Orchids Artisan Perfumes
- Sorab - The Fragrance Engineers
- Survival Instinct - Sfumato

- Taosi - Therapeutate Parfums

- White Blossom - Alvarez Goméz
- Woody Mood - Olfactive Studio

Referência: Fragrantica

quarta-feira, janeiro 23, 2019

Um Sonho Oriental


Sonhei que tive um sonho.
Deslizava  pelo tempo, delicada e leve como uma pluma, tingida pelas mil cores dos lugares visitados.
Maravilhada, em cada canto vestia folhas secas impregnadas pelos odores e histórias de toda gente.


Visitei os primórdios africanos, rococós e rendas, estepes geladas, palácios, florestas  e desertos empoeirados. Conheci bárbaros, príncipes e gentio, senti o calor dos dragões.
Ri e chorei deslumbrada com o passado, embora não tenha ultrapassado umbrais do futuro.
Fiz-me rainha dentro de pirâmides entre milhares de óleos aromáticos, joias perfumadas que me aprisionaram em teia dourada.


Um sábio de mágicas e filosofias pediu-me para escolher entre os aromas apenas um, e seguir viagem.
Não consegui.
Na gula incoerente queria todos. Restou-me  a jornada, sem nada na bagagem, com todos os odores escondidos, em nichos secretos da memória, pelo tempo.


Mistérios insondáveis a espreita nos labirintos da mente. Que chave abriria esta arca de recordações, selada, oriental e perfumada?
Seria  um attar de oud, de rosa damascena, patchouli, mirra, de sândalo, incenso, ou de almíscar?
Talvez aquele  que  encerrasse todas as notas na sua composição em sinfonia de beleza  harmônica e estonteante.


Experimentei a primeira chave, esculpida na rara madeira Agarwood...

Recapturando da resenha Távola 6 um momento de sonho... uma inspiração.

Olympéa - Paco Rabanne


Paco Rabanne faz  perfumaria marcante.
Difícil esquecer da intensidade aldeídica de Calandre (1969),  a doçura profunda e delicada de Paco Rabanne Pour Elle (2003),  ou a popularidade das séries XS e  Black XS  Men e Women (1994).  Igual sucesso alcançaram os lançamentos de 1Million (2008) e Lady Million (2010).
Apesar da repercussão obtida pelas versões douradas dos perfumes Million  também considero impressivos os  aromas florais,  apimentados e insinuantes,  de Ultraviolet (1999) e seus flankers.


Paco Rabanne Pour Homme (1973) é um ícone fougere aromático no estilo verde adstringente das fragrâncias dos anos 80.
O controvertido Invictus (2013)  divide opiniões com estilo amadeirado,  picante e cítrico, que evoca o travo de junípero.
Fazendo uma retrospectiva percebo que esta casa prima pelas fragrâncias intensas e personalíssimas, criações de "narizes" muito conceituados e competentes.
Nada insosso  enraíza na grife espanhola e Olympéa segue a regra.
Na primeira impressão senti uma autêntica "bomba" dos anos 80 centrando o aroma na baunilha picante e temperada.


Pirâmides olfativas citam baunilha e sal o que me fez pensar na modernidade de caramelo salgado, o queridinho de chefs de cuisine.
Que cheiro é este? Nada mais que a velha amiga baunilha temperada e salinizada como se tivesse ganhado um dourado de praia.
Este diferencial  faz Olympéa impressionar os sentidos. Alguns provavelmente torcerão os narizes, Outros soltarão suspiros de surpresa.


Inspirada na Grécia moderna, no calor das competições e vitórias,  abre em  bouquet branco, ligeiramente exótico, revestido de cítricos aquáticos. Um toque de frescor...
Rapidamente  veste embriagante e incomum  baunilha, servida sobre uma bela tábua de madeira clara.
No drydown existe doçura acolhedora de flores abraçadas pelo lenho suave e ambarado. Uma pitada de talco, outra de sândalo associadas a sensação amadeirada de cashmere. Um toque de suavidade.
Olympéa Intense percorre caminho semelhante entremeado por  madeiras  que perderam o aveludado. É um revés sombrio e carnal que suprime flores ressaltando notas agridoces, secas e amadeiradas.


Finalmente Olympéa Acqua Eau de Parfum Légerè aparentando acorde úmido e refrescante composto por cítricos,  suspiros de frutas vermelhas e flores aquáticas. Não perde a alma original,  dividida entre baunilha exótica e madeira aconchegante.
Todas as versões mantém  identidade primordial,  assinatura caracterizada pela salinidade marinha embrulhada nos favos de baunilha. Em suas variações permanece constante  projeção intensa e  aroma marcante.
Se houvesse um dia dedicado à Olympéa começaria no frescor da manhã com duas gotas de Acqua Légerè,  temperadas  durante a tarde pelo eau de parfum original,  e reafirmadas a noite com a versão Intense.
Provavelmente no dia seguinte restariam pegadas deste caminho. No ar apenas a doçura de sândalo,  resquícios de jasmim e baunilha da primogênita Olympéa eau de parfum.
Espero que qualquer exemplar da coleção habite meu armário, em algum momento. Hoje, neste tórrido verão, certamente a versão Acqua. Quando ventos gelados baterem a porta  Olympéa edp e Intense serão bem-vindos.
Olfatos que abraçam  fragrâncias doces porém contidas e frescas,  como 212 tradicional, Light Blue, Burberry Women, Chance Tendré, Dolce, Hugo Boss Nuit, talvez considerem o eau de parfum tradicional e intense demasiados. Acqua seria opção mais próxima.


Ficha Técnica - Olympéa edp

Família Olfativa: Oriental Floral, 2013
Gênero: Feminino
PerfumistaLoc Dong, Anne Flipo, Dominique Ropion
Designer: Paco Rabanne
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa 
Campanha: Top model brasileira Luma Groth
Frasco: Design de Marc Ange
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Mandarina verde, flor de gengibre, jasmim d'água
  • Coração - Baunilha, sal (notas marinhas ozônicas e picantes)
  • Base - Âmbar cinzento, madeira de sândalo e madeira de cashmere

Ficha Técnica - Olympéa Intense

Família Olfativa: Oriental Floral Animalic, 2016
Gênero: Feminino 
DesignerPaco Rabanne
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa 
CampanhaModelo brasileira Luma Groth
Frasco: Design de Marc Ange
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Grapefruit, jasmim, flor de laranjeira
  • Coração - Sal, baunilha
  • Base - Âmbar, madeiras

Ficha Técnica - Olympéa Acqua Eau de Parfum Légerè

Família Olfativa: Floral Aquático, 2018
Gênero: Feminino
Perfumista: Loc Dong, Fanny Bal
Designer: Paco Rabanne
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa 
Campanha: Modelo brasileira Luma Groth
Frasco: Design de Marc Ange
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Flores de Limoeiro, clementina (mandarina de Canton)
  • Coração - Jasmim, lírio d'água ou lótus, notas solares
  • Base - Baunilha, sal, âmbar cinzento, madeira cashmere

Vídeo publicitário de Paco Rabanne

terça-feira, janeiro 15, 2019

Fragrancias Perdidas.


Quem nunca... se revoltou ao provar um frasco novo de uma fragrância amada e se deparar  com mudança no aroma? Geralmente de menor qualidade olfativa?
Acontece muito.
Clássicos repaginados, pálidas sombras do esplendor original.
E nos perguntamos o motivo...
São vários e  fundamental  é a ausência de matéria prima,  que ocorre por razões variadas:
- Órgão fiscalizadores oficiais ou governamentais,  como a Comissão Europeia, listam ingredientes  cujo uso é considerado risco para a saúde ou meio ambiente. Assim tornam-se proibidos para a  perfumaria. Fragrâncias que tinham como nota principal o musgo-de-carvalho, bergamota, rosa e canela, entre outros óleos imprescindíveis, hoje carregam na sua composição similares sintéticos, ou misturas que lembram seu odor.

 Pau-rosa ( Aniba rosaeodora)

- Dificuldades no fornecimento da matéria-prima é outro grande problema. Colheitas insuficientes, mudanças na legislação de países que as comercializam, catástrofes naturais, distúrbios geopolíticos, desaparecimento ou escassez de espécies estão entre os problemas enfrentados pelas grandes perfumarias.
Para driblar estes contratempos as grandes casas procuram o desenvolvimento sustentável das espécies que lhe são úteis, garantindo assim o fornecimento.
Quando esbarram com proibições legais tentam através da pesquisa elaborar substâncias que tragam as mesmas sensações olfativas provocadas pelos óleos naturais.
Métodos modernos e tecnologia de ponta  em destilação, extração e fracionamento de matérias-primas fazem com que esta similaridade seja mais eficaz hoje do que nos anos 80 ou 90.


Muitas fragrâncias centenárias estão sendo reeditadas de maneira que sejam mais fiéis às fórmulas originais.
Trabalho dispendioso, que na medida do possível é feito com a participação do perfumista criador, obedecendo ao propósito de "changer sans changer" ou "mudar sem mudar".
Demanda muito tempo (anos) e dinheiro conforme afirma o nez da casa Chanel, Olivier Polge.
Embora técnicas recentes permitam a extração dos componentes tóxicos ou alérgenos, um óleo essencial reciclado perde características que afetam a durabilidade ou intensidade do perfume.
Exemplo disto é  o musgo-de-carvalho quando retiradas as moléculas de  atranol e cloroatranol, com consequências na percepção do produto final.
Se considerarmos custos de pesquisa, ou sucesso na reformulação,  algumas fragrâncias apenas desaparecem por não atenderem as expectativas de lucro ou qualidade.


Pierre Guillaume não satisfeito com a reformulação de Un Crime Exotic (2007) simplesmente o retirou do mercado.
Mitsouko de Guerlain ,com 100 anos de criação, não é o mesmo. Igualmente Opium de YSL, Poison e Eau Savage de Dior, Magie Noire de Lancome, Quelques Flores L'Original de Houbigant.
Grandes empresas como Givaudan, Firmenich, Symrise e IFF,geralmente detentoras das fórmulas, fazem o possível para não decepcionar os consumidores, e garantir sua fidelidade à fragrância, entretanto na prática a decepção é uma constante.
Sem dúvida existe uma grande dificuldade em manter o padrão dos clássicos da perfumaria, ou de fragrâncias mais recentes, e os gigantes deste meio trabalham em silêncio. Marcas não permitem que estes ajustes sejam divulgados.
Entretanto nós percebemos!

Referências: Dados obtidos no artigo de Claire Dhouailly em Le Monde

Anosmia - Uma perda irreparável?


Distúrbios do olfato se expressam de várias formas ou graus dependendo de quanto o sentido olfativo é afetado. Esta perda da percepção pode ser total, parcial ou até mesmo  uma mudança na maneira que os odores são entendidos.
Na hiposmia a capacidade de detectar odores é reduzida. Geralmente temporária regride quando a causa cessa.
Anosmia é a perda do olfato e se dá por inúmeras causas como infecções (sinusite, viroses), doenças neurológicas (Parkinson, Alzheimer), pólipos nasais, envelhecimento e traumatismos cranianos. 
Contudo há esperanças de reaver o olfato para os 5% da população que o perderam.
Um estudo americano, que ainda  necessita de avanços tecnológicos,  aponta para o sucesso na idealização de um implante que reduziria a perda do sentido olfativo.
Experiências demonstraram que é possível simular a percepção de odores estimulando eletricamente os nervos do bulbo olfativo.


Estes experimentos de Massachussets Eye and Ear Hospital e Harvard Medical School foram relatados no Fórum  Internacional de Alergias e Rinologia, onde o principal autor, Dr. Eric Holbrook, descreve a viabilidade do processo.
Nosso olfato depende inicialmente de uma estrutura complexa  do Sistema Nervoso Central chamada Bulbo Olfativo, localizada perto das fossas nasais, composta por neurônios  dotados de inúmeros receptores sensoriais, que detectam as informações  vindas  do epitélio ou mucosa nasal.
No bulbo ocorre uma decodificação  de sinais e esta informação é transmitida para outras estruturas cerebrais.
Testes foram realizados com cinco indivíduos de idade entre 43 e 72 anos. Dois com percepção normal dos cheiros e três com hiposmia.
Após estimulação do seio nasal, através de eletrodos, em áreas próximas a junção com a base do crânio,  houve resposta positiva.


Três dos pacientes relataram sensibilidade olfativa,  que para o Dr. Eric Holbrook comprova a possibilidade de "induzir um odor por simples estimulação elétrica artificial de bulbos olfativos em seres humanos".

Referência : Informações do artigo de  Sylvie Riou-Milliot em Sciences Et Avenir.