Pin It button on image hover

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Noir de Noir eau de parfum - Private Blended by Tom Ford



Tempos atrás me dei conta da qualidade olfativa do açafrão no toque denso, sensual e instigante, e eis que o encontro em Noir de Noir by Tom Ford, compondo com rosas um acorde misterioso e noturno.
Não é segredo que me desagrada a estratégia de marketing da polêmica figura Tom Ford. Desgosto dos exageros espalhafatosos, intencionalmente agressivos, com intuito de chamar atenção através do choque emocional, do apelo sexual banalizando o instintivo que é belo e natural.
Entretanto os perfumes....
Rendo - me e gosto muito de muitos.
Após Black Violet, Oud Wood, Tobacco Vanille, Tuscan Leather e Black Orchid pensei ter esgotado o repertório de afinidades, porém resolvi analisar Noir Noir e ... oh!
Outro aroma agradável e cativante.
Algumas linhas conseguem me agradar quase sem restrições.
Atraem-me demais os perfumes Roudnitska, Hermès, Pierre Balmain, Cartier, Chanel e... tenho que admitir: Tom Ford.
Quem diria "Tom Ford Acabou no Irajá" e mordi a língua que repudiou o mito. Não rejeitaria uma fração do talento que idealizou Private Blended.

Noir de Noir é para quem gosta de perfumes aveludados e picantes como Nu by YSL, Black Cashemere by Donna Karan, Le Baiser du Dragon by Cartier.
Não estabelecendo comparações de pirâmide olfativa, tampouco de evolução, contudo reconhecendo traços comuns no estilo especiarado, floral amadeirado, e animalic de morna sensualidade.
Classificado como chypre aparentemente não atende as especificações para tal. Talvez um chypre suave e orientalizado em doce e obscura noite.
Detectamos notas cítricas no início, imediatamente camufladas pelo acento quente, doce, especiado e licoroso do açafrão embrulhando ramalhete floral no qual existe uma favorita: A rosa.
Flores doces e calorosas que sucumbem lânguidas ao prepotente e ligeiramente amargo patchuli.
Este acorde do coração, ao se encaminhar para a base, poderia se transformar num drydown chypre típico se não fosse a intervenção da baunilha que a todos adoça.

Acentuando a vocação oriental em alguns momentos esta sinfonia especiarada se reveste de sedoso talco abandonando com relutância o suave e licoroso trufado.
Açafrão, aoud e patchuli ditam as normas, fazem o ritmo onde outras notas discorrem harmônica e prazerosamente em direção ao final melífluo e picante.
Convém mencionar o frescor ligeiro e agradável que emana ocasionalmente, originado dos musgos e das frações verdes de aoud e patchuli.

Linha Olfativa: Chypre ( oriental ?), 2007
Gênero: Unissex
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Açafrão
  • Coração - Rosa negra, trufa negra, notas florais
  • Base - Patchuli, baunilha agarwood ou madeira de oud, musgo de carvalho
Arte Irmã
ASSOVIO

Ninguém abra a sua porta
para ver o que aconteceu:
saímos de braço dado
a noite escura mais eu.

Ela não sabe o meu rumo
eu não lhe pergunto o seu
não posso perder mais nada,
se o que houve já se perdeu.

Vou pelo braço da noite,
levando tudo que é meu:
- a dor que os homens me deram,
e a canção que Deus me deu.
CECÍLIA MEIRELES - Viagem

VÍDEO: The Way You Look Tonight- Rod Stewart


Imagens:colagem sobre Twilight de my space coment; foto de Elisabeth Casagrande ; The Pier de Mystere24 - pohotobucket

6 comentários:

  1. Beth acho o Noir um dos perfumes mais fechados que já provei até o momento , não fosse o açafrão tão evidente em minha pele , eu teria gostado mais dele , mas sem dúvida uma ótima fragrância , os Tom Ford fogem muito à regra e ao esperado , adoro isso.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Julie, Noir foi uma surpresa. No início intenso e envolvente, com açafrão transmitindo a sensação do picante e quente, misturado ao bouquet,seguindo para o drydown macio, almiscarado ,sempre acompanhado da característica de especiaria amadeirada.
    Na intensidade que eu gosto. Percebível mas não sufocante. Muito interessante.

    ResponderExcluir
  3. Bem, bom cheiro é coisa que não falta aqui :)
    Á medida que vou lendo vou sentindo-o a cada momento que respiro.

    Beijo
    Ferradela

    ResponderExcluir
  4. Olá Mario .
    Que bom que você gostou e consegue imaginar os aromas.Acho uma tarefa bem difícil para quem descreve e para quem lê.
    O objetivo é exatamente este: dar uma idéia precisa das nossas percepções olfativas, embora isto mude de pessoa para pessoa sempre existe um consenso. Obrigada pela visita. beijocas

    ResponderExcluir
  5. Betinha, que loucura, sou fã de carteirinha de TF, depois de ler essa resenha, to doidinha pra experimentar, se seguir a linha do Black Cashmere deve ser muito bom, a principio não tinha me interessado por ele por se tratar de um Chypre mas pela sua resenha, não tem muito de chypre nele ! Parabens pelo blog !

    bjs
    Lucélia Ortega

    ResponderExcluir
  6. Ahaaa! Provavemente voc~e gostará Lu!Talvez goste mais ainda de Moss breches cuja resenha estou elaborando. Ainda estou na avaliação do perfume.Acabei de receber uma amostra e gostei muito da saída. Um "moss" muito diferente do que eu esperava. Beijocas flor. Betty

    ResponderExcluir

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!