Pin It button on image hover

domingo, março 07, 2010

Nilang eau de toilette - Lalique

Pode o oriente ser tão fresco quanto doce?
Imagino que além do calor das dunas, nos oásis, ou na costa do mediterrâneo, brisas carregadas de sonhos e leveza atravessem dias e noites.
Não os ventos selvagens no encontro de Norte e Sul, mas a branda aragem que transmite delicadamente os aromas de jardins e pomares exóticos.
Nilang é infinitamente doce no seu equilíbrio entre frésias, ylang-ylang e todo um bouquet adocicado volatilizado entre favas de baunilha.
Acorde melífero constante que aprecia o desfilar das especiarias sem abalar seu longo curso.
Afoita e levemente apimentada surge a nota de canela, coquete e volúvel, perseguida imediatamente pelo agridoce de cassis ou groselha negra e pêssegos embebidos de seco amadeirado.
O perfume convida ao mergulho na pele para sentir sua complexidade e o desprender das notas picantes e enfumaçadas declarando o benjoin que emerge do drydown.

Esta fase ainda é cálida como se o sol ardente estivesse provocando a matéria prima para exaltar suas qualidade aromática.
Floral, frutado, oriental e exótico são as qualificações encerradas até então.
Entretanto uma nota aerada, aquática e tardia estabelece sua influência de forma branda, apenas suficiente para emprestar diáfana leveza.
Parecem-me ervas frescas e madeiras mentoladas, ou um leve escorrer do sumo de frutas verdes, enquanto cortinas de seda se agitam, murmuram canções, embalam fugidío incenso e flores em melífero frescor... embriagante sensualidade.
No passar do tempo Nilang perde o acento frutal, inclina-se perante as madeiras, abranda seus ímpetos no âmbar e almíscar e reforça a delicadeza feminil em suave madeira de sândalo.
Mutante, revela mil faces, mas não todas ao mesmo tempo.
Se hoje é fresco, quase angelical amanhã pode ser malicioso, denso e gutural na expressão de condimentos.

Depende do momento e disposição com que se usa.
Atraente nesta capacidade de transmutar é expressão vívida de encantamento oriental.
Numa análise rápida, anos atrás, me pareceu próximo de Angel. Algumas notas são comuns, mas o aspecto frutal, bouquet e o requinte delicado que acompanham sua evolução afastam dos caminhos do perfume Thierry Mugler.
Contudo pertence ao reino da baunilha, sendo um dos seus mais admiráveis súditos.

Família Olfativa: Oriental baunilha, 1995
Gênero: Feminino
Perfumista: Gerard Anthony
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Cassis ou groselha negra, melão, pêssego, pau-rosa
  • Coração - Narciso, fresia, jasmim, rosa
  • Base - Baunilha (praline), sândalo, almíscar, benjoim.
Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse 

Arte Irmã... Na música e nas palavras
 Selvagem é o vento - David Bowie
 Ame-me, ame-me, ame-me, você diz
Deixe-me voar daqui com você
Porque meu amor é como o vento, e selvagem é o vento.
Selvagem é o vento.
Dê-me mais do que uma carícia, satisfaça esta fome
Deixe o vento soprar através do seu coração
Porque selvagem é o vento, selvagem é o vento

Você me toca e ouço o som de bandolins
Você me beija
Com seu beio minha vida começa
Você é primavera pra mim, tudo pra mim
Você não sabe, você é a própria vida.

Como a folha se agarra à árvore
Oh meu bem , se agarre a mim
Porque somos como criaturas do vento e selvagem é o vento
Selvagem é o vento...

Vídeo: Wild is The Wind - David Bowie- 1981


 Imagens: Blowing de Bonsay 45.blog.com; Wind de Richard Gordon, colagens de Elisabeth Casagrande

14 comentários:

  1. Nossa Betty! Que linda essa resenha! Vc literalmente deu asas ao Nilang... e eu estou aki na espectativa já q o meu deve estar chegando...Literalmente: amo este blog! Bjus ;D

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu. Vc pediu um flor? E já está chegando? Parabéns! Se ainda não conhece acredito que irá gostar. É um doce fresco, diferente.Tem a qualidade Lalique. Gosto muito.
    Depois que receber venha contar do seu Nilang.
    Vc pediu pelo blog ? Conte como foi atendida.
    Obrigada pela gentileza dos seus comentários. Beijocas. Elisabeth

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Maravilhosa sua resenha!
    Graças à ela me atreví a comprar um Nilang! Espero ansiosa sua chegada!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju!
    Ai meus sais!
    Que medo de ser responsável por um desapontamento...
    Acredito que não porque Nilang é um mimo de perfume, mas gosto é imprevisível!
    Quando receber venha contar que já estou curiosa. Beijocas de Elisabeth

    ResponderExcluir
  5. Chegou meu Nilang!
    Amei! É tudo isso e mais um pouco! Envolvente, exótico, encantador! estou maravilhada!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Beth!!!

    Que encantadora a sua resenha sobre o Nilang, e com que primor descreves todas as notas tão poeticamente!!!

    Eu adoro os perfumes da Lalique, e estou muito propensa a adquirí-lo, mas ultimamente tenho me "desentendido" com certos tipos de perfumes abaunilhados, tenho apresentado uma certa intolerância a determinadas baunilhas, algumas desencadeiam uma terrível dor de cabeça. Bem, li em alguns comentários seus que você também é sensível a certas baunilhas, e gostaria de saber se teve alguma reação adversa com a baunilha do Nilang.

    Aguardo ansiosa o seu veredicto, e mais uma vez parabéns pelo seu lindo blog é um prazer navegar pelas suas páginas perfumadas...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu. Bom não é? Fico satisfeita que tenha sido uma boa dica. Beijocas de Elisabeth

    ResponderExcluir
  8. Oi Monica. Fiz uma reação terrível ao Hypnose. A princípio não relacionei com a baunilha, mas os perfumes com o mesmo estilo doce começaram a disparar o gatilho da enxaqueca. Pode ser a baunilha em associação com outra nota perturbadora, ou apenas determinadas essências de baunilha sintética. Fava tonka também é um pouco problemática.
    Nilang não. Lógico que não abuso. Só coloco quando estou bem. Se existe algum prenúncio de dor-de-cabeça uso um cítrico, amadeirado e com pouco teor de doçura.
    Para mim Nilang é muito confortável.Acredito que não lhe trará problemas.Beijocas de Elisabeth

    ResponderExcluir
  9. Garotas, obrigada pelos elogios e presença.Beijocas

    ResponderExcluir
  10. Oiii, Beth!!!

    Obrigada, querida, por me responder tão rapidamente! A sorte está lançada encomendei um Nilang e espero me apaixonar por ele... Estou ainda meio temerosa em achá-lo doce demais, gourmand demais, mas resolvi arriscar confiando nos comentários favoráveis, dentre eles o seu e na griffe Lalique. Assim que chegar volto para dizer se me apaixonei ou não...

    Quanto ao Hypnose, eu ainda não tive essa reação com a baunilha dele não, mas como ando bem intolerante à ela, resolvi não me arriscar e tenho evitado usá-lo, não quero quebrar a magia, pois eu adoro esse perfume rsrsrs... Quando me sentir mais segura e com a temperatura bem mais amena tiro a prova dos 9!!! hehehe...

    Beijos e mais uma vez obrigada pela gentileza em me responder.

    ResponderExcluir
  11. Oi Monica. Também aprecio muito o aroma de Hypnose , tanto que foi o escolhido para um reveillon que acabei passando de cama.Terrível sensibilização. Hoje evito até sentir.
    O Nilang é doce e não incomoda, só faz bem. Porém, digo sempre ... cada nariz é uma sentença.
    Venha contar sim, gostando ou naõ. Beijocas de boa sorte. Elisabeth

    ResponderExcluir
  12. Linda resenha! Pra variar... Vc já sentiu o Claire de Nilang? Queria saber algo sobre ele...

    ResponderExcluir
  13. Ah Diana ... bem que gostaria.Gosto do estilo Lalique, mas este ainda não conheço. Beijocas de Elisabeth.

    ResponderExcluir
  14. E obrigada! Pela presença e pelo elogio. Beijocas

    ResponderExcluir

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!