Pin It button on image hover

quarta-feira, novembro 07, 2012

Água de Verão Cavalheiros - Companhia da Terra


No decorrer do ano 1974  Tom Jobim gravou em Los Angeles o  long play  Elis & Tom com  Elis Regina, talentosa intérprete da  belíssima composição - Águas de Março.
Anos revolucionários, reinado dos festivais de música, poetas e botequins, serestas,  ginga carioca, e de garotas que herdaram a Ipanema de Leila Diniz.
Como disse o poeta Drummond: -" Sem discurso nem requerimento, Leila Diniz soltou as mulheres de vinte anos presas ao tronco de uma especial escravidão."
Década pródiga em renovação de conceitos e criatividade  artística...


Rio de Janeiro era cenário fecundo para todas artes e, na serrana e bela cidade  Petrópolis, Ricardo Penafiel Malta, cujos pais mantinham laços de amizade com Jobim e Elis Regina exercitava sua paixão pelas artes.
Das  andanças pela Europa Penafiel trouxe fórmulas e conhecimento sobre o preparo de perfumes, adaptados para criar uma fragrância pessoal utilizando bioativos nacionais e importados. Da terra natal absorveu musicalidade, cor e aromas .


Assim, homenageando a música Águas de Março surgiu Águas de Verão, perfume masculino, carro chefe da marca Companhia da Terra fundada no ano em curso, 1976.
Composição de evolução complexa, acompanhando o impressivo estilo aromático  peculiar das décadas 70 e 80, interage ricamente com a pele, na ambivalência de tons quentes e frios.
Inicialmente desprende aroma cálido, doce, especiado e animalic mantendo ao fundo certo frescor orvalhado como um bouquet atado por  feixe de cardamomo, coentro, cítricos e enfeitado por ramos de alfazema, toques de gerânios.

 Vagarosamente estas notas ressaltam o acorde de couro macio, enfumaçado e picante expressando   doçura de canela, cravo e baunilha.
Luvas de couro perfumadas, um clássico da perfumaria!
Entremeando o acento leve, ainda presente,  das frutas cítricas e ervas verdes iniciais insinuam-se acento terrosos, herbáceos e úmidos de patchuli e vetiver.
Compartilham suas características com madeiras enfumaçadas na queima da mirra, e na caliência do benjoim, devidamente embalados pelo almiscar ambarado de hibiscus.


Em evolução lenta e cadenciada  nos surpreende com passos inesperados surgidos no calor do corpo, ou  nas  lufadas de vento que recebemos, tal qual  diferentes arranjos numa roda de viola, onde  músicos habilidosos renovam antigos chorinhos e sambas.
De sillage impressiva e fixação sólida, o líquido âmbar encerrado em frasco vintage revela na cor e aroma a procedência natural de alguns óleos, que caracterizam  Águas de Verão de Companhia da Terra como fragrância atemporal  para se usar de janeiro a dezembro.
Nas águas de março, nos ventos de julho, no colorido de outubro...pois  muito tempo depois de aplicado deixa resíduos verdes e frescos das folhas, das raízes, como se transmutasse de estação, mês a mês.


Família Olfativa: Fougere amadeirado, 1976
Gênero: Masculino
Perfumista: Ricardo Penafiel Malta
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Notas Olfativas: Cítricos, coentro, cardamomo, alfazema, rosa, jasmim, ylang-ylang, canela, cravo, baunilha, vetiver, patchuli, mirra, benjoim, âmbar branco, couro, cedro.


Vídeo: Águas de Março - Elis regina e Tom  Jobim - Gravação do álbum Elis e Tom


Imagens: Fotos de Elisabeth Casagrande; imagens gentilmente cedidas por Companhia da Terra; Fazenda Marambaia - Petrópolis/ Rio de Janeiro/Brasil no paisagismo de Burle Marx -  projeto em 1949.

sexta-feira, novembro 02, 2012

Fleur de Figuier - Les Fleurs - La Collection Parfumée de Molinard


Verde quente e amadeirado de galhos ao sol proporcionando sombra perfumada e indolente.
No aroma dos figos que amadurecem  ouvimos o canto das cigarras, presesntimos chuvaradas de verão e sentimos no corpo a lassidão provocada pelos raios de sol.
Fruta doce, macia e sumarenta, cujo  sabor é  inexplicável, assoma nas primeiras notas de Fleur de Figuier de Molinard.


A princípio pungente acidez brilha sob a  doçura  apontando para notas cítricas e verdes quase masculinas. Fugaz, tempera a suavidade frutal que se instala vagarosamente.
Dos modernos laboratórios surgem  moléculas que emprestam a característica apaixonante de figos maduros,  folhas amassadas caidas sob a árvore, enquanto nota de cedro se insinua, ambarada, adocicada  em tênue almíscar.


Flores  explícitas não estrelam o cenário contudo subtil bouquet empresta suavidade aveludada a todo conjunto.
Figuier de Molinard se ampara em madeiras, ora sombrias, ora luminosas enfeitadas pelo verde da folhagem viçosa de gálbano, salpicada de acentos picantes.
Contudo em nenhum momento abandona a doçura frutal.


Família Olfativa: Floral Frutal Amadeirado, 1999
Gênero: Unissex
Designer: Molinard
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Laranja
  • Coração - Gálbano, folhas de figo
  • Base - Cedro da Virginia


ARTE IRMÃ
FIGOS - Lidia Borges

"Os figos já exibem
Seus sorrisos roxos e doces
Nos braços da figueira

Chegam-me às mãos dispostos
Em jeito de tentação
Sobre as folhas recortadas
Que um dia no Éden
Foram as vestes do Adão.

Carnudos e suculentos
Quando libertos da pele
São pura sedução
Uma carícia na boca
Um gordo pingo de mel
Pecaminoso

Tão bom!"


Sugestão de Leitura: La Feuille de Figuier por Angélique Villeneuve - Diferentes receitas para aproveitar o aroma das folhas de figueira.

Imagens: Fleur de Figuier de Molinard por Elisabeth Casagrande;  Oil Paint de Chalene Roake  Madden Museum of Art greenwood Village; Folha de figueira de Charle Lupica; Fleur de Figuier de Molinard por Elisabeth Casagrande; Capa do livro la feuille de figuier


terça-feira, outubro 23, 2012

Encens Flamboyant - Annick Goutal


- Chove a cântaros!
Derrama-se sobre a terra dos campos e cidades o véu enevoado e ondulante salpicado por contas translúcidas de gelo - Granizo ricocheteando pelos cantos enquanto o vento sibilante faz dançar a a cortina d'água sob o estrondoso ribombar dos trovões.
Rajadas frias vindas da região Antártica adicionam força ao ciclone extratropical que percorre o Sul da América e avança rápido, guloso por novas paisagens, deixando no rastro o tamborilar cadenciado da chuva sobre os telhados.


É noite de aconchego, de agasalhos macios, música suave, chávenas de chá e aromático incenso. Encens Flamboyant de Annick Goutal espalha sobre a pele aroma cálido adocicado e resinoso que embala sedutoramente.
Especiarias picantes mesclam notas amadeiradas prenúncio do incenso floral,enfumaçado elegante e refinado que emerge lentamente.


Troncos secando ao sol, madeira crepitando na lareira, acidentalmente temperada com minúslculos galhos verdes, intensos... Após o ímpeto caloroso inicial, a obscura sensação de fumaça se despreendendo morna, enfeitado por aroeira e noz moscada renova-se na simbiose com folhas frescas e úmidas, flores doces e delicadas.
Habita equilíbrio e sofisticação nesta fragrância, aliados à pungência da natureza que se agitou em fúrias de tempestade.  
Encens Flamboyant eau de parfum faz parte da tríade Les Orientalistes junto a Myrrhe Ardente e Ambre Fétiche.


Família Olfativa:Oriental, 2007
Gênero: Unissex
Perfumista: Isabelle Doyen e Camille Goutal
Rastro: Moderado
Fixação: Boa

Pirâmide Olfativa:
  •  Topo - Frankincense, aroeira, pimenta, frutas vermelhas
  •  Coração - Noz-moscada, frankincense, cardamomo, sálvia, 
  • Base - Bálsamo de abeto, frankinsence, lentisco ou aroeira

    Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse 

    Imagens: Pintura de Andre kohn;  Pintura de Joseph Sbukvic; Composição com cadeira Jan Schryburt, lentiscus e frasco de encens flamboyant por Elisabeth Casagrande; Foto de sample Encens Flamboyant por Elisabeth Casagrande

    VÍDEO: Alta Noite - Marisa Monte 

      domingo, setembro 30, 2012

      Companhia da Terra - Perfumaria Natural - Brasil


      * Perfumaria Imperial de Teresópolis - Rio de Janeiro
       
      Navegava em busca de literatura sobre fragrâncias quando acidentalmente me deparei  (e encantei) com a entrevista de Ricardo Penafiel Malta
      - "Em 1975 estive em Londres, onde conheci o trabalho de Jeanne Rose, uma das precursoras da aromaterapia, que também ensinava como fazer cosméticos naturais em casa. 
      As fórmulas, que chamava de receitas, eram a base de ervas e ingredientes vegetais frescos.
      Quando ela descreveu uma fragrância tipicamente inglesa, a partir de flores e semente, que não são nativas do Brasil, pensei em desenvolver uma fragrância genuinamente brasileira, que não fosse cópia , nem inspirada em nenhum perfume estrangeiro."

       Se esta é a filosofia da empresa que Ricardo Malta fundou em 1976 existe muita procedência quando se afirma que Companhia da Terra  foi a primeira empresa nacional a produzir perfumes e cosméticos naturais  no Brasil.
      Inicialmente  a composição primogênita, masculina  foi chamada Águas de Verão em homenagem a música  Águas de Março, de Tom Jobim, interpretada por Elis Regina, ambos amigos da família do empresário.
      Hoje  existe uma gama variada de colônias e eau de toilette que se destinam ao uso cotidiano num país tropical com grande diversidade de clima e costumes.
      Na descrição da perfumaria  fragrâncias  de alfazema, patchuli, ylang-ylang, capim-cheiroso, lavanda, entre outros aromas, contém óleos aromáticos puros.
      Além das inúmeras fragrâncias oferece linhas de sabonetes e águas perfumadas para roupa de cama.




      Imagens: Composições de E. Casagrande com imagens publicitárias obtidas no site oficial Companhia da Terra

      Vídeo:  Águas de Março - Elis Regina e Tom Jobim


       

      sexta-feira, setembro 28, 2012

      Bespoke Collection- Keiko Mecheri


      Bespoke é têrmo de uso britânico para designar um trabalho sob medida, inicialmente referindo softwares específicos. Neste contexto de perfumaria indica um estilo ou design  personalizado  e perfeccionista.


      Bespoke Collection by Keiko Mecheri, lançamento de 2012 traz sete fragâncias concebidas como  poema olfativo, baseado nas memórias e eventos cotidianos da perfumista,  em composições que primam pela qualidade da matéria-prima.
      Sete fragrâncias diferentes disponibilizadas em poucas e seletas perfumarias que podemos experimentar através do Bespoke Sampler Cofrett com frascos spray de 10ml.


      • Ambre Mirabilis: Intenso coração de âmbar
      • Bal de Roses: Rosa cálida e picante
      • Canyon Dreams: Incensado, enfumaçado e especiado
      • Cuir Fauve: Couro quente e atrevido nas especiarias 
      • Soussanne: Floral branco e etéreo
      • Tangeri: Masculino, impecável e sofisticado
      • Vetiver Velours: Vetiver polvilhado com alcaçuz.

      sexta-feira, setembro 14, 2012

      DÓ RÉ - Les Notes Gourmandes - Reminiscence Paris


      Reminiscências...
      Passos apressados confundiam respingos e gotas de chuvas nas calçadas que levavam ao Teatro Guaira, no centro da cidade, naquela tranquila  manhã de domingo.
      Outono de 1963, quase inverno, contudo a jovem senhora e  garotinha percorriam apressadas o trajeto de aproximadamente 2 km, ignorando  as intempéries.
      Motivada pela expectativa do ensaio final de dança clássica a pequena olhava através da cortina d'água  com a luz da paixão infantil.
      Ballet rescendia magia!
      Ensaiava arduamente, feliz, sob vigilância atenta  do professor Aroldo Moraes cuja dedicação se comparava a delicadeza da  esposa sempre presente.


      Família de parcos recursos, a mãe se debruçava diligente sobre a  máquina de costura, cuja cadencia no pedalar  embalava  o sono da casa enquanto  surgiam   camadas de tule branco em tutús  complementando  corpetes de cetim bordado.
      Fotos não há, infelizmente perdidas... nenhum registro de apresentações, ensaios ou tardes regadas a chá com  bolinhos cobertos de açúcar, na casa aconchegante onde se discutiam estratégias e passos  de dança.


      O casal de mestres vivia  pelo ballet  e contagiava as jovens alunas no constante  borboletear do Lago dos Cisnes de Tchaikovsky ao Guarani de Carlos Gomes, entremeado de  pequenos recreios,  buliçosos cancan e ragtime.
      Rebuliço vivaz circulava entre revistas, livros, imagens e histórias de  bailarinas famosas,  pas de deux, plié  e tragédias em echarpes coloridas.
      Lembranças impregnadas  no perfume adocicado e suave das pointes ( cobiçadas sapatilhas francesas) envoltas em longas fitas de cetim rosa, passando pela caixa de giz no  roçar que  produzia   tênue ruído ainda guardado na memória, código informal para iniciar o  frisson dos bailados.
      No aroma suave e inebriante das coxias circulava adrenalina, fôlego entrecortado, veludo e madeira de lei, enquanto saiotes rodopiavam provocando o tradicional frou frou.


      Dó Ré de Reminiscence Paris cheira a bailarinas,  descerrar de cortinas e ao cobiçado  bouquet de prima donna.
      Refinada e elegante a amostra de DoRé  satifaz o olhar aguçando curiosidade quase infantil pela fitinha de organza estampada em grafia dourada.
      Um convite que exala aroma suave dos papéis de carta  guardados no fundo do armário.
      Porém esta é  a reminiscência  que permanece, infindável, embebendo  a pequena folha texturizada  por muitos dias após  o rasgar de celofane..
      Inicia perfumando com o frescor leve  e amadeirado das notas verdes no acorde de figo, logo submisso à intoxicante mistura de baunilha, almíscar e fava tonka.
      Fase leitosa que desperta lembrança fugaz da doceria  de coconut em Sicily by Laura Biagiotti.
      Assim é.
      Doce  e láctea cremosidade que se derrama sobre generosa porção de amêndoas ou noz moscada escondendo  base amadeirada, seca, empoeirada, de almíscar e benjoim.


      Características hipnóticas que denunciam a presença de cumaru ou fava tonka, aromática semente rica em cumarínicos, cujo aroma doce e pesado lembra  mistura de baunilha, noz moscada, cravo e canela.
      Adorável  e inebriante, DóRé - Les Notes Gourmandes de Reminiscence Paris  entrou para o meu repertório.


      Família Olfativa: Gourmand -  Floral amadeirado, 2008
      Gênero: Feminino
      Perfumista: Zoe Coste e Jacques Flori  ( Robertet)
      Rastro: Intenso
      Fixação: Ótima
      Pirâmide Olfativa:
      • Topo -  Figo verde, notas verdes
      • Coração - Amêndoa, fava tonka, heliotrópio, madeira de sândalo, patchuli de Java, cedro da Virginia.
      • Base - Baunilha, fava tonka, benjoim, almíscar.

      ARTE IRMÃ
      A Dança e a Alma - Carlos Drummond de Andrade.

      A dança? Não é movimento,
      súbito gesto musical.
      É concentração, num momento,
      da humana graça natural.

      No solo não, no éter pairamos,
      nele amaríamos ficar.
      A dança - Não vento nos ramos:
      seiva, força, perene estar.

      Um estar entre céu e chão,
      novo domínio conquistado,
      onde busque nossa paixão
      libertar-se por todo lado...

      Onde a alma possa descrever
      suas mais divinas parábolaas,
      sem fugir a forma do ser,
      por sobre o mistério das fábulas

      Vídeo: Heliotrope Bouquet - S. Joplin e L. Chauvin


      Imagens: Frascos Reminiscence de Olfactoria files, Tutú de loja em Paris por Floatingwans, palco principal do Teatro Guaíra Curitiba-PR ( corte), pointes de Wikipedia, bailarinas de Edgar  Degas ( pintura),  Cartela de amostra DóRé Reminiscence Paris de Elisabeth Casagrande, La Dance des Papillons  de Tchinai - japanese art.

      sexta-feira, agosto 24, 2012

      Peoneve edp - Penhaligon's London

      Downtown!
      O coração das metrópoles européias  abriga prédios históricos, centro financeiros e parques  cujas árvores frondosas sombreiam canteiros de flores desdobrando recantos para lazer e entretenimento.
      Coleções de plantas artisticamente dispostas para formar composições coloridas e sazonais caracterizam  seculares jardins ingleses, históricamente importantes como precursores destas áreas verdes, abertas para a população nas cidades; os primeiros jardins públicos no continente.


      Entretanto é a aura de romantismo e a exuberância da natureza inebriando os sentidos que nos toca quando pensamos nestes belos espaços.
      Ao entardecer, no momento que flores se preparam para o abraço aveludado da noite, desfrutamos do apogeu aromático da Natureza.
      Peoneve edp abre incisivo tal leque olfativo como se brisa fresca e úmida farfalhasse pelos caminhos, carregando no seu rastro a fragrância  de pétalas e folhas.
      Evoca  a mulher  que antecipa o prazer do encontro romântico, enquanto o jardim se colore com as nuances do céu vespertino.
      Que percorre vagarosamente as alamedas, entre sebes floridas, descuidada, pisando sobre a grama e pequenas plantas, roçando a saia na profusão de  pétalas perfumadas.


      Inebria-se com o bouquet  harmonioso e intenso que  permite viajar através de belas histórias românticas, ouvindo suspiros e devaneios dos grandes amores,  misturando a fragrância de um personagem  com o cheiro atraente de papel impresso.
      Esta é a sensação que me provocam os acordes de Peoneve... Abrir um livro novo, aspirar o perfume  delicado das folhas enquanto a história sugere outros aromas, inesperados,  pincelando emoções e paisagens floridas.


      Festivo no despontar das notas atordoa com o aroma licoroso de flores e frutas  imersas em  ácido, porém doce, sumo de limão.
      Frutos tenros e carnosos emergem neste primeiro momento, personalizados por tempero picante, verde e aquoso.
      Talvez curtido em notas alcoólicas . Seria o  gin, que apareceu ocasionalmente na recente fragrãncia de sucesso da casa Penhaligon's.
      Flores  submersas pela frondosa imponência do pomar são resgatadas pela leveza verde e fresca das folhas de violetas,  sublinhadas por acentos herbais  translúcidos que levam o aroma a pairar no ar como se procurasse nuvens.


      Hedione é citado na pirâmide olfativa  e certamente ressalta o bouquet onde peonia e rosa se entrelaçam em perfeita harmonia, traduzidas num apelo floral gustativo, sensual e quase animalic, complementado pela doçura levemente ardida de fugidio jasmim..
      Entretanto se em alguns momentos a fragrância  adensa trilhando  bosques sombrios noutros retorna ao caminho ensolarado se desdobrando em cor  e luminosidade.
      Ocasionalmente percebemos aveludada e incensada  madeira sob as camadas florais, densas  ou etéreas, confortavelmente rodeada pelos almíscares empoeirados.


      Decorridas poucas horas a pungência do vetiver aliado as notas verdes e úmidas torna-se mais vibrante enquanto complexidade e transparência se antagonizam na composição que funde  frutas, flores, folhas e raízes em vertiginoso carrossel.
      Peoneve se define em movimento, ora indolente e luxuriante, ora  leve e cristalino, contudo fiel ao  jardim perfumado que transporta da sombra para luz, das flores mornas de sol à fonte cristalina de água corrente.


      Família Olfativa: Floral, 2012
      Gênero: Feminino
      Perfumista: Olivier Cresp
      Rastro: Intenso à moderado
      Fixação: Boa
      Pirâmide Olfativa:
      • Topo - Folhas de violeta
      • Coração - Peônia, rosa da Bulgária, hedione
      • Base - Vetiver, almíscar, madeira cashmere

      Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse 

       Vídeo:Downtown- Emma Burton

        

      Imagens: Composições de Elisabeth Casagrande com - Livro antigo, peônias, english garden, Paeonia garden/combination of Paeonia mutabilis - Allium giganteum; short garden wedding dress /editorial;english garden de custom garden designs; frascos de Peoneve de penhaligon's; A English Garden de Percy Robert Craft; peoneve edp em penhaligon's London; Garden Museum.


      ARTE IRMÃ
      Jardim com Flores (Leilão de Jardim)  -  Cecilia Meireles
      Quem me compra um jardim
      com flores?
      Borboletas de muitas cores,
      lavadeiras e passarinhos,
      ovos verdes e azuis nos ninhos?
      Quem me compra este caracol?
      Um lagarto entre o muro e a hera,
      uma estátua da primavera?
      Quem me compra este formigueiro?
      E este sapo que é jardineiro?
      E a cigarra e a sua canção?

      E o grilinho dentro do chão?

      (Este é o meu leilão!

      terça-feira, agosto 14, 2012

      Peoneve Penhaligon's na Vitrine - 2012


      Um frisson de verão no Fifth Floor Terrace da Harvey Nichols!
      Para o lançamento exclusivo da nova fragrância da Casa Penhaligon's London o espaço se transformou num convidativo jardim.
      Exuberante experiência multi-sensorial alia elegantemente coquetéis e sobremesas especiais ao aroma espalhado pelo ar.


      Sucos de frutas, flores, chocolate branco, mousses e sorvetes foram especialmente combinados para deliciar paladar, visão e olfato, sob a ssinatura de profissionais como o chef du cuisine Jonas Karisson do restaurante Fifth Floor.
      Encantadora e refinada ocasião para apresentar Peoneve eau de parfum.
       Tradicional porém contemporânea, a bem-humorada casa londrina Penhaligon's lança nova fragrância: Peoneve, um bouquet requintado dos jardins ingleses.
      Criação do mestre Olivier Cresp este delicado floral verde traz a riqueza aveludada das pétalas de peônia.
      Dentre as notas olfativas se destacam folhas de violeta, peônia, rosa da Bulgária, hedione (jasmim), vetiver, almíscar e cashmere.
      Enquanto aguardamos a experiência olfativa podemos nos deliciar com o divertido vídeo de apresentação.

       Vídeo: A Lady's Guide to Wearing Peoneve by Penhaligon's


      Narrator: A Public information film from Penhaligon’s London

      Narrator: Do apply if a gentleman admirer is of suitable stock and possesses a robust moral code.
      Man: ‘I have spoken with your father to request a formal introduction.

      Narrator: Do not apply when you feel the gentleman may be a dreadful cad.
      Man: ‘ Have you met my wife?’
      Woman: ‘No I don’t think I have’
      Man: ‘Marvellous’

      Narrator: Do apply if a gentleman is able to keep a lady in the manner to which she is accustomed.
      Man: ‘ As a small token of my love I offer you a gift from the orient
      Woman: ‘ A new rock!’  (Tiger roars)

      Narrator: Do not apply if he is unable to achieve such a task
      Man: ‘ I may be poor but I’ve written a sonnet just for you my dear.’ (Man sings).

      Narrator: Do apply in the company of a well educated gentleman
      Man: ‘ It’s as if thine eyes contain Polaris itself.’

      Narrator: Do not apply in the vicinity of some crackpot
      Man: ‘I say would you care to see my newfangled idea for a horseless carriage?’

      Narrator: Do apply when you’re quite sure a gentleman is fit for a purpose of a romantic liaison.
      Woman: ‘My word, you’re awfully strapping.’

      Narrator: Do not apply when he may be of a frightfully weak disposition. (Man gasps and faints).

      Narrator: If one should require future advice please visit www.penhaligons.com 

      *Texto gentilmente fornecido por Penhaligon's London


      TRADUÇÂO

      Narrador: Um filme de informação pública de Penhaligon's London

      Narrador: Use se o  admirador tem comportamento adequado e um férreo código moral.
      Man: Eu falei com seu pai para solicitar uma apresentação formal.

      Narrador: Não use  quando você sentir que o cavalheiro pode ser um grosseirão terrível.
      Man: Você já conhece minha esposa?
      Woman: Não, penso que não...
      Man: Maravilhoso...

      Narrador: Use se o cavalheiro parece capaz de tratar  uma dama da maneira  a que ela está acostumada.
      Man: Como um pequeno símbolo do meu amor lhe ofereço um presente do oriente.
      Woman: New Rock! ( tigre ruge)

      Narrador: Não use se ele é incapaz de realizar tal tarefa.
      Man: Posso ser pobre, mas escrevi um soneto apenas para você minha cara.( homem cantando).

      Narrador: Use se estiver na companhia de um cavalheiro bem educado.
      Man: Seus olhos parecem conter o brilho da Estrela Polar.

      Narrador: Não use na proximidade de algum maluco.
      Man: Pergunto... você gostaria de apreciar minha idéia inédita de carruagem sem cavalos?

      Narrador: Use se você acredita  que o cavalheiro está a fim de propor uma ligação romântica.
      Woman: Céus, você  está  em ótima forma (sarado).

      Narrador: Não use se ele tiver  uma constituição extremamente fraca. ( suspiros... homem desmaia).

      Narrador: Se futuramente você necessitar  mais sugestões visite Penhaligon's London.



      * Tradução de Elisabeth Casagrande
      Imagens: Peoneve eau de parfum e drinks de Harvey Nichols, Terrace em Harvey Nichols de Fashion Bitt; Montagem de Elisabeth Casagrande com frasco de Peoneve edp (gentilmente cedido por Penhaligon's London Perfumery) e bouquet de peônia ( autor desconhecido);  Imagens de Multi-sensory Terrace de Chérie City.Drink Peoneve Collins.

      Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse  

      Postagem original - 14/08/2012

      segunda-feira, julho 30, 2012

      Les Notes Gourmands - Reminiscence Paris


      Côte d'Azur dos anos 70  fervilhava de turistas, hippies e inspirados artistas quando Zoé Coste abriu uma loja de bijuterias em Amaddeo Nino Juan-Les-Pin.
      Pouco tempo depois nasceram as fragrâncias  Patchuli, Ambre e Musck vendidas  sob a marca YlangYlang.
      Reconhecimento da criatividade que acompanhava a criação destes acessórios resultou em properidade elevando a pequena loja ao status de empresa, com o nascimento de   Reminiscence Diffusion Internationale em 1980, abrangendo  a marca Reminiscence Paris.
      Outras lojas  surgiram em Cannes e na Rue du Quatre, Paris  devido a crescente procura  das inovadoras coleções de acessórios.


      Rem a linha aromática que trouxe mais popularidade para a marca foi lançada em 1986  quando a  gerência da empresa recebeu Lilla Amaddeo  filha de  Nino e ZoÉ Coste
      Vários flankers incorporam a coleção Rem, reconhecida na Europa e américa do Norte.
      Em 2007  Reminiscence perde  Zoé Coste, falecida em setembro, durante o desenvolvimento da nova e delicada coleção Les Notes Gourmandes criadas em trabalho conjunto com o  nez  Jacques Flori.


      Um bouquet melodioso de quatro eaux de toillete  que receberam nome de notas musicais e foram inspiradas pelo viço alegre e buliçoso da jovem Marie-Antoniette, esposa  de Louis XVI de Bourbon, Rei da França deposto pela Revolução Francesa.


      DÓ  RÉ 
      Família Olfativa: Gourmand Oriental, 2008
      Gênero: Feminino
      Perfumista: Zoé Coste e Jacques Flori ( robertet)
      Pirâmide Olfativa:
      • Topo - Notas verdes, figo
      • Coração: Heliotrópio, amêndoas, madeira de cedro da Virginia, patchuli da indonésia, madeira de sãndalo.
      • Base - Baunilha, fava tonka do Brasil, benjoim do Sião, almíscar

      MI  FÁ 
      Família Olfativa: Floral Gourmand, 2008
      Gênero: Feminino
      Perfumista: Jacques Flori e Zoe Coste (Robertet)
      Pirâmide Olfativa:
      • Topo - Bergamota, tangerina, laranja, amêndoa, alecrim,lavanda, menta, totas verdes e ozônicas.
      •  Coração - neroli, petitgrain, pimenta preta, jasmim.
      • Base - Fava tonka, baunilha, cedro, patchuli de Java, madeira de sândalo, âmbar, almíscar.

      SOL  LA 
      Familia Olfativa: Floral Gourmand, 2008
      Gênero: feminino
      Perfumista: Zoé Coste  e Jacques Flori ( Robertet)
      Pirâmide Olfativa:
      • Topo - Laranja, limão, bergamota
      • Coração - íris, âmbar, cravo, ylang-ylang, cedro atlas, cenoura
      • Base - Pêssego, pera, baunilha, almíscar,

      SI DÓ
      Família Olfativa: Aromático  Gourmand, 2008
      Gênero:Unissex
      Perfumista: Zoé Coste  e Jacques Flori ( Robertet)
      Pirâmide Olfativa:
      • Topo - Limão, bergamota, laranja, laranja amarga, eucalipto, lavanda, pinho, alecrim
      • Coração - Ylang ylang, limão, cereais
      • base - Baunilha, pera, patchuli
      ARTE IRMÃ
       "Fiz a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores."
       I climbed the mountain of life removing stones and planting flowers.
      CORA CORALINA



      Vídeo: La Nuova Collezione Reminiscence a La Vie en Rose

      Imagens: Composições de Elisabeth Casagrande e imagens publicitárias de Reminiscence Paris