Pin It button on image hover

terça-feira, novembro 24, 2015

Himalaya eau de parfum by Michel Roudnitska


Espírito da Fragrância 
Himalaya eau de parfum  nasceu no universo artístico multisensorial do espetáculo único Scriabin in the Himalayas.
Composição do perfumista e artista  Michel Roudnitska, revela de forma olfativa  a sucessão de eventos na apresentação que objetivou impressionar  cinco sentidos de seletos convidados e população local..
Desenrolada no cenário impressionante do Monastério Thikse em Ladakh na Índia, simbolizou a profundidade da meditação e o aspecto transcendental destas regiões consideradas santas e espirituais.
Notas olfativas inundaram o mosteiro a medida que música, cores e movimento impressionavam os expectadores; intencionando  o  ápice  sensorial, próximo ao que no passado fora idealizado por   Alexander Scriabin, artista místico, na obra inacabada Mysterium.
Festa para todos os sentidos, como antes nunca vista naquela região imbuída de  rotina restrita  e  meditativa.


Percepção Pessoal
Yin -Yang
Rapidamente espalhei sobre a pele o líquido levemente amarelado e...  Na expectativa da sucessão de notas olfativas  percebi  surpresa uma progressão de vestimenta predominantemente  masculina, e amadeirada.
Talvez esperasse algum acorde etéreo, impreciso, fluido ou aerado, contudo  recebi a natureza da montanha em sua complexidade, impactante e palpável.
Obscuridade contemplativa  mesclada com  agreste incisivo, rápido, condimentado e racionalidade clara das madeiras.
Fiquei a imaginar  se a inspiração criadora teria sido o silêncio revelador de recantos meditativos no mosteiro.  Local construído com pedras e madeiras, encravado na montanha, rodeado pela imensidão do céu azul, do ar gélido e rarefeito de terras altas.
Talvez uma releitura  da história  milenar,  contada pelo odor impregnado nas vigas, assoalhos e esculturas.
Rapidamente fui arrebatada no torvelinho amadeirado, na  diversidade de madeiras.
Entretanto, assim como as forças de Yin e Yang fluem,  a fragrância evoluiu.
Dos interiores sombreados e frescos absorvi o odor da terra, de vestes e tecidos rústicos, da essência e  suor dos corpos... Do horizonte infinito aspirei a leveza.
Lufadas de ventos frescos  renovam a composição,  e levemente trazem odor de flores, doces e suaves.
Revelam tímido animus feminino que dança livre pelas montanhas pousando aqui e ali.
Nestes momentos a fragrância é tênue no floral  picante e adocicado embora não abandone a vocação terrosa e animalic.
Existe mistura  agridoce temperando as madeiras  incensadas, desenhadas pelos ventos  gélidos, revigorantes, porém doces.
Arquetípicos da natureza em claro e escuro, fresco e denso, ar em movimento sobre madeiras centenárias.
Flores suaves que passeiam sobre corpos e madeirame, levemente aquecidos ao sol.
Masculino incisivo e dominante versus tímido e persistente ciciar feminino.


Ficha Técnica.

Família Olfativa: Aromático amadeirada, 2015
Gênero: Unissex
Perfumista: Michel Roudnitska
Rastro: Intenso a moderado
Fixação: Muito Boa

Notas olfativas: Cipriol indiano ou nargamotha, nardo do Himalaia, jasmim indiano, frankinsence, madeira de sândalo, patchuli, notas ozônicas.


A fragrância está disponível em edição limitada, colecionável,  de 200 frascos  assinados pelo perfumista em embalagens de 30ml e 50ml.
Composição que carrega a  talentosa parfum signature de Michel Roudnitska.
Retrata do Himalaya  a montanha em sua expressão máscula e arborizada, embora inóspita,  bela, livre  e  transcendental.

Arte Irmã: Scriabin in the Himalayas.


Imagens: gentilmente cedidas por Scriabin In The Himalayas/ Michel Roudnitska.

segunda-feira, outubro 26, 2015

Scriabin In The Himalayas - Michel Roudnitska


Monastère de Thikse - por Michel Roudnitska

Num mosteiro ladeado por montanhas majestosas aconteceu um evento único, como antes não fora registrado.
Entre  as paredes silenciosas, onde os caminhos da meditação e espiritualidade não levavam à música, houve uma celebração da vida, expressada pelos cinco sentidos humanos.


Leh Ladakh - por Michel Roudnitska

No solstício de verão do Hemisfério Norte,  a comemoração do  centenário da morte de Alexander Scriabin, místico, compositor e músico russo,  proporcionou a apresentação de um espetáculo mágico. ( assista o trailer)
Scriabin deixou obra inacabada - Mysterium,  propondo um evento artístico que,  no ápice da interação entre várias expressões sensoriais, levaria à comunhão  com uma energia divina chamada Akâsa, cuja  vibração única manifestava características espirituais da respiração, som, luz e toque.


Monges tibetanos em "Scraibin In The Himalayas" - por Michel Roudnitska
 
Sonhava com espetáculo multi-sensorial, num  mosteiro, ao sopé das montanhas do Himalaia, o que se concretizou  em 2015;   baseado  no direcionamento  da sua filosofia mística.
Em Ladakh - Índia, nos terraços do Monastério ThikseScriabin In Himalayas encantou  monges, privilegiado e pequeno grupo de visitantes, escolares e moradores da região. Pessoas que nunca haviam imaginado ou  presenciado algo do gênero.


Michel Roudnitska - Monastère de Thikse

Talentosa e multidisciplinar  equipe movimentou o cenário tranquilo, acolhida pelos ventos gelados do Himalaia, na  altitude de aproximadamente 5000m.
Árdua tarefa pois apesar do calor humano ocorriam inesperados empecilhos provocados pela topografia, clima, atmosfera rarefeita ...
Neste cenário o perfumista e artista multi-sensorial, Michel Roudnitska  foi  responsável pela pontuação olfativa da apresentação,  em seis movimentos, dentro do tema "Fight for the Light",  auxiliado tecnicamente por José Martins.


Michel Roudnitska compartilhando a fragrância Himalaya com  monges tibetanos - foto de Joanna Niklas 

Após sete anos de viagens e pesquisas, ampliando sua percepção sensorial em culturas e ambientes diversificados, Roudnitska volta à criação na perfumaria, concebendo a fragrância representativa da  quinta-essência (quintessence) do magnífico  espetáculo: Himalaya.
 

Edição limitada, destinada aos colecionadores e estudiosos da perfumaria, compreende 200 frascos numerados e assinados pelo perfumista.
Imbuído da espiritualidade e serenidade das altas montanhas a fragrância unissex representa o frescor e pureza da sua atmosfera, a feminilidade e doçura  das flores,  a solidez das madeiras impregnadas de especiarias.


Retrato de vida do Himalaia.
Os acentos olfativos abrangem frankincense, condimentos, madeiras, âmbar, nargamotha indiana, jasmim indiano,  flor de jatamansi , patchuli, toques de baunilha, almíscar e nota ozônica.


Disponibilizado em frascos de 30ml e 50ml.

Imagens: Parte do acervo pessoal e reportagens de Michel Roudnistka; gentilmente cedidas.

Convivência na Blogosfera

Eventualmente organizamos  eventos virtuais que envolvem nossos  pares, os blogueiros perfumados.


Participação no Blog Perfumes e Etc de Gaelle (Nelci Sampaio), a mais antiga blogueira  de perfumaria em língua portuguesa   (leia o histórico em Weblogs  Brasileiros - Registro Histórico ); e a fada madrinha que me auxiliou nos primeiros passos da blogosfera...Nesta participação com o artigo Cores Aromas e Humores.



Artigo escrito para o Blog da  querida  Dâmaris O.B.S. - Village Beauté: Meu primeiro perfume...Nem Era Meu 


Daniel  Barros  iniciou uma série de entrevistas com seus colegas, autores de blogs sobre perfumaria.
Foi um prazer participar deste evento como entrevistada.
Confira no Ego In Vitro

sábado, outubro 24, 2015

Esclarecendo a Perfumaria - Michel Roudnitska

Conférence donnée à la Société Française des Parfumeurs le 18 septembre 2014 par Michel ROUDNITSKA et Olivier MAURE de la Société ART& PARFUM.
Cette 1ère partie présentée par Michel Roudnitska relate l'historique de la Société Art et Parfum, créée par Edmond et Thérèse Roudnitska en 1946 ainsi que son propre parcours de créateur de fragrances et de spectacles multi-sensoriels.

quinta-feira, outubro 22, 2015

Rêve de La Reine eau de parfum - Arty Fragrance


Espírito da Fragrância
Elisabeth de Feydeau além de perfumista é historiadora,  especialista  na monarquia francesa, com profundo conhecimento sobre o reinado de Luiz XVI e Marie Antoinette.
Analisando  antigos documentos encontrou o que parece ser solicitações da  imperatriz ao seu perfumista Jean Luiz Fargeon, expressando o desejo de que ele aprisionasse num balão o aroma do jardim Petit Trianon.
A história conta que ao ser coroado, após a morte de seu pai, Luiz XVI presenteou sua esposa, Marie Antoinette, (19 anos)  com o  chateau e jardim Petit Trianon,  que originalmente fora construído para a concubina de Luiz XV, Madame de Pompadour.
Solicitações da rainha modificaram  a estrutura do Petit Trianon, imprimindo ares de jardim inglês ao projeto de linhas rígidas e geométricas.  Na sequência o belo jardim ganhou na vizinhança um conjunto de edificações campestres chamado Humeau e ambos se tornaram o verdadeiro domínio de Antoinette.


A jovem imperatriz amava a natureza e a perfumaria em provável herança da infância e adolescência nos domínios austríacos, ricos,  porém menos sofisticados que a corte francesa.
Esta fragrância reflete o que poderia ser uma síntese do local... inúmeras flores, os pomares, o exotismo do Jardim Botânico, muito próximo, criado em 1759 no reinado de Luiz XV.
La Rêve de La Reine ou "O Sonho da Rainha" é uma composição floral idealizada no estilo de bouquet "mille fleurs" típico do século XVIII.
A imaginação nos leva aos roseirais da imperatriz, ao seu amado jardim em maio,  quando floresce a rosa centifolia, aos aromas cítrico e amadeirados , transportados pelo ventos, talvez temperos e condimentos das hortas de Hameau

Percepção Pessoal. 
Rêve de La Reine ...Rico, intrigante, prolixo e vintage.
A cada momento de experimentação permite uma sensação diferente.
Inicialmene desperta atenção  pelo acorde cítrico, denso, doce e picante,  evoluindo lentamente  na pele se comparado com a fragrância sobre o papel.
Interessante paralelo, como se em substrato diferente as notas saltassem afoitas.


Mais tarde, vestindo o perfume,  e assistindo uma atriz em cena dramática ambientada no século XIX, cujo traje leve de seda  ondulava ao vento no alto de um penhasco, admirei-me do esvoaçante lilás e associei aos movimentos desta fragrância.
Flores brancas tingidas pela cor  intensa da rosa centifólia e finalmente subjugadas pelo seu impacto...Pensei na doçura do benjoim, no empoeirado fresco da íris, pimentas que vão e vem realçando agrestes e verdolengos cítricos...poderíamos pintar um quadro lírico e romântico com estas notas,  em variações de magenta.


Creio que suas modulações também são influenciadas pela variação climática. 
Na minha cidade, instabilidades de primavera fizeram a temperatura oscilar 12ºC à 14ºC em 1 hora de tempestade, e percebi que minha interpretação das notas igualmente se modificou
Duas possibilidades: Muda o nariz  com a mudança climática ou muda a expressão da fragrância.


Em determinados momentos o bouquet assombra, nostálgico, vintage. Noutros, em semelhante espaço de tempo evolutivo, torna-se doce, cremoso e dengoso, apesar do verde frescor, cítrico, picante e  cristalino.
Entretanto sempre foi possível entrever junto ao floral efeitos da fava tonka, doce em tênue aroma de coconut e sabonete de toucador.
Rêve de La Reine se afirma  na concepção de floral clássico.


Peculiaridades 
O frasco idealizado para a primeira fragrância pessoal de Arty Fragrance é a expressão dos desejos de Marie Antoinette. Um delicado balão estilizado concebido em tons de dourado e madrepérola finalizando no borrifador elegante sugere o conteúdo floral de jardim rico e profuso.

Ficha Técnica
Classificação: Floral, 2014
Gênero: Feminino
Perfumista: Elisabeth de Feydeau
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Bergamota, laranja, petitgrain, tangerina, pimenta preta, groselha 
  • Coração - Gálbano, absoluto de rosa de maio, íris.
  • Base - Citronela, cedro, madeira de sândalo, benjoim, patchuli, fava tonka, almíscar.


PS: Além de laureada historiadora, Elisabeth de Feydeau é autora ( Scented Palace: The Secret History of Marie Antoinette's Perfumer)  e participou, junto de Francis Kurkdjian,  da recriação de um perfume, possivelmente usado por Marie Antoinette,  Sillage de La Reine.


Arte Irmã: Na pintura de Jules Girardet - Le Temple de L'amour et Le Petit Trianon

* Você encontrará este produto na e-boutique da marca com entrada disponível aqui!

Imagens: Colagem de Elisabeth Casagrande, desenho de plantas de Wikipedia, imagens de Petit Trianon - domínio público, manutenção de Petit Trianon (copied), imagens de Rêve de La Reine gentilmente cedidas por Arty Fragrance.


terça-feira, outubro 06, 2015

Noir Exquis eau de parfum - L'Artisan Parfumeur


Conceito
Na minha cidade existe uma confeitaria tradicional, cujo cardápio se mantém fiel há anos. E o aroma também. Inconfundível, familiar, confortável e apetitoso .
Imagino que a french patisserie inspiradora  para Noir Exquis eau de parfum seja similar.
Ambiente onde  aroma sutil de café está mesclado ao mel de sirup das torradinhas e panquecas, talvez alguns doces de chocolate com pimenta.
Couro macio e um pouco gasto de antigas poltronas revela quão é tradicional, enquanto árvores na praça em frente transmitem aroma verde e outonal, das folhas que rodopiam ao vento.


Percepção Pessoal
Na primeira borrifada fui invadida pela confeitaria. Todinha ao mesmo tempo. Doces de todos os tipos unindo os confeitos, a baunilha e o chocolate.
Xarope de bordo provavelmente está representado nas lufadas  amadeiradas que entremeiam tanta doçura.
Imagino que as alfinetadas picantes sejam expressões cítricas, porém evocam sopros ocasionais de pimenta, igualmente amadeirada.
Nesta fase podemos entrever o fundo resinoso, ligeiramente canforado e ardido. Quase medicinal.
Em certos momentos este acorde  se volta para a tradicional dobradinha patchuli / vetiver.
Enquanto  a doçura explícita suaviza,  notas picantes e verdes se delineiam, e dominam a cena.
Mas antes há o café...
Americano, europeu, doce e aditivado, porém não brasileiro. As genuínas cafeterias brasileiras tem outro aroma. Aqui o café reina soberano, forte, intenso e solitário.
Outro equívoco é o mel de sirup. Tênue embora perceptível no seu odor sui generis. Surpreendi-me lendo comentários que dizem ser necessário comê-lo para sentir o aroma, quase inexistente (?). Talvez pelo fato de não estarmos acostumados com este mel de árvore, no Hemisfério Sul, quando posso apreciá-lo,  percebo o cheiro doce amadeirado muito rapidamente. Diferente do mel de abelhas.
A wibe doce prossegue, apimentada, temperada com folhas, raízes, picância adornada pela adição de baunilha, fava tonka e heliotrópio, também conhecido como jasmim chocolate
Naturalmente cítricos dão o toque necessário de frescor desde o início, contrabalançando a orgia açucarada, evidentes na base.
Elegante, vibrante, Noir Exquis traz no drydown assinatura de couro e chocolate em ambiente enfumaçado.


Prós e Contras
Unissex, cairá bem nas peles femininas e masculinas. Não corresponde totalmente ao nome... Noir. Apresenta uma paleta colorida em tons do bege ao marrom, entremeado de vermelho, verde e preto.
Saída intensa, promete  sillage arrasadora, entretanto fecha sobre a pele, intimista. Fixação conforme o esperado em boas marcas.

Similaridades.
Algumas notas conhecidas do público no arranjo harmonioso, de boa qualidade. Em alguns momentos vislumbrei toques dos gourmandises Tom Ford, Trussardi (Inside) e  Thierry Mugler. Noir é mais complexo. Leitores expressaram familiaridade com By The Fireplace de maison Martin Margiela, L'Homme Ideal de Guerlain.


Ficha Técnica
Família Olfativa: Oriental baunilha, setembro de 2015.
Gênero: Unissex
Perfumista: Bertrand Duchaufour
Rastro: De intenso à moderado
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa

  • Topo - Castanhas, laranja
  • Coração - Flor de laranjeira, café, xarope-de-bordo
  • Base - Heliotrope, madeira ébano, madeira de sândalo, baunilha, fava tonka 
Arte Irmã - A decoração aconchegante, tradicional e intimista dos cafés de Buenos Aires.


Imagens: Café Tortoni e Café Buenos Aires - Buenos Aires /Argentina

segunda-feira, outubro 05, 2015

Euphoria Men - Calvin Klein


Conceito - Propõe aroma moderno, fresco e amadeirado

Percepção pessoal: Condimentos cativantes no início, gradualmente substituídos por doçura ambarada, suave revelando toques de camurça. A presença de notas amadeiradas é menor do que o esperado. Fresco no início torna-se mais doce e intimista no final.


Prós e Contras - Agradável e casual , não compromete, porém passa longe da originalidade, apesar de elegante. Fixação e sillage medianas.

Similaridades - Leitores citam David Beckham Signature, Black Suede Touch Avon, Fashion Provo de Linn Young.


Ficha Técnica 
Família Olfativa: Aromática amadeirada, 2006
Gênero: Masculino  
Perfumistas: Carlos benaim, Loc Dong, Jean-Marc Chaillan
Rastro: Moderado
Fixação: Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Gengibre, Pimenta 
  • Coração - Basilico, sálvia, cedro
  • Base - Âmbar, patchuli, pau-Brasil, camurça

Arte Irmã: Uma quadrinha popular sobre o cotidiano...

VOCÊ ME MANDOU CANTAR
PENSANDO QUE EU NÃO SABIA 
POIS EU SOU QUE NEM CIGARRA 
SEMPRE TODO DIA.

sexta-feira, outubro 02, 2015

Skyline de Perfumes.


Aquarela com skyline de perfumes.
Mimo da arquiteta urbanista e artista Maria do Rocio Rosário, também admiradora  da perfumaria.
Apreciei imensamente.

Niche Perfumery versus Luxury Perfumery


Perfumaria nicho é um rio caudaloso com muitas ramificações. Alguns afluentes fortes quase caracterizam o rio principal.
Conforme  a abordagem em outro artigo podemos deduzir que compreende inúmeros caminhos, como a perfumaria botânica por exemplo, que utiliza estritamente  matéria prima natural. Óleos, ceras, concretos  e extratos botânicos.
Entretanto uma questão foge a classificação de acordo com natureza das composições ou  fórmulas.


Existe luxo em toda fragrância niche?
Sim e não!
Há luxo se pensarmos em concepção primorosa, na escolha cuidadosa dos componentes naturais, no longo tempo dedicado a pesquisa,  na elaboração talentosa da fórmula. Neste caso nos deparamos com a luxuosidade do bem feito. Do especial que transcende valor monetário.


Este é o luxo da raridade, do minoritário que caracteriza trabalho de poucos.   Do produto de artesão/artista que não se preocupa apenas com a larga escala e uma curva ascendente de lucro.
Faz pela coisa em si. Faz com amor, ou por amor. Pratica uma vocação, ou talento.
Difícil  de encontrar numa indústria multinacional, mas possível. Águas caudalosas com muitas direções...


O luxo inerente apenas  à concepção material difere do anterior, conceitual.
Caracteriza  o objeto que distingue  rico do pobre,  privilegiado do sofrido. É derivado do ato de obter um objeto de altíssimo valor,  não disponível à maioria da população. Símbolo de status que determina posição social e econômica.
Este objeto pode ser impecável, de alta qualidade... ou não. O importante é que seja raro, devido ao  alto custo monetário.


Uma fragrância pode ser  niche na concepção mais pura e conceitual e também luxuosa no sentido de  cara?
Acredito que sim!
Como disse perfumaria niche é um rio volumoso com muitos afluentes e  grande combinação de características.
Nesta ampla gama de composições  encontramos joio, encontramos  trigo,  e  algumas vezes encontramos magníficos  ovos dourados.

Imagens: Claire Marschack paints, gardênia amarela, "Here Comes Rain" by Diana Elena Chelaru, Golden coins, golden egg , chaff and wheat.

quinta-feira, outubro 01, 2015

Quanto Vale um Perfume No Brasil?


A perfumaria nacional oferece razoável opção em fragrâncias. Na maioria  inspiradas em sucessos internacionais.
Contudo o consumidor brasileiro é voraz quando se trata de cosméticos, produtos de higiene e perfumes.
Naturalmente a procura de clássicos e novidades se volta para outros mercados. E  o jogo de cintura leva inevitavelmente ao e-commerce,  pois  apesar das altas taxas alfandegárias, nada supera o  volume de impostos praticado dentro do Brasil. Para  a produção nacional e para importação. Taxas entre as mais altas do mundo.



Gráfico - Cotação do dólar entre setembro de 2015 e outubro de 2015.
* Dados obtidos em: Dolar Americano (USD) para Brasil Real ( BRL) - História

Quanto vale hoje uma fragrância Chanel para entrar no Brasil?
Hipoteticamente, usaremos como exemplo um Chanel, comprado em e-commerce de famosa loja americana,  que equivale ao preço praticado no site oficial da marca.



 Chanel N.5 de 100ml ou 3,4oz.

 Custo da fragrância no Brasil:

Em setembro de 2015 - USD 132  ==>  R$ 541,00  (no maior pico da cotação do  dólar)
Somando-se  o custo do envio  (hipotético ) em torno de USD 25  ==> aproximadamente R$ 102,00

Custo do perfume ao chegar no Brasil ==> R$ 643,00
Sobre este valor incide 60% de taxas da Receita Federal ou um acréscimo de R$ 386,00. Se houver sorte e não entrar na amostragem passa ileso.

Custo final ==> R$ 1029,00  =  USD 251  o que equivaleria a  aproximadamente  130%  de um  salário mínimo de trabalhador brasileiro ( R$ 788,00  =  USD 192).

Se usarmos como referência o ganho mensal mínimo (*) de um trabalhador americano ( R$ 4.756,00  = USD 1.160 ) a mesma fragrância custaria  aproximadamente 11%  deste salário.

A conclusão é que  está cada vez mais difícil comprarmos nossas fragrâncias preferidas...

Imagens: Dolar de freedomoutpost. Chanel N 5

* Algumas marcas líderes do mercado internacional estão assumindo custos de envio e parte dos impostos ( diminuindo lucro). Provavelmente para não sair do nosso mercado como outras famosas já fizeram. Uma lástima que estejamos em tal situação.

Arte irmã? Talvez na poesia...







terça-feira, setembro 29, 2015

Fendi Donna eau de parfum - Fendi


Inebriante do princípio ao fim não nega a suntuosidade palaciana que lembra tons róseos de mármore, porcelana fina leitosa, requintada em filigramas dourados.
Início adocicado e quente onde especiarias atravessam flores num equilíbrio delicado que não facilita a distinção.
Condimentos poderiam refletir cálido coentro ou o picante cardamomo, praticamente um gengibre, embora entre uma e outra ondulação afirme-se o cravo da índia.
Flores em profusão.
Todo um bouquet perfumado e competitivo de cada flor querendo revelar antes sua doçura e intimidade.
Ylang ylang cativa o olfato imediatamente, embora a rosa exale seu fascinante aroma, ambas seguidas de jasmim, lírios no seu delicado frescor, talvez gerânios e íris.


Não há dúvida que o enlace mais poderoso é estabelecido entre as duas primeiras,  doces e sofisticadas.
Digno de ambientes refinados, luzes de crepúsculos, intensidade noturna onde se faz ouvir o burburinho de festas regadas a cocktails de bourbon, ou cristalinas e borbulhantes taças de champagne.
Evolui forte na vocação floral chypre, revelada desde o inicio, afirmando-se num conjunto de notas amadeiradas, incensadas, onde odor característico, de frescor contido, que existe no musgo-de-carvalho, associa-se a resinas indefinidas
Acordes de base denotam a presença de cedro, sândalo, aveludado âmbar e naturalmente o almíscar abaunilhado. Nesta fase há presença de  acento empoeirado, semelhante a talco.
Luxo para os sentidos faz aflorar a sensação de feminilidade madura, elegante, dominante.
Provoca a vontade de se cobrir de sedas e de algum adereço dourado, notável pela discreta elegância, não pelo brilho ostensivo.
Fendi Donna por si só é suficientemente provocativo. Ilumina e impressiona pela sillage perturbadora.
Perdura, acarinha nos acordes finais, suavemente amadeirados, que ainda conservam leves resquícios das flores do início.


Numa sonhada visita a Roma usarei Fendi para visitar uma galeria de arte, contemplar uma Igreja centenária, em seu esplendor renascentista, ou simplesmente saborear uma taça de frascati di Lazio come una donna di mondo.

Similaridades
Não existe grande similaridade, cada qual tem sua essência ou espírito, mas quem aprecia Le Baiser du Dragon, Knowing, Diva tem grande probabilidade de encantar-se por Fendi Women. E vice-versa. Apreciadores indicam em revista on line a semelhança com Le parfum de Sonia Rykiel, KL de Karl Lagerfeld e Luciano Soprani de Luciano Soprani



Família Olfativa: Chypre floral, 1985
Gênero: feminino
Designer: Fendi
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa
  • Topo - Coentro, aldeídos, cardamomo, tangerina, bergamota, limão, pau-rosa brasileiro.
  • Coração - Rosa, ylang ylang, jasmim, cravo, lírio-de-maio, cipreste.
  • Base - especiarias, couro, madeira de sândalo, tonka bean, âmbar, patchuli, vetiver, cedro, musgo-de-carvalho, almíscar.
Comentário V.I.P.
Gosto
Fendi Donna me passa a impressão de ser um bouquet de flores brancas embalado em nada menos que finíssima camurça caramelo. Assim a explosão cremosa e floral encontra a maciez e a profundidade do cheiro da embalagem desde o primeiro momento. É macio e gentil como um abraço, quente e doce como um beijo, evolui calma e discretamente como uma dança lenta em que o mesmo tema soa até o final. E, não só as mulheres, eles podem usá-lo perfeitamente; destaca o lado mais intuitivo, mais sutil. Apesar de não se poder colocá-lo no calor, apesar de evoluir pouco, apesar de passar do ponto com uma borrifadinha a mais, apesar de tudo isto serem apenas impressões, a riqueza e a elegância deste perfume o tornam um dos mais adoráveis que conheço.

Aretê

Arte Irmã: Dio Come Ti Amo - Gigliola Cinquetti



Imagens: Publicidade Fendi - couleurparfums e Piazza San Pietro - Roma - by Gaston Batistini

Resenha reeditada - Postagem original em04 de abril de 2009, sábado.


sábado, setembro 26, 2015

Arty Fragrance by Elisabeth de Feydeau - Versailles

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj

" Fragrances are  imbued with the magic to transport us. In a split second their nuances, their accents, and their vibrations sweep us away into either the past or the future.
An echo between experience and reminiscence, they awaken the memory and stir up images of life in the past. It is this presence within absence that I enjoyed recreating..."

Elisabeth de Feydeau

"Fragrâncias são imbuídas de magia para nos transportar.  Em uma fração de segundo suas nuances, aromas e vibrações nos transportam tanto para o passado como para o futuro.
Eco entre experiência e reminiscência elas despertam a memória e provocam imagens da vida no passado. É esta presença dentro da ausência que me agrada recriar.

Elisabeth de Feydeau
 
http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj

História
A descoberta do poder emocional de uma fragrância aconteceu para Elisabeth de Feydeau, quando tinha 16 anos, experimentando L'Heure Bleue de Guerlain.
Seus estudos a respeito de perfumaria  levaram-na  ao doutorado  na Universidade Sorbonne de Paris (1997) com o tema " De L'Hygiène au réve: L'industrie francaise du parfum, de 1830 a 1945."
Aprendizado sobre ingredientes e formulações utilizadas em perfumaria se deu enquanto  gerenciava os departamentos culturais de Chanel e Bourjois e no treinamento  olfativo frequentando o Laboratoire des Parfums .
Em 2010 foi nomeada para  membro de Artes e Cultura do Ministério de Cultura Frédéric Mitterrand. Em 2013 recebeu um prêmio de mérito na categoria de empreendedora de CEW (Cosmetic Executive Women).

Conceito da Marca
Embasada no conhecimento teórico/prático adquirido criou em 1998 a companhia especializada em desenvolvimento cultural e consultoria olfativa. Prosseguindo nesta área de empreendimentos, inspirada no Chateau de Versailles e no espírito barroco do século XVIII, surgiu a coleção de fragrâncias Arty Fragrance by Elisabeth de Feydeau.

Produtos
Na boutique da marca está disponibilizada variedade de produtos que abrange perfumes, velas aromáticas, perfumadores de ambiente, difusores, campânulas de vidro decorativas e kits.
Embalagens e fragrâncias  inspiram-se  nos aromas tradicionalmente usados nas cortes imperiais francesas e de personagens como  Marie-Antoinette, Luis XIV,  Luis XVI e La Pompadour.

Eau de Parfum 

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj


Rêve de la Reine

Notas olfativas: Cítricos, notas frutadas, notas verdes,  pimenta, bouquet floral, pimenta, madeiras,  benjoim, patchuli, fava tonka, almiscar.

Velas Aromáticas

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj


- Collection Royal: Homenagem ao savoir faire e ao tradicional artesanato  francês.

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj


- Collection de La Cour: Inspirada na corte imperial de Luis XIV,  Versailles.

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj


- Collection Baroque: Inspirada no refinamento, nas artes da idade de ouro, século XVIII, e no estilo a La Pompadour e corte imperial de Luis XVI

* Cada coleção apresenta vários aromas.

Aromatizadores de ambiente

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj


Várias das fragrâncias da marca estão disponibilizadas em sprays ou difusores para varetas.

Câmpanula de Vidro
Tradicionalmente usadas como estufas para plantas , no conceito moderno para decoração  se prestam à cobrir vários objetos compondo  um ambiente.

http://www.arty-fragrance.com/#!e-boutique/c1ocj


As campânulas são oferecidas com o logotipo da marca em dourado, ou personalizadas.

Kits ou Cofretts


A caixa Mousseline et Chou d’amour é um tributo à maternidade e à infância. homenagem à Marie-Antoinette que era mãe terna, amorosa e carinhosa e adorava flores e perfumes.

VENDAS
Visite a e-boutique de  ARTY  FRAGRANCE. Apaixone-se!

Ao comprar na e-boutique de Arty Fragrance cite o  código PERFUMEBIGHOUSE.
Para entrar clique em qualquer imagem ou AQUI.