Pin It button on image hover

sexta-feira, outubro 14, 2011

Lily of the Valley eau de toilette- Penhaligon's London


Delicadas e pequeninas sinetas próximas ao solo.
Alvas, róseas ou em pálidos tons de amarelo, as belas  flores de convalária ou lily of the valley dissimulam  em aparente simplicidade a magnificiência do óleo essencial delas obtido.
Após algum tempo de coleta o odor in natura das pétalas, doce e delicado, transmuta para aroma intenso e narcótico.
Esta característica toca as criações soliflores e os florais que privilegiam sua presença, criando uma aura íntima  e pueril, com toques de voluptuosidade e languidez decadente.
Lírios-de-maio transmitem a ambiguidade existente entre  luminosa  inocência e misteriosa sombra.
Faces diversas que reunidas traduzem a escrita da Natureza, procurando equilíbrio na dualidade entre movimento e  repouso,  tigre e  dragão.
Fluidos indólicos e doçe frescor se apresentam mesclados, impossibilitando distinguir onde termina a escuridão e principia a luz.


Líly of the valley é flor que captura a essência de  yang e yn, principalmente na multicidade de facetas do seu aroma.
No primeiro e breve contato com o exterior, quando mínima porção volatilizou da garrafinha,  Lily of The Valley  eau de toilette  de Penhaligon's London se cobriu de  convalária obscura, verde, resinosa e indólica, apesar de genuinamente floral, em  sensação  fugaz  que alcançou a pele revestida de cítricos quentes e ensolarados, convidando ao aconchego.
Diversas flores entremearam as atraentes notas frutais e picantes, provocando  farfalhar de folhas em aragem fresca, porém  doce, revelando constantemente o perfil dos pequeninos lírios, travessos,  insistindo em se esconder ou  inesperadamente retornando para o centro do palco


Neste jogo de camuflada exposição se forma o soliflore, realçada beleza contrastando acidez e dulçor.
Um dos mais bonitos que provei, na sutileza  com que se apresenta o polêmico lírio, na totalidade das  suas características, com o frescor de acqua aurea  capaz de encantar até  rouxinóis, os pássaros de maio.
Evolui na mansidão yn, atingindo o frescor denso das notas básicas, musgos e madeiras nobres, transformadas em leito acolhedor para a exuberância enfim contida  das pequeninas flores.

 Família Olfativa: Floral, 1976
Gênero: Feminino
Rastro: Intenso a Moderado
Fixação: Boa
Perfumista: M.Pickthall
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Bergamota, limão, gerânio
  • Coração - Convalária, rosa, ylang-ylang, jasmin
  • Base - Musgo de carvalho, sândalo

Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse 

ARTE IRMÃ - Se fosse música...

VÍDEO: The Song of The Nightindale

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!