Pin It button on image hover

terça-feira, janeiro 30, 2018

Here's My Heart ou Toque de Amor - Avon



Amantes da  perfumaria, cuja idade é  suficiente para comparar fragrâncias de duas ou mais décadas, convivem assiduamente com o desapontamento.
Muitas criações apreciadas foram descontinuadas para atender demandas comerciais, abrindo espaço para novidades que oferecem mais lucros. Algumas se tornaram impraticáveis porque as substâncias aromáticas que constituíam seu espírito enfrentaram restrições legais.


Sobreviventes  do tempo impiedoso, salvo  exceções, sofreram reformulações  que muitas vezes desvirtuaram suas essências.
Inúmeros aromas a marcarem minha história estão incluídos neste rol.
Na infância e adolescência  convivi  com alguns perfumes Avon  muito populares no Brasil: Topaze, Toque de Amor, e Charisma. Posteriormente Timeless, Wishing, Rupture...
Fragrâncias de efeito que permaneceram firmes durante anos...geralmente inspiradas nos sucessos das grande e luxuosas grifes.


Entre eles Toque de Amor reinava no cotidiano da minha casa. Importados eram reservados para ocasiões especiais. Caríssimos e difíceis de conseguir. Avon estava ao alcance das mãos através de muitas revendedoras espalhadas mundo afora.
Na maturidade descobri que Toque de Amor era a versão brasileira de Here's My Heart.
Lindo. Era um aroma lindo.

Não lembro das notas particularmente, mas  da sensação, do floral leve e fresco. Compartilhava com minha mãe e isto era uma dádiva. Dividia  seu  mundo fashion de mulher elegante,  admirada pela beleza e coqueteria.
Conheci uma sucessão de frasquinhos diferentes e divertidos. Vinham acompanhados de  talco, creme e desodorante. Deliciosos.



Atualmente  colecionadores e frequentadores assíduos do blogs e revistas sobre perfumaria relatam múltiplas e desencontradas semelhanças: L'Heure Bleu de Guerlain; L'Aimant Coty; Chanel N.5; Chanel N. 5 Cologne; My Sin Jeanne Lanvin...


As similaridades apontadas não afinam totalmente. Creio que Toque de Amor reuniu algumas características comuns a estes sucessos  numa miscigenação que deu muito certo. 
No passado,  pois frequentemente me deparo, nas leituras online, com o desencanto de quem conheceu o clássico de 1957,  ou o lançamento brasileiro de 1977.
Encontraria a versão moderna a venda com alguma facilidade, entretanto temo procurar. Receio a desilusão de substituir uma memória enevoada e bonita pela frustrante realidade.


Ficha Técnica
Linha Olfativa: Floral Aldeídico, 1957 ( 1977)
Gênero: Feminino
Designer: Avon
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Aldeídos, bergamota, limão
  • Coração - Bouquet floral, íris, narciso, neroli,  notas verdes
  • Base - Madeiras, benjoim,  âmbar, almíscar, baunilha
Arte Irmã: Se fosse uma música seria My Love, Paul McCartney


sábado, janeiro 27, 2018

Poison - Christian Dior


Conceito
Le parfum  est le poison du coeur ( Paul Valéry). Nesta citação poética está o conceito de Poison da casa Dior.
Nascido nos anos 80, para um mercado saturado pelas típicas  fragrâncias ambaradas da década anterior. 
A mais impactante das fragrâncias Dior apostava em doses exageradas de flores, especiarias, madeiras e intoxicantes notas doces em acento oriental moderno,  numa orgia olfativa que deu certo. Surgia  um ícone "love or hate".
Intensa campanha publicitária lançou esta resposta francesa às poderosas bombas olfativas americanas tornando-a, como Opium de YSL, uma das principais fragrâncias dos chamados "parfums coups de poing".

Imagem: by The Black Narcissus
 
Impressão Pessoal
Minha primeira vez com Poison foi chocante!
No final dos anos 80 estava sobre o toucador de uma amiga que viajava muito. Feliz acaso pois era incomum encontrar perfumes internacionais, recentemente produzidos, nas perfumarias locais.
Aquele veio na mala!
Borrifei ligeiramente no pulso e fiquei atordoada. Seria exagero dizer nauseada, mas foi próximo.
Envolveu-me numa  antagônica e simultânea sensação de repulsa e fascínio.
Devo confessar que aconteceu pouco antes de encontrar meu perfume assinatura,  Mystere ( Rochas), quando o  olfato jovem ainda era pueril e inocente. Nos anos seguintes fragrâncias mais complexas  e marcantes atraíram minha atenção, provocando inesperadas  paixões olfativas.

 Setembro de 2003 - publicidade com mensagem subliminar

Com o decorrer do tempo experimentei Poison novamente e mudei minha percepção.
Nunca usei, entretanto sinto vontade de ter uma garrafinha pra chamar de minha. Mesmo que hoje ele pareça mais suave, como se  algum encantamento tivesse suprimido sua força, diluído seu veneno.
Um pouquinho...só um pouquinho.
Certamente sucumbiu aos apelos do mercado,  as limitações de matéria prima... reformulado como muitos clássicos da perfumaria.
Seu aroma?
Único! Floral, temperado com especiarias quentes e verdes, ligeiramente frutado, incensado, denso e cremoso. Traduz perfeita harmonia entre madeiras e doçuras intoxicantes dos acordes de base.


Todas características aromáticas balsâmicas e cálidas  remetem ao visual do belo  frasco, arredondado, voluptuoso e sedutor no profundo e escuro púrpura das ameixas.
Um belo clássico! 

Ficha Técnica
Família Olfativa: Oriental floral, 1985

Gênero: Feminino
Perfumista: Edouard Fléchier (Roure) e Maurice Roger
Designer:Christian Dior
Rastro: Intenso
Fixação: ótima
Frasco: Maurice Marinot e Véronique Monod


Pirâmide Olfativa
  • Topo: Coentro russo, ameixa, frutos silvestres, anis, palissandro ou pau-rosa ou jacarandá da Bahia, mace (da noz-moscada). 
  • Coração: Cravo, jasmim, flor de laranjeira africana, lírio-do-vale ou lírio-de-maio, tuberosa, opoponax, canela, incenso, rosa, mel.
  • Base: Vetiver, almíscar, sândalo, cedro da Virgínia. ládano, âmbar. heliotrópio, baunilha.


Similaridades: Poison Esprit - Dior; Cobra Jeanne Arthes; Cumplice - L'acua di Fiori; Absinto - água de Cheiro; Cobra - Al Rehab; Madame de Julie - Julie Burk; Absinto - Água de cheiro; Goldie - O Boticário. Jil Sander Nº4 - Jil Sander, Love Potion - Oriflame; Prada Infusion de Tubereuse - Prada; Rare Pearls - Avon; Red Door - Elizabeth Arden; Natori - Natori;  Dita Von teese - Dita Von Teese;  Chacal - Milton lloyd


Arte Irmã: Se fosse uma música seria...Game of Thrones Main Theme Violin Cover by Kezia Amelia

Lady of the Night Perfume


 Dama-da-Noite - Imagem de Vivien Zanlorenzi

Dama-da-noite (queen-of-the-night) e jasmim-da-noite (night-blooming jasmine), duas plantas que nos brindam com flores perfumadíssimas durante a noite.
Aromas  muito próximos mas não idênticos, oriundos de espécies distintas.

 Jasmim da noite - Imagem de Plantas Sonya

Jasmim-da-noite  (Ceestrum nocturnum) é arbusto tropical que pode atingir  de 1,5m à 4m e apresenta flores pequenas de branco amarelado. O perfume é  inebriante, intenso,  como se misturássemos  flores brancas, principalmente jasmim,  com especiarias.
Existem dois destes arbustos próximos à minha casa e passar pela rua quando anoitece em época de floração é uma experiência olfativa deliciosa.
Também é conhecido  pelos nomes Coerana, Coirana, Flor-da-noite, Dama-da-noite, Jasmim-verde, Rainha-da-noite.

 Dama-da-Noite - Imagem de Vivien Zanlorenzi

Esta nomenclatura faz com que ela seja confundida com a outra dama-da-noite ( Epiphyllum oxipetalum) cujo arbusto é menor, com folhas grandes robustas e caule suculento. praticamente um cacto. As flores brancas são enormes, em média 25cm, exalando perfume também intenso e condimentado.
Nesta espécie a floração se dá em alto verão  sendo extremamente efêmera. Dura uma noite!
Quem ama perfumes florais vibrantes na linha olfativa das flores brancas como jasmins, magnólias, junquilhos ou narcisos e gardênias com pitadas de exotismo se encanta com as damas-da-noite , sejam de uma espécie ou de outra.

 Dama-da-Noite - Imagem de Vivien Zanlorenzi

Na perfumaria os acentos florais tentam reproduzir as notas aromátiicas destas flores em várias fragrâncias, embora eu não conheça nenhuma que seja tal e qual.
É mais provável encontrar uma fragrância cujo bouquet se aproxime,  nas que fundamentam seus acordes principais em jasmim, narciso ou junquilho, gardênia ( flor de tiaré) , tuberosa ( jasmim-manga ou angélica-dos-jardins), manacá-de-cheiro...

 Jasmim da noite - Imagem de Plantas Sonya

Fragrâncias com notas de Dama-da-noite ou de Jasmim-da-noite
8 - contem 1g
Aurora - Avatin
Dama-da-Noite - L"Occitane au Brésil
Dior Addict - Christian Dior
Extatic Tiger Orchid - Pierre Balmain


Flor do Luar Ekos - Natura
Floralique  Avon
Goldea The Roman Night - Bvlgari
Har Singar Kbas Attar - Aromata Mirabilia
Ibraheen Abdul Samad - Al Qurashi


India Hicks Island Night - Crabtree &Evelyn
Jasmin - Honoré Payan
Miss Dior - Dior
Morayama Jazmin - Ricardo Ramos
Natori Women - Natori


Nigth Blooming Jasmine - Jovan
No 5 Siren  - Valchemy Lab
Parijata Vetiver Attar - Persephenie Studio


Queen of the Night - Judith Williams
Shades - Dana
Sun Moon Star - Karl Lagerfield
Surreal Sky - Avon
Surreal Garden - Avon


Viburnum - Tonatto Profumi
Victoria's Secret Paris - Victoria's Secret
Wings - Georgio Beverly Hills

domingo, janeiro 21, 2018

Chanel N.5 - O Inesquecível


"Some drops a Chanel  N.5" (Marylin Monroe)
Muitos fashionistas admitem que este talvez  seja o slogan perfeito  a representar Chanel N.5.
Para outros talvez seja o pedido de Coco Chanel feito ao perfumista Ernest Beaux no início dos anos 20:
- "Create a perfume wich smell like woman"


E assim foi. Com uma dose (acidental? ) de aldeídos muito maior do que a usual  Chanel N.5 se transformou no mais icônico perfume floral dos tempos modernos.
Apresentado para madame Chanel em 5 de maio de 1921 destacou-se como  fragrância de jasmim,  rosas, neroli e íris, tão  fresca e limpa como o ar gelado dos árticos. Produzido em edição especial seu primeiro destino foi presentear amigos e clientes de Madame Chanel.
Hoje, significa aroma atemporal , floral clássico intenso, marcante e refinado, sendo amado por milhares de pessoas.
Não todas. Algumas gentilmente dizem ser bom, mas não para elas. Outras simplesmente odeiam.
Considero eterno.


Apesar das controvérsias é a fragrância mais reconhecida na história da perfumaria moderna.
Segundo interessados na história de Chanel N.5 existem composições que diferenciam o parfum de eau de parfum e eau de toilelete . 
Relatos on line  afirmam que o original parfum usava óleo essencial de jasmim cultivado em Grasse, enquanto  eau de parfum,  lançado nos anos 50,  abrigava em sua composição uma mistura de óleos de jasmim de várias procedências, além do ênfase nas notas de couro e madeiras. Eau de toillete difere ligeiramente dos anteriores pela composição mais leve,  acentuando notas cítricas.


Entretanto, as raízes do nascimento de Chanel N.5 aparentemente são mais longínquas.
Em Moscou a mais proeminente perfumaria russa, fundada em 1843 por Alphonse Rallet, lançou em 1913 uma criação do perfumista Ernest Beaux em homenagem à Catarina, a Grande.



Em Bouquet de Catherine ou Buket Ekateriny  Ernest utilizou o intrigante aldeído C12 MNA, que fazia sucesso no perfume Quelques Fleurs de Houbigant criado por Robert Bienaimé (1912).
Contudo a fragrância de Beaux não convenceu a nobre clientela russa.
Nesta época estourou a revolução Russa (1917)  e a elegante perfumaria Rallet foi transformada numa fábrica de sabão pela União Soviética bolchevista.
Grande parte  da equipe da perfumaria se deslocou para Grasse na  França fugindo da revolução bolchevique. Até aquele momento as relações comerciais entre Rússia e  Europa eram muito produtivas, Finalmente  a equipe de perfumaria e cosméticos Rallet se estabeleceu definitivamente na França.
Na verdade a empresa original,  que começou como fabricante de velas na Rússia, havia se tornado  propriedade da grande  Chiris em 1898, após atravessar dificuldades financeiras,  mantendo o nome Rallet. A fábrica russa, mudou de nome e desvinculou-se totalmente da unidade francesa após arevolução.



Bouquet de Catherine  foi então relançado como Le Nº 1 Rallet para o comércio europeu e americano.
Consta que na época  Beaux , que esteve a serviço do exército russo  até 1919, voltou para a França,  oportunamente se desligou da casa Rallet,  e iniciou oficialmente seu trabalho para Parfums Chanel em 1924.
Neste período  a também iniciante Coty adquiriu Le N.1 Rallet  que continuou comercializado com o mesmo nome.


Pesquisadores afirmam que Ernest Beaux relatou uma viagem aos círculos árticos onde teria se encantado com o frescor de um rio,  o que teria inspirado suas experiências para releitura da  antiga composição   Buket Ekaterina.
Talvez tenha associado este frescor à apresentação publicitária do recente Le Nº 1 Rallet, historicamente considerado precursor  de Chanel nº5. 


Similaridades: Amplamente imitado iniciou uma dinastia de perfumes florais aldeídicos.
Consta que são próximos em aroma Coty L'Aimant; Couture Vicky Tiel ;  Cachet  Prince Matchabelli; Sicily Dolce Gabbana;  Maitresse Agent Provocateur; La Perla eau de parfum; Magie Noir Lancome; Vraie Blonde Etat Libre D'Orange; L'Interdit Givenchy; Champagne (Yvresse) YSL; Cassandra Jeanne Arthes; UdV pour Elle Gold-Issime  Ulric de Varens; Shahana Gold Black Onix; Miss Elysees Paris Elysees; Traduções Gold Hinode;
Shalimar é citado como descendente que privilegiou notas de bergamota e íris sobre base de baunilha enquanto Chanel Nº5  fundamenta no  bouquet de jasmim, rosa, ylang e neroli sobre base lenhosa.


Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral Aldeídico, 1921
Gênero: Feminino
Perfumista: Ernest Beaux
Designer: Chanel
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Frasco: Chanel
Pirâmide Olfativa:
  •  Topo -Aldeídos, bergamota, limão, neroli, ylang-ylang
  • Coração -Jasmim, rosa, lírio de maio, íris  e raíz de íris
  • Base -Âmbar, madeira de sândalo, patchuli, almíscar, civeta, baunilha, musgo de carvalho, vetiver, rosewood ou jacarandá
 Arte Irmã:  Se fosse um filme seria ...O Pecado Mora ao Lado
The Seven Year Itch



Referências: Wikipedia, Swap You Wardrobe; Don't Forgeter The Mirror; Project Perfume;  Design Gipsee; Luxuo; Fragrantica, Basenotes

terça-feira, janeiro 16, 2018

Fragrâncias Leitosas - Nota de Leite


Lia um tópico interessante num grupo sobre perfumaria, onde discutiam preferências sobre leite e derivados, fossem de origem animal ou vegetal.
Vários perfumes com notas leitosas vieram a tona.


Lembrei-me do descontinuado Simply  by Clinique e sua estranhíssima nota (verde) de leite de soja. Não atendia as características das "fragrâncias de leite", cremosas, florais e doces,  com baunilhas gourmand  ou aveludados âmbar e sândalo...enfim aquele perfume tinha na sua composição um leite muito agreste que lhe conferia acento  aquático.


Antigas fragrâncias leitosas referem moléculas chamadas lactônicas (esteres cíclicos) cuja nomenclatura se deve aos lactídeos obtidos do ácido lático,  encontrado no leite. Na natureza lactonas costumam ser encontradas nos carvalhos e podem saborizar whisky.


Entretanto, segundo  usuários e revistas online as fragrâncias abaixo se adequam ao conceito intimista e confortável de aroma cremoso ou lactônico.
Algumas misturando  a nota de leite com flores ou frutas, outras com café, cacau, chá , especiarias, até madeiras, porém trilhando o caminho que as tornam  cremosas, aconchegantes ou sensuais.

Desodorante leite de Rosas, 1929

*Curiosamente o nosso tradicional desodorante (e loção para cútis)  Leite de Rosas está listado numa enciclopédia virtual  sobre fragrâncias  como perfume  com nota de leite.


21 Costume National by Costume National

Abraço L'Occitane In Provence

Amour Nocturne by L'Artisan Parfumeur

Arroz Con Leche by Ganache Parfums

Au Lait by DSW Perfumes

Chai by Baruti

Condensed Milk by Demeter Fragrance

Etra Etro by Etro


Gold Heart V 4 by Map Of The Heart

Hot Milk by Hilde Soliani

Inside by Trussardi

L'eau d'Hiver by Frederic Malle

Lait Concentre by Chabaud Maisson de Parfum

Lalao by Zeromolecole


Le Feau d'Issey by Issey Miyake

L'Or Intense by Torrente

Matin  Calin by Comptor Sud Pacifique

Milk by Ava Luxe

Miryade Blanc by O Boticário

Paithani by Penhaligon's


Poivre Piquant by L'Artisan Parfumeur

Rooh Al Banat by Lattafa perfumes

Rush by Gucci

Santal Massoia by Hermès

Selperniku by January Scent Project

Seminalis by Orto Parisi

Simply by Clinique



Untitled 2 by Magnetic Sccent

Vanille Jolie by Ava Luxe


domingo, janeiro 14, 2018

L'Enfant- Roi de Arty Fragrances



Festividades no mês de dezembro,  Natal e Reveillon,  despertam nossos desejos por luminosidade, alegria e celebrações,  refletidos nos cardápios primorosos, pródigos em especiarias, na elegância do vestuário, na musicalidade em todos os cantos e nos deliciosos aromas pelo ar.


Entretanto não só de acentos culinários vive esta época. Existe o cheiro deliciosos e amadeirado das árvores frescas  adornadas em brilho e cor, dos enfeites  usando folhas e pinhas, das fragrâncias especiais dispersas por homens e mulheres, e velas!


Tempo de velas cálidas, aconchegantes, aromáticas que cativam pela luz suave inundando ambientes.
Como L"Enfant-Roi  da coleção La Cour de Versailles oferecida pela casa Arty Fragrance.
Evoca luxuosa hospitalidade no amadeirado incensado,  em sofisticada  nota de mirra, na delicada doçura floral, aveludada baunilha e nos tons  doces de laranja.
Marcante e  duradouro o aroma desprendido pela vela invade o ambiente mesmo quando  se encontra apagada. Os óleos aromáticos volatilizam lentamente semelhante a um difusor. Delicioso.


A fragrância do Rei Infante  chama a magia do Natal, da celebração de vida, da intimidade dos lares mesmo que este seja um Palácio de Versailles.
Afinal a pureza e doçura da infância está em todos corações, nobres ou não.


Outros aromas de La Cour de Versailles disponibilizados nas velas de 5 e 3 mèches são: La Fleur du Roy; Délices des Libertines; Alcôve Royale, Rève de La Reine; Potager Royal ; Jardins et Bosquers; Mousseline et Chou d'Amour.

terça-feira, janeiro 09, 2018

Grossmith and RoberteT

  
Robertet atua no âmbito da produção de fragrâncias  há mais de 150 anos e tornou-se uma potência quando falamos de fragrâncias, matéria prima ou  fisiologia dos ingredientes  usados na perfumaria e cosmética.
Grupo desenvolvido após quatro gerações envolvidas com a manipulação de ativos para perfumaria abrange o comércio internacional, faz inúmeras parcerias, e  inclusive tem representação no Brasil.
Baseada inicialmente em Grasse especializou-se nas matérias primas de alta qualidade.


Também centenária a tradicional Grossmith reavivou sua clássica e nobre coleção composta por Hasu-no-Hana, Phul-Nana, Shem-el-Nessim, incorporando novas criações relacionadas à nobreza - Betrothal and Diamond Jubilee Bouquet.
Modernizando sua "carta" de perfumes criou a Black Label Collection: Floral Veil;  Amelia ;Golden Chypre;Saffron Rose.



Para nossa satisfação  Grossmith  convidou Robertet para remasterizar as três fragrâncias que consagraram  sua perfumaria. Hasu-no-Hana (1888), Phul-Nana (1891) e Shem-El-Nessim (1906). Serão renovadas  seguindo o mais fielmente possível as fórmulas originais, inclusive mantendo toda matéria prima natural possível, sem preocupações com limitação de custo.
Provavelmente atenderá um segmento nicho luxuoso, entretanto espero ter a oportunidade de experimentar...