Pin It button on image hover

sexta-feira, agosto 19, 2011

Shem El Nessim eau de parfum - Grossmith London


Algumas fragrâncias evocam a magia da música, contudo existem melodias que sugerem  aromas.
Neste momento uma imagem despertou curiosidade pelo som  caminho para o ramalhete floral  evocativo das  reminiscências infantis,  labirinto intrigante de sensações e memórias.
Criança dos anos 60, como a maioria  arregalava o olhar admirada  perante os coques desfiados que chamávamos de "ninhos de passarinho" ou de "bananas", admiravelmente ostentados pelas modelos de magazines de moda,  ou pelas elegantes do cotidiano.


 Na seara feminina das longas unhas esmaltadas, olhos "gatinho", bocas perfeitamente cinzeladas na arte do baton, meias de nylon com risca atrás e vestidos  talhados para realçar a silhueta, cobiçava a imagem adulta, refinada e elegante, carimbo da época.
Adele, cantora talentosa e contemporânea porta o  estilo inconfundível deste charme vintage.
Perfilando  antiga boneca de porcelana, com voz rouca e dramática, encanta  na música que evoca  traições  e amores perdidos, sugerindo o  aroma romântico intenso e feminino dos   bouquet  florais,  tênues  nuvens de talco  pairando  teimosas  ao redor do  toucador.
,
  
Shem El Nessim vivifica  este contraste de alma feminil simples e  simultaneamente complexa,  suavidade  de  flores entremeadas por  especiarias e resinas  intensas; fluxo entre moderno  urbanismo ocidental e antigos mistérios orientais.
Forte, impressivo sem perder a  delicadeza, com o  mesmo compasso da  música  Rolling in the Deep, nos divide entre  impressões de  raivosa vendetta  e  amor  tão submisso quanto apaixonado.
Possivelmente se enquadra na categoria de fragrâncias que despertam paixão ou repúdio, dificilmente ignoradas.
Traz aos sentidos  o sabor  e expectativa  juvenil das  meninas  que observam mulheres adultas,  em ritual que antecede  festas, desejando crescer rapidamente para usar  acessórios atraentes e luxuosos, perfumes sofisticados.


Datada, no sentido de clássica e rara, é fragrância que foge aos padrões atuais. Concebida em 1906, após um festival de primavera as margens do Nilo no Egito, Shem El Nessim em árabe poderia  ser traduzida como "sentir a brisa".
Aragem de íris florentina mesclada com jacintos, cravos, heliotrópio, ylang ylang, jasmim, rosas e notas verdes,  apresenta o  floral complexo,  tradição em  perfumes que marcaram trajetória, realçando   sensibilidade e romantismo  na dualidade de composição  com especiarias sensuais.
Percebe-se  cravo e canela  impregnando madeiras, benjoim e labdanum imprimindo característica  cálida, levemente salgada e metálica,  entre notas generosas de almíscar e âmbar, camuflando  raízes resinas e troncos na névoa enfumaçada do incenso.


Especialistas citam a presença  marcante de salicilatos, álcool cinâmico e coumarina nesta ode à bela e  altiva íris florentina, que entremeia etéreo aveludado  no picante herbal e agridoce.
Espero conhecer tempos  que nos permitam abrir uma página de som e imagem  sentindo  um perfume no ar...Ouvirei Adele cantando Rolling in the Deep, aspirando a fragrância  de Shem El Nessim, e serei transportada para o burburinho das penteadeiras dos anos 60.


Colecionadores comparam  este eau de parfum à L'Heure Bleue de Guerlain.
Sim, há semelhanças na  qualidade e no ramalhete, sobressaindo  flores em comum. Entretanto observo maior transparência e limpidez no perfume Guerlain enquanto Grossmith revela especiarias de forma mais contundente resvalando com habilidade pela beirada do excesso.
Ambos encontram  refinamento  no drydown abaunilhado, ligeiramente obscuro, empoeirado, alternando sombra e luz.
Belo arranjo aromático reavivando uma jóia do século passado.

Família Olfativa: Floral amadeirado almiscarado ( 1906)
Gênero: Feminino
Perfumista: Robertet
Frasco: Cristaleria Baccarat
Rastro: Intenso,
Fixação:Muito Boa
Notas Olfativas:
  • Topo - Bergamota, neroli
  • Coração - Orris ( raíz de íris), jasmim, gerânio, ylang-ylang, rosa
  • Base- Almíscar, sândalo, patchuli, madeira de cedro, heliotrópio, baunilha

Arte Irmã: Se fosse uma diva seria quase princesa, se cantasse uma música...

Rolling in the Deep - Adele
 ..."See how I'll leave with every piece of you
D'ont underestimate the  things that I will do
There's a fire starting in my heart
Reaching a fever pitchand its bringing me out th dark
The scars of your love  remind me of us
They keep me thinking that the almost had it all
The sacars of your love, they leave me  breathless
I can't help feeling

VÍDEO: Adele - Rolling in the Deep


Imagens: Grace Kelly hairstyle, bonequinha de luxo - copied image, frascos de Grossmith London , composição de Elisabeth Casagrande.

2 comentários:

  1. Bela associação entre a canção de Adèle e a aura de sofisticação vintage da fragrância. Parabéns por captar a essência do perfume tão bem, Betty!
    As notas de heliotrope fizeram-me pensar vagamente em L'Heure Bleue, de Guerlain, porém, sem o toque de anis e o caráter medicinal do último.
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  2. Bem lembrado Nel! Não se percebe o toque de anis de l'Heure Bleue. A especiaria e o picante de Shem El Nessim são mais cálidos.
    Obrigada flor, é muito bom recebê-la por aqui. beijocas

    ResponderExcluir

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!