Pin It button on image hover

sexta-feira, agosto 13, 2010

Encre Noire Pour Elle - Lalique

Elegante e cálido aroma de flores que alia romantismo à sensualidade, Encre Noire conquista com belos toques de veludo e rendas, imersos na noite misteriosa, morna e sedutora.
Pouco se percebe de cítricos, ou notas que conferem frescor, apenas a sensação delicada atenuando o odor íntimo e doce de pele, realçando a suavidade das rosas, flores que para mim se destacam.
Elegante e refinado denuncia seu estilo floral assim que percebe a cútis, em evolução muito atraente.
Apesar da composição moderna provocou uma forte sensação de "deja vu", agradável, como se o corpo houvesse compartilhado esta fragrância em outros tempos.
A percepção ocorre desde o início, aconchegante, pessoal e íntima, naquele aroma confortável que a pele adquire depois de algumas horas mesclado com perfumes florais doces, intensos e femininos.
Instigante na suavidade marca presença, estabelece diferencial, talvez pelo inusitado ambrette nas notas de topo, nota que soma forças com a molécula artificial kephalis, da casa Givaudan, construindo acorde cremoso em nuances de âmbar e almíscar, ditando o suavíssimo tom animalic, numa constante encantadora que persiste por toda evolução.

Flores... as sinto muito bem, especialmente a maravilhosa rosa , que deve estar acompanhada por doces fresias e pelo aroma atrevido de osmanthus ( jasmim do imperador), embora seu reinado continue de esplêndida supremacia.
Madeiras fazem delicado suporte enquanto vetiver mal se pronuncia, pelo menos ao meu olfato.
Diria que a tônica deste perfume é o bouquet com predominância de rosas, envolvido no inquietante almiscar de origem vegetal e também da variante artificial, que gosta de interpretar papéis; e se diverte desempenhando cremoso âmbar, imitando o néctar melíferos das peles jovens de atraentes ninfas, ou pelo menos como deveriam ser, pois são criaturas do universo criativo dos jardins.
Extremamente feminino, marcante e delicado... elegante, assim é Encre Noire Pour Elle !

Persiste horas sobre a pele, contudo o tempo suaviza a sillage, o que pode ser interpretado como uma diminuição da fixação. Não se enganem, ainda esta presente, delicado e sutil para o deleite de quem se aproxima, tão cativante quanto o aroma que se desprende diretamente do sofisticado frasco inspirado em Encrier Biche de Lalique - 1913

Família Olfativa: Floral amadeirado almiscarado, setembro 2009
Gênero: Feminino
Perfumista: Christine Nagel
Rastro: Intenso à Moderado
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Bergamota, fresia, semente de ambrette
  • Coração - Osmanthus , rosa, kephalis (molécula artificial - Givaudan)
  • Base - Vetiver, almíscar, cedro da Virgínia



Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse 

 Arte Irmã: Perfumaria poesia e música


PROCURA DA POESIA - Carlos Drummond de Andrade

...Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma
tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta, sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível, que lhe deres:
Trouxeste a chave?

Repara:
Ermas de melodia e conceito
elas se refugiam na noite, as palavras.
Ainda úmidas e impregnadas de sono,
rolam num rio difícil e se transformam em desprezo.

Vídeo: Tizziano Ferro - Imbranato

Imagens: composição de Elisabeth Casagrande  com fragmentos de Encre Noire Pour Elle by Lalique/Newsmelth, lecostumeatraverslessceles, bois argent des cherchasns, umbrella des dentelles, gato de Elisabeth Casagrande ; fotos publicitárias de Encre Noir Pour Elle e frasco vintage Lalique.

2 comentários:

  1. Olá Betty! Amei esta resenha! Ficou interessante como uma boa história. Lalique é uma paixão pra mim que sou muito ligada aos frasco. Admiro o capricho de suas criações, que mais parecem jóias. Gostei muito de vc ter citado as ninfas, ja que hoje, 15 de agosto é dia de Orah, criaturas do universo criativo das águas doces! Eu e as crianças até fizemos uma festinha! Ai seu tivesse um Encre Noir pra completar...bjus ;D

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu. Que lindinho! Eu não sabia. Adoro estas figuras e a cultura que as envolve. Creio que devemos manter este vínculo com o desconhecido, o criativo que oscila entre o concreto visível e o imaginário, pois as vezes a fronteiras mesclam e nós que somos pobres mortais desconhecendo quase tudo do universo, percebemos um pouco da beleza.
    Afinal..."Existem mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia"... um viva às fadas!beijocas.
    Encre Noir seria perfeito.

    ResponderExcluir

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!