Pin It button on image hover

domingo, fevereiro 17, 2013

Águas de Verão Damas - Companhia da Terra

 Rio de Janeiro - Foto de Marcos Estrella

Sábado, cai a noite quente.
Raras estrelas piscam entre nuvens densas, enquanto trovoadas abafadas  circundam a cidade.
É verão de  águas  que surgem repentinas e fortes carregando ladeira abaixo os cheiros de terra, folhas  e asfalto.
Ventania rodopiando entre galhos a provocar  o bailar frenéticos das árvores.
Fascina, inebria e amedronta antes de esmaecer no ritmo monótono sobre os telhados.
Águas de Verão Damas de Companhia da Terra  carrega esta força surpreendente  das tempestades de verão.


Abre-se verde, acidulada sob a têmpera do gálbano, suavizado por toques brandos de flores, talvez violetas, jacintos e narcisos.
Tênue,  névoa de canela paira sobre o ar no prenúncio da força das águas, que se derramarão sem transferir  umidade para a pele, apenas trazendo o aroma inebriante de especiarias enfumaçadas, do coentro envolvido pelo benjoim, incenso, myrra e civeta, resultando na fragrância que mescla ambiente urbano e campestre.
Repentino vislumbre aromático de grande metrópole rescende a  bancos de couro de carros novos, invadidos pela brisa que traz  o aroma das ruas após a chuva, e gradativamente adquire suavidade de seda.


Delicada, empoeirada, guardada em  baús, como preciosas lembranças de outrora, em cujas dobras se escondem íris, almíscar e âmbar.
Adquire  coloração doce  e quente  no rastro das especiarias, das madeiras semi encobertas, respingadas de patchuli e musgo.
Acento sofisticado, cálido e citadino que vem  entremeado pelo aroma dos campos, de troncos e raízes.


Sem dúvida merecedor do requinte duma première de gala no Teatro Municipal, talvez descontraída maratona pelos bares  restaurantes da Orla Bardot, ou  da rua das Pedras,  na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.


Família Olfativa: Oriental Seco Amadeirado, 1976
Gênero: Feminino
Perfumista :Ricardo Penafiel Malta
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Gálbano,  alecrim, violeta
  • Coração -  Coentro, canela, couro, narciso, jacinto, orris
  • Base - Cipreste, benjoim styrax, civeta, patchuli, musgo, almíscar, âmbar branco


PS: Algumas notas de Águas de Verão Damas reviveram lembranças do descontinuado Mystere by Rochas, meu parfum signature nos anos 80!

Arte irmã: Asfalto  (poesia lusitana - Cristina)

Tenho fome de poema
Sede de poesia
Neste tempo só há um verbo
Que me tira da melancolia
Rosto
Retratado
nume
Silvestres
Nudez do dia

No asfalto
Se perde
Nesta correria

Arte Irmã: Garota de Ipanema de Tom Jobim - Intérpretes: João Gilberto, Astrud Gilberto e Stan jetz





sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Darma - Armazém Natural da Terra


 " O homem forma-se segundo a terra;
 a terra forma-se segundo o céu;
o céu forma-se segundo o Tao;
o Tao forma-se segundo a Natureza". ( Tao te Ching)

Dharma ou virtude, em transcrição literal do sânscrito e do páli, significa "Lei Natural" ou "Realidade", alicerce para a filosofia e religiosidade das culturas orientais, principalmente indiana.
Ramifica-se nos caminhos que procuram retidão, harmonia e interação com a Natureza.


Armazém da Terra Saboaria percorre esta trilha  quando Ju Monteiro executa um  ritual  de preparação física e espiritual, antecipando o momento criativo, ao  elaborar sabões artesanais e o que carinhosamente chama de "cheirinhos", compostos perfumados com óleos essenciais naturais, isentos de conservantes químicos.
Embrião de perfumaria niche  mescla o conceito da terapia natural com forma e beleza da composição artística.


 Darma reflete fluidos  místicos do oriente na tríade de  bergamota, patchuli e cedro, temperado e adoçado pela encantadora lavanda.
Se comungar com a Natureza é mergulho de retorno às origens,  observação pura e simples, lida diária da terra,  manipulação de seus frutos, e meditação, igualmente compartilhamos origens no simples ato de se perfumar.


Quando envolvidos  pelos aromas que vem  deste seio farto despertamos sentimentos, emoções e presenteamos o espírito de  bálsamos benfazejos.
Bergamota se traduz em auto confiança, cedro fornece estrutura e força, concentra energias , patchuli prepara o espírito para mudanças e lavanda despe corpo e mente das impurezas.


Ju Monteiro se alinha fielmente à proposta de perfumaria niche, comumente enraizada em conceitos de terapias  não alopáticas.
Inspiração e exemplos vívidos que encontramos no exercício da alquimia de Jeanne Rose, Mandy Aftel e Yosh Han, entre outros inúmeros mestres e perfumistas artesanais, que aliam fundamentos de Aromaterapia e filosofias orientais à criação de fragrâncias.


Família Olfativa: Cítrico amadeirado, 2012
Gênero: Unissex
Perfumista: Ju Monteiro
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Notas Olfativas: Bergamota, patchuli, cedro, lavanda


Na parceria de arte irmã  o "poeta maldito" expressa tais idéias com beleza e maestria:

" Alguém encontra um frasco, e de uma borrifada
Um espírito, agora renovado e vivo, se derrama
Mil idéias adormecidas, lúgubres e crisálidas
Tremendo nas sombras como jovens borboletas,
Que se põem a voar, as asas enrugadas se abrindo
Em tons de azul, sopros de rosa, e faíscas de dourado". ( Charles Baudelaire)

Vídeo:  Kitaro silk Road


Imagens: Taoísmo and Chi - Wikipedia; Dharma em sânscrito e páli; Frasco de Darma - Armazém da Terra e Saboaria, foto Elisabeth Casagrande; Forest InNatura;Frasco de Darma - Armazém da Terra e Saboaria, foto Elisabeth Casagrande; Frasco de Darma - Armazém da Terra e Saboaria, foto Elisabeth Casagrande; 

Compre qualquer produto em Armazém Natural da Terra - Saboaria Artesanal usando o código BIGHOUSE

quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Fleur Oriental - Miller Harris


" Sonho-me às vezes rei, n'alguma ilha,
Muito longe, nos mares do oriente,
Onde a noite é balsâmica e fulgente
E a lua cheia sobre as águas brilha..."

É preciso sonhar, velejando através do sono, nas profundezas de um livro, no mergulho da taça de vinho rubro e cálido, ou no devaneio do fulgor disfarçado das estrelas.
Seja quimera  visceral ou transcendental que venha colorida, melodiosa e perfumada.


Fleur Oriental edp acena forte para o devaneio através de ardor cítrico, quente e doce prometendo contornos dourados e resinosos.
Fulgor rapidamente  embaçado pelas notas balsâmicas que afluem apressadas, contendo a acidez inicial, sugerindo consistência e obscuridade.


Contudo, a nuvem incensada, que ensombrece o brilho ácido, adquire leveza a medida que se enriquece no bouquet suave,  polvilhado com cravo, canela e baunilha.
Somam-se toques aveludados de rosa à macia cremosidade do heliotrópio, em acordes adocicados  de equilibrada elegância.
Âmbar e almíscar acrescentam ondas de suavidade, personalizados no fundo picante e amadeirado reflexo de  incenso, benjoim e apimentadas madeiras,  acomodando ínfimas pinceladas de patchuli, talvez dissimulada civeta.


Fleur Oriental by Miller Harris estampa a riqueza do oriente, contudo não abandona a sabedoria das medidas parcimoniosas, do mesclar suave e contínuo de tons e harmonias.
Inebriante na abertura, acordes  perdem  ímpeto tal qual  a onda que se quebra desajeitada para mansamente afagar  a areia, como a se desculpar do estrondo que anunciou sua chegada.


Delicada e suave é a fragrância que esmaece paulatinamente provocando  sensação lânguida de conforto e hipnótica sedução.
Bonita e bem estruturada se destina ao desfrute egoísta tanto quanto ao desfile nas sofisticadas ocasiões sociais.
Comentários de aficionados remetem  Fleur Oriental ao estilo de Shalimar  Leger.


Família Olfativa: Floral Oriental Especiado, 2000
Gênero: Feminino
Perfumista: Lyn Harris
Rastro: Intenso à moderado
Fixação: Muito Boa
Notas Olfativas: Cravo, flor de laranjeira, âmbar, almíscar, jasmim indiano, rosa da Turquia, heliotrópio, baunilha.



ARTE IRMÃ
Sonetos - Sonho Oriental ( Antero de Quental)

Sonho-me às vezes rei, n'alguma ilha,
Muito longe, nos mares do oriente,
Onde a noite é balsâmica e fulgente
E a lua cheia sobre as águas brilha...

O aroma da magnólia e da baunilha
Paira no ar diáfano e dormente...
Lambe a orla dos bosque, vagamente,
O mar com finas ondas de escumilha

E enquanto eu na varanda de marfim
me encosto, absorto n'um cismar sem fim,
Tu, meu amor, divagas ao luar,

Do profundo jardim pelas clareiras,
Ou descanças debaixo das palmeiras,
Tendo aos pés um leão familiar.

Imagens: A Sea Spell de Dante  Rossetti, 1877; Composição com frasco de Fleur Oriental e aux Tin Drop de Antique Gold;  Composição com frasco de Fleur Oriental e tapeçaria de Tulyon Nyx; Spiritual Candle - Buckley e Phillips; Frasco de Fleur Oriental; Amostra de Fleur Oriental by Miller Harris -Perfumer London por Elisabeth Casagrande