Pin It button on image hover

terça-feira, outubro 27, 2009

Opium eau de parfum - Yves Saint Laurent


"Chover no molhado".
Já disse e ouvi esta expressão várias vezes.
Falar de Opium pode ser considerado uma repetição inútil para os que conhecem um pouquinho de perfumaria.
Entretanto conheci Opium de forma "leiga" há décadas, e como aficionada pela perfumaria há pouquíssimos anos.
A maneira de ver muda um pouco, apesar de continuar opinando que é um grande clássico.
Se antes eu gostava sem me deter no porquê, hoje procuro desvendar notas e acordes.
Inegavelmente bom.
Intenso, marcante quase exacerbado, e... soberbo.


Ícone em época de transformações que ocorriam pelo mundo, com maior ou menor intensidade, dependendo de onde se vivia.
Quando Opium nasceu minha cidade era provinciana, quase vitoriana.
As mudanças radicais corriam livre, apenas para uma parte mais rebelde e boêmia, que constituia tribo exótica e curiosa: Intelectuais ou artistas e algumas rebeldes "ovelhas -negras".
Ouvíamos as músicas que rolavam no mundo, líamos, víamos os grandes filmes ( com algum atraso), curtíamos muita "fossa", entretanto aquele universo contestador, embriagador, alucinado e visionário, que seguiu o movimento hippie, passava ao largo.
População conservadora e discreta na qual éramos meninas e rapazes educados, comuns, considerados de" boa família" - não rica, boa - que frequentavam festas de garagem, bebiam no máximo cuba libre, comendo coxinhas e canapés, ao som de Johnny Rivers.
Burguesia inócua.
Cannabis era assustadora para a maioria e o símbolo de transgressão para um pequeno grupo .

Neste contexto quase inocente, conheci o perfume YSL, numa festa, na penteadeira de uma anfitriã, obviamente contestadora, pois outros ali presente eram: Café e Dune.
Exigiam audácia, numa sociedade de meninas que adoravam Anais Anais, Caleche e Calandre, florais e aldeídicos, a marca do chamado "perfume francês".
Senti a potência, a sedução assustadora para minha imaturidade olfativa, e apesar de atraída não ousei.
Sei o que me agradou e continua encantando!
Abre-se numa explosão de canela, vários tipos de pimentas (malagueta, do reino) e laranja que resultam numa impressão fortíssima especiada e doce, onde o cítrico deve abrandar, mas pouco se faz sentir.
Assinatura totalmente oriental, representando o exotismo da terra dos mandarins.
Em seguida nos assalta o acento animalic morno, envolvente, onde podemos vislumbrar madeiras terrosas, adocicadas e cistus .
Flores em bouquet submerso na canela, tão mesclada ao odor de cravos que é difícil distinguir onde um começa e o outro termina.
Percebemos o aroma e a doçura de um jardim sem destaques, ou prima donna .
Nota pungente emana do fundo, traços ínfimos de terebintina, ou similar, própria das gum-resins e dos óleos incensados como benjoim. Apresenta-se acompanhada pelo fugaz e acre amargor de patchuli e vetiver
Conjunto que pooderia ser extremamente aromático e masculino se não fosse a generosidade da baunilha com seu acento leitoso de coconut.

Espalhando sensualidade, arredondando contornos, traz uma suavidade profusa e melífera que beira o exagero.
Opium, que nasceu na trilha oriental de Tabu by Dana e espalhou infindáveis descendentes mundo afora é extremado na sua riqueza de componentes evolutivos .
Causou-me susto e fascínio décadas atrás, e hoje quando borrifo, ainda prendo a respiração, como se pudesse imprimir a rica composição ao olfato desvendando mistérios insondáveis.
Contudo, Opium não é frequente no meu repertório, pois tenho um desafeto com algumas variações desta dama chamada baunilha...

Imagens: Campanhas publicitárias de Opium-Yves Saint Laurent

Comentário V.I.P.
Gosto!
Poison, Yves Saint Laurent o tem em Opium.
Semi-ambarado, floral, Opium mereceria o título de rei dos orientais. Shalimar seria sua rainha.
Uma composição exótica e andrógina de pimentas, cravo, jasmim, baunilha e resinas.
Opium marcou época.
Inesquecível é a propaganda onde se vê uma mulher comprando drogas num mercado chinês- óbviamente a "droga" é o perfume.
Polêmico e proibido em vários países devido a seu nome, garantiu lugar como um clássico da perfumaria.
Obrigatório em qualquer coleção.

Comentário do leitor Israel Sanzio


Ficha Técnica:
Família Olfativa
: Oriental especiado, 1977
Gênero: Feminino
Perfumista: Jean Amic e Jean-Louis Sieuzac
Rastro: Intenso
Fixação: ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Laranja, canela, pimenta-do-reino, pimenta malagueta
  • Coração - Cravo, jasmim, rosa, ylang-ylang
  • Base - Baunilha, benjoim, patchuli, mirra doce ( opoponax)
JEAN AMIC
Nez responsável pelos seguintes perfumes YSL: Opium, Opium Collector Edition 2008 - for her, Y for her; Opium Collectior Edition 2008 for her - YSL.

JEAN=LOUIS SIEUZAC
Criador dos seguintes perfumes: Dune for her - Dior; Fahrenheit for him - Dior; Oscar de La Renta for Her; Opium for her -YSL

REBELDIA
" Julgamos exercer uma pequenina vingança contra a autoridade fazendo secretamente o que esta proibe". Jeean Caritat - Marquês de Condorcet

domingo, outubro 25, 2009

Paramela eau de toilette - Amor América by Natura


Espaços vastos, montanhosos ou descampados onde ainda é possível aspirar o ar fresco de Natureza limpa, em comunhão harmoniosa com a espécie humana...
Esta é uma paisagem possível nas regiões andinas da América do Sul.
Destes campos extensos e gélidos da Argentina - Patagônia - vem a paramela, planta arbustiva e aromática que inspirou uma bela fragrância da perfumaria brasileira.
Mario Lopez Llosa, escritor peruano que iniciou sua obra sob a influência existencialista de Paul Sartre,escreveu sobre a hierarquia de castas sociais e raciais num contexto ainda presente na América do Sul.
No seu afamado e premiado Lituma nos Andes, escreve:
"- Nos Andes, o ser humano tem vocação de condor... parece escalar os degraus do ar, voar sobre as nuvens, para contemplar a terra lá embaixo, a seus pés
 ."
É a sensação que me transmite o aroma de Paramela - vôo para a amplidão fresca e limpa , no encontro de céu e terra.
Proeminentes cítricos no topo indicam a presença de limão e bergamota.
Ácidos, picantes e doces evidenciando o fundo amadeirado, fiel em toda evolução.
Soma-se ao apimentado acorde a sensação de bouquet floral, ligeiramente frutado, onde podemos perceber o toque de seiva verde com pungência característica das planta recentemente colhidas.
Sumarenta e fresca encontra seu equilíbrio nas madeiras claras e leves da base, que estão representadas no odor de sândalo e cedro.
Persistente, o amadeirado de fundo encontra eco no acento aromático resinoso, floral, frutal e melífero da Paramela, nesta fragrância que não é afeita à picos ou grandes saltos evolutivos, mas à constância que sublinha limpidez e frescor natural.
Paramela causa uma sensação de bem estar, de fluidez e transparência.
Apesar de não demonstrar familiaridade com acordes frutados aquosos e ozônicos, que tipificaram a família dos perfumes ditos aquáticos, esta leveza na composição provoca a refrescância nem sempre alcançada em florais frutais.
Recorda-me o conforto provocado por Light Blue, mesmo que as notas frutais sejam diversas. No aspecto cítrico amadeirado sugere um pararalelo mais brando e floral dos acordes de Angel Schelesser femme ou do fragrante Bvlgari by Bvlgari.
Aromático leve seria definição mais adequado para este perfume , considerando que é , sua principal característica o odor de cítricos e seivas verdes num contexto aéreo, quase etéreo.
Percebe-se tênue e submerso uma doçura melífera que pode advir igualmente do óleo de paramela.
Interessante, confortável, delicadamente feminino, embora possa emprestar sua faceta hespéride às peles masculinas atenua todos os acordes e suavemente encaminha-se para base amadeirada, mais seca e sólida.
Atraiu-me muito Paramela, apenas lamento que a fixação na minha pele não tenha alcançado o mesmo nível de Palo Santo, que domina com maior intensidade e se prolonga por mais tempo no ambiente.
Encerrado num lindo e criativo frasco, de aspecto artesanal, inspirado nas porongas ou cuias do Sul do Brasil. Lembra uma botica vintage que parece ter atravessado o tempo, direto de antigos ou misteriosos mosteiros, carregando alguma fórmula preciosa.
Um tratamento especial de verniz nas embalagens plásticas conferem uma textura diferenciada que aproxima da cerâmica.
O designer foi criação de Filomena Padron.
Por ocasião do lançamento da linha Amor América que inclui Palo Santo e Paramela houve o lançamento dos ensaios literários Amor América en La Patagônia onde o fotógrafo e editor brasileiro Roberto Linsker desenvolve um trabalho de cunho artístico com cenários que incluem regiões da Argentina, Bolívia, Chile, Peru e Equador.
Um dos livros destaca a Patagônia - Paramela - , e outro os Andes - Palo Santo.
Recomendável.

COMENTÁRIO VIP
Gosto
Amor América ! A expressão das essências deste continente belíssimo que habitam em dois frascos encantadores e nos trazem de presente o aroma da Natureza dos Andes e da Patagônia.
Paramela, um espetáculo tal qual é a visão das geleiras azuladas da Patagônia.
É possível sentir o frescor do gelo contrastando com a doçura do mel. Um aroma terno embora fresco, confortável e levemente doce. Adoro este perfume mágico! Simplesmente delicioso.
Nagma

Família olfativa: Floral frutal, 2008
Gênero: Feminino - unissex
Perfumista:
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Limão, bergamota, alfavaca
  • Coração - Paramela, notas florais, mel
  • Base - Madeiras claras 
 Imagens: Colagem com frascos de Paramela de Natura e flor de paramela de Elisabeth Casagrande; fotografia do staf de Eco-hotel- Hotel ecológico- Puerto pirâmide; Mapa da região da Patagônia- América do Sul

quinta-feira, outubro 22, 2009

Magnifique edp by Lancome



Espírito da Fragrância

" A primeira impressão é a que fica."
O ditado popular nem sempre é expressão da verdade. As vezes perdura, mas uma imagem, e conceito, não permanecem eternamente.
Ao tratarmos de interações sociais, a complexidade de informações é evidente, e o decodificar das premissas depende de fatores individuais, que variam de uma pessoa para outra.
Escala de valores, por exemplo, constitui um ponto importante da diferenciação.
Quando encontramos desconhecidos, mesmo que brevemente, duas regiões do cérebro apresentam grande atividade:
-Amgídala, pequenina e redonda estrutura na superficie anterior (frente) do cerebelo, que está ligada à avaliação de objetos, de situações sociais, baseada em dados conhecidos e de confiança.
- Cortex posterior (atrás), que atua nas atitudes relacionadas com prêmios, recompensa e valores como moeda.
O cérebro trabalha frenéticamente procurando identificar informações que possam definir uma impressão. O contato é 75% visual.
E, voilá !


Em pouquíssimo tempo está formada a imagem sobre o indivíduo à nossa frente. Que pode corresponder à uma realidade ou não.
E, com os perfumes? Esta primeira sensação olfativa funciona? Perdura?
Nem sempre... nem sempre.
Nosso olfato, ainda não totalmente compreendido, pode trazer falsas primeiras impressões, baseadas em fatores aleatórios.
Acontece comigo, frequentemente.
Estou aprendendo a nao descartar, ou amar um perfume, baseada na primeira impressão.
Ocorreu com Magnifique de Lancome.
Experimentei na época do lançamento, na enganadora fitinha de papel, e ignorei.
Esqueci!
Porém, existem as ofertas...
Haverá tentação consumista maior do que a escondida atrás desta palavra?
Oferta!
O frasco vermelho, lindo, acenou para mim, e entrei na loja, pois a "carne é fraca".
Que boa surpresa!
A sensação olfativa, do perfume na pele foi muito sedutora. Diferente da vaga e nebulosa lembrança que havia se formado na primeira impressão.

Percepção Olfativa

Inicia agradável e fresco, embebido de acento amadeirado dotado de elegante discrição.
Aroma a lembrar pimentas verdes, terrosas, refrescantes está representado nos acordes envolvendo açafrão e nargamotha, entre nós conhecida como tiririca-d0-brejo.
Este odor magnífico nasce no casamento de terroso picante com doce suavidade de esplêndidas rosas e fragrante jasmim.
Um bouquet de amadeirado profundo, adornado por suave brisa com breves toques de canela!
Sândalo e almíscar emanam da base embelezando o caráter especiado da nagarmotha.
Doçura presente de forma contida garante que o perfume agrade indefinidamente, pois não corremos o risco da saturação no olfato.
Seguindo edp houve lançamento de Eau Magnifique.
Percorre a mesma evolução aromática, porém enquanto edp é marcadamente oriental, Eau prima pela leveza configurada no acorde hespéride, pela adição de cítricos .
A fixação, como esperada, é menor em relação ao edp.
Feliz momento no qual fui atraída pela mágica oferta que infelizmente contemplava sòmente a Eau Magnifique, e não caracterizou sedução irresistível.

Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral amadeirado,2008
Gênero: Feminino ( compartilhável)
Perfumista: Olivier Cresp, Jacques Cavallier
Rastro:Intenso
Fixação:Muito Boa
Campanha: Anne hathaway
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Açafrão
  • Coração - Rosa, jasmim
  • Base - Vetiver, nagarmotha, sândalo
Classificação:


Vai ao Shopping? Confiras preços e marcas nas boas lojas que abrem suas portas em Perfume Bighouse 

Vídeo: Lancome Magnifique


Imagens: Planeta vermelho de Imotion; Publicidade Magnifique de Lancome; Frascos Magnifique de Fragrantica.

quarta-feira, outubro 21, 2009

John Galliano eau de parfum - John Galliano


Desculpe, estou reeditando esta resenha. Será publicada em breve!

Sorry, I am reprinting this review. Will be published shortly

segunda-feira, outubro 19, 2009

Monsieur Rochas - Rochas


Making off:

Flora: - Oh! Hoje fazem 100 anos, Cruela, que você lançou a maldição...pobre jovem...aos quinze anos picou o dedo numa roca de fiar, e todos no palácio real dormiram desde então. Passe-me o chá por favor.

Fauna: - Uma cerca de espinhos vivos, densa e alta cresceu em volta do palácio até engoli-lo todinho, e príncipes, depois disso, atrevendo-se a tentar salvá-la acabaram morrendo nessa touceira... Aqui está o chá, pode me passar o açúcar? Melhor o adoçante.

Primavera: - Francamente, você não foi nada gentil Cruela! Só porque o rei não a convidou... mas eu quebrei seu encanto e hoje um príncipe venceu a cerca, acordou Bela, e eles serão felizes para sempre. Hi hi hi ....

Cruela: Aqui seu adoçante Fauna.
Não foi você quem venceu minha maldição "darling", mas minha incrível inabilidade em perceber as tendências no mundo dos perfumes !

Tivesse eu, ao invés da cerca, borrifado o palácio com Monsieur Rochas, a pirralha ainda estaria dormindo, como se fosse alguém profundamente entediada com Armani City Glam.
Voçês sabem que aquela essência Rochas, unidimensional, cheira do começo ao fim como um impenetrável emaranhado de ervas daninhas, baldias e espinhosas, crescendo sobre troncos derr
ubados, de canela...
Quem hoje se atreveria a entrar ? Um ogro? Um duende? Um Aretê?
Aqueles pretendentes que chegavam cheirando Kenzo Air, Acqua di Gió, Higher, jamais esperariam a longa e sutil evolução das belezas amargas, agrestes e violentas daquele líquido rosé! Iriam embora horrorizados...
Ai... eu errei... e se as notícias se confirmarem, logo fic
aremos sem este estranho exemplar de uma época em que, na masculinidade, o rústico podia ser belo e risonho.

Contribuição do leitor Aretê

 

FICHA TÉCNICA
Família Olfativa: Oriental Fougere
Gênero :Masculino
Perfumista: Guy Robert
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa 
Pirâmide Olfativa:
  • Topo -Camomila, lavanda, sálvia, bergamota, limão
  • Coração - cravo, gálbano, vetiver, cedro, gerânio, cardamomo,
  • Base - Patchuli, fava tonka, almíscar, musgo de carvalho

Arte Irmã: Once Upon A Dream - Emily Osment


Imagens: Pinup blond AV; publicidade vintage Dior Homme by Rochas

sexta-feira, outubro 16, 2009

St Dupont Pour femme - St Dupont

Dias mais longos comprovam o avanço da primavera, entretanto noites frias indicam a preguiça do inverno, que se recusa à partir.
Noites gélidas que provocam a vontade de festivais de teatro, saídas noturnas para espaços aquecidos, em elegância rústica ou veemente requinte, decorados nas gamas quentes de amarelo e marrom, onde se ouve o tilintar dos cristais, o burburinho da conversa no prazer de conviver.
A mulher curitibana gosta de belas produções. Talvez seja influência do clima serrano, dos ambientes fechados que exigem maior cuidado e sofisticação.
S.T.Dupont Femme é perfeito!
Clássico, maduro, elegante. Aroma de mulher bonita e bem acabada, lapidada como uma joia.
Não consigo imaginar este perfume em alguém sem maquiagem, adereços ou scarpin.
É complemento para tailleur e manteaux acompanhado pelo menos do fulgor de strass.

Requintado, sofisticado e clássico, St Dupont Femme significa um "banho de loja" com tratamento VIP.
Acompanha com propriedade o time de chypres e aldeídicos clássicos, representados em Arpege, Coco, Life Essence, Mystere e Fendi Donna.
Se composição e evolução guardam identidade própria, o estilo fascinante e glamouroso não nega a confraria.
Podemos perceber traços de união com cada uma destas belas fragrâncias .
Questão de estilo, não de similaridade.
Composição, incomum nos lançamentos mais recentes, garante o frescor aromático do início na presença de gálbano, que aqui propicia a mesma beleza encontrado em Vent Vert, embora em menor concentração.
As frutas associadas, em intensidade ácida, cítrica ou doce formam um acorde diferenciado, intenso e encantador.
Nesta fase remete ao aroma incisivo e límpido de Fendi Life Essence.
Com rapidez cresce nota picante e quente, de tempero amadeirado, que parece vir da base rica em musgos, patchuli e cedro.
Cálido e fresco, doce e amargo...é um aroma difícil, complexo, e ao mesmo tempo clássico, reconhecível como um pintura de Renoir.
Existe beleza e atração inegável nestes temas bem construídos.

O bouquet primoroso, não demora a aparecer, coquete e sedutor na beleza do lírio adornado pelos cravos. Branco e vermelho. Pureza e paixão.
Segue para a base entre o agreste aromático e resinoso de seivas frescas e madeiras intensas, a serem suavizadas pelo acolhedor dueto de sândalo e almíscar.
Doce! Não há como negar esta suavidade, porém não evoca camadas de baunilha e sim o dulcífero das flores, das frutas escuras e maduras, das resinas de madeiras preciosas como o pau-rosa.
Prolonga durante longo tempo o aroma lenhoso e aromático de cedro, acrescido de musgo de carvalho e patchuli, que em sua pungência quase metálica, caracterizam inegável acorde chypre.
Fiel ao comportamento versátil dos chypres, se parece nascido para cenários invernais, guarda o frescor que lhe garante um lugar ao sol ... de verão.
Não é aroma expansível que se projete e volatilize para longe. Ocupa um espaço limitado, mas o faz de forma intensa... lindamente.
Tão bela quanto sua apresentação, no longo frasco cilíndrico, encimado por sinuosa tampa em metálico, dourado e interessante designer.
Arremata o conjunto uma caixa em camurça aveludada, azul-marinho, que destaca as discretas letras douradas.
Família Olfativa: Chypre floral ( floral verde), 1998
Gênero: Feminino ( compartilhável)
Perfumista: Bertrand Duchaufour
Pirâmide Olfativa I:
  • Topo - Gálbano, cidra, groselha, melão
  • Coração - Lírio, jasmim, orquídea, cravo
  • Base - Sândalo, patchuli, cedro azul, musgo de carvalho
Pirâmide Olfativa II:
  • Topo - Groselha, maracujá, melão, tangerina, gálbano, limão
  • Coração - Ciclame, magnólia, cravo, gardênia, orquídea, jasmim, ylang-ylang, lírio selvagem, rosa
  • Base - Sândalo, âmbar, patchuli, almíscar, musgo de carvalho, pau-rosa brasileiro
Imagens: Tailleur em veludo de Elegance; S.T. Dupont Femme acervo pessoal; Renoir- Moulin de La Galette.

Arte Irmã: Uma definição...Elegância
"- Quando tentamos defini-la, precisá-la, isolá-la, foge-nos entre os dedos, como uma sombra.
Onde existe transforma tudo; onde não existe, não há arte, não há talento, não há beleza que a substitua.
Não é um dom que se adquire; é um instinto com que se nasce."
Julio Dantas

terça-feira, outubro 13, 2009

segunda-feira, outubro 12, 2009

Dioressence - Christian Dior


Desculpe, estou reeditando esta resenha. Será publicada em breve!

Sorry, I am reprinting this review. Will be published shortly

domingo, outubro 11, 2009

sábado, outubro 10, 2009

Rouge Royal for Women - Princess Marina de Bourbon

Era um Dior a escolha para hoje. Chiquérrimo!
Presente (amostra generosa) de um amigo querido lá das bandas do Norte/Nordeste.
Contudo...o dia nasceu sob o signo do açúcar e adquiriu vontade própria.
Hoje tudo foi tão doce, mas tão doce...
Saí a procura de outras linhas infantis para ilustrar o Perfumes Infantis III, tão próximo ao dia das crianças, com minha irmã que usou um perfume docinho e delicioso.
É uma adoradora da baunilha  gourmand e flores dulcíssimas. Vê-se logo que não somos univitelíneas, sequer gêmeas. Mesmo!
No shopping me encantei com o leite Laka, hidratante coorporal da linha Fun - Coleção Milk do Boticário.
Dio Santo... que delícia. E, não sou a fã número um de gourmand! Não em princípio...
Mas, fiquei com vontade de dar uma mordida no potinho...
Inspirada, cheguei em casa e fui para cozinha fazer a sobremesa de domingo (pouco talentosa com salgados).
Optei pelo gelado de bananas de uma amiga blogueira.
Virou gelado de maçã (oferta do mercado) com adição de canela ( combina muito com maçã).
Também joguei um tanto de licor de anis (combina muito com tudo).
Vamos ver...virou gelado de não sei o quê...
E, voltei para o perfume da irmã (presente meu).
Humm... Rouge Royal by Princess Marina de Bourbon
Gosto muito.
Este, Princess e Lyz são meus preferidos - adoro anis, erva doce e similares.
Floral, oriental, amadeirado, especiarado...hummm.
Coloco este perfume na categoria do Burberry tradicional.
Aquele do frasco oblongo que sem dúvidas é o melhor da grife.
O mais inglês. Indescritivelmente chic.
Rouge Royal é um Burberry frutado, se ultrapassarmos algumas, pequenas, diferenças.
Existe uma combinação especial entre o floral e as madeiras de Rouge Royal Princess. Alguma coisa indistinta que encerra especiarias como a canela um toque de anis ( será ? ou é influência da sobremesa?) sândalo, almíscar e incenso.
Rouge Royal Pour Femme é quase linear pois o seu toque apimentado permanece do começo ao fim.

Difícil descrever. Picante doce que não é pimenta. Bouquet floral indecifrável..
As frutinhas vermelhas, indicadas nas pirâmides olfativas não são explícitas, o que é muito bom. Estão camufladas entre camadas florais de jasmim e ylang ylang. Isto também pode ser muito positivo numa fragrância.
Existe um diferencial que talvez seja proveniente da base, entre resinas e musgo de carvalho, não habituais nos aromas ricos em acordes frutados assim despretensiosos.
Feliz combinação !
Aliás, as mais atraentes para mim são as indecifráveis e harmoniosas misturas que dispensam classificações e análises. Apenas causam prazer.
Um delicioso mistério para mim...
Não importa. É muito bom !
Perfeito para uma tarde de sol tímido e cálido, quase invernal, após incontáveis dias chuvosos.
Abençoado sol. Ele também sabe ser doce.
E o Dior muito elegante fica para outro dia...



Família Olfativa: Floral Frutal, 2002
Gênero: Feminino
Rastro:Intenso
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo- Morango silvestre, groselha, limão
  • Coração - Jasmim, ylang ylang, lírio selvagem
  • Base - Resinas e bálsamos, Musgo de carvalho
Arte irmã no pensamento...
"Pensar é um mistério; falar, outro: o homem não passa de um abismo."
Jaime Balmes

 Imagem: Frasco  de Rouge Royal por Elisabeth Casagrande

sexta-feira, outubro 09, 2009

Infiniment eau de toilette - Chopard

Belíssima imagem publicitária evoca um perfume etéreo, liberto e luminoso como o entardecer à beira mar, quando procuramos desvendar os mistérios que encobrem a linha do infinito, na sua curva suave e ilusória.
Quando embebemos de brisa, maresia, beleza e paz.
Infiniment é doce, floral, temperado com pimentas exóticas e folhas ácidas que provocam a sensação de um toque fresco e breve tal qual respingos na explosão de uma onda.
Cítrico agreste do petit grain  (folhas de tangerina, bergamota, limão...) entremeia fragrantes rosa e angélica (tuberosa) quebrando a doçura intensa deste ramalhete de flores.
Porém, a alma do perfume está na pimenta de Sécluan, em seu picante inicialmente sutil e fresco, assemelhando à frutas cítricas, posteriormente transformado em acento seco, poeirento e raspante, quase amadeirado.
Começa tímida, atordoada pela profusa volatilização dos acordes iniciais, crescendo após alguns minutos, se fazendo sentir em substituição às notas cristalinas e frutadas.
 Doce e maliciosa pimenta que se reveste de benjoim num acento cálido e confortável renovando a leve pungência anterior.
Encaminha-se para a base rendida à madeira de sândalo e ao almíscar, cuja intensidade avoluma, atenuante do ardor seco que se estabeleceu.
Finaliza delicadamente embalado nestas madeiras sedosas e almiscaradas.
Durante todo seu percurso as emanações florais, doces e marcantes estão presentes provocando sillage elegante e sofisticada.
Não é um aroma extremamente inovador. Muitos seguiram pela mesma trilha olfativa, porém joga a seu favor com a qualidade da matéria prima, boa intensidade, ótima fixação, e com o atrativo da especiaria representada na pimenta de Sécluan, em seu casamento perfeito com ondas de sândalo e almíscar.




Família Olfativa: Floral amadeirada almiscarada, 2004
Perfumista: Alberto Morillas
Gênero: Feminino
Pirâmide Olfativa:
  • Topo: Petit grain, bergamota da Calábria, pimenta de Sichuan
  • Coração : Absoluto de rosa da bulgária, absoluto de angélica, flor de lótus
  • Base: Benjoim do Sião, madeira de sândalo, Almíscar
Arte Irmã na poesia...

 Psicologia da Composição - João Cabral de Melo Neto
...II
Esta folha branca
me proscreve o sonho,
me incita ao verso
nítido e preciso.

Eu me refugio
nesta praia pura
onde nada existe
em que a noite pouse.

Como não há noite
cessa toda fonte;
como não há fonte
cessa toda fuga;

como não há fuga
nada lembra o fluir
de meu tempo, ao vento
que nele sopra o tempo...

VÍDEO: Infinito Particular - Marisa Monte



Imagens: Imagem Publicitária de Infiniment

domingo, outubro 04, 2009

Botrytis eau de toilette - Ginestet

Mel e vinho estão presentes na civilização há séculos. Ambos vindo da terra, prontos ou manipulados, constituindo alimento da humanidade.
Referido como "ouro líquido", o mel produzido pelas abelhas, há cerca de 20 milhões de anos, é consumido por várias espécies, em todos os cantos do mundo conhecido.
Dourado, denso, de sabor e aroma indescritíveis, que oscilam entre suavidade das flores e instigante animalic, variando ligeiramente conforme a espécie que o fabrica ou as que servem de matéria prima. Sui generis, versátil, totalmente reconhecível e sempre delicioso.
Difícil é a captura da sua essência e fascínio, reprodução de tal delicadeza acariciante e sensual, como percebemos em * Botrytis eau de toilette, doçura aveludada, floral e envolvente.
Infinita e glamurosamente doce, nele sentimos o melífero acento como uma nuvem que atordoa pela característica etérea.
As flores desempenham uma breve performance, coadjuvantes num ballet onde a estrela principal está camuflada em camadas douradas e aromáticas.
Gourmand indefinido é o "pano de fundo" que suporta tais evoluções.
Frutas doces e maduras de sabor delicado, permanecem à distância embebidas na leitosidade picante que sugere ládano camuflado, modesto e em diminutas doses.
Acordes sem contornos definidos, cujas bordas se entrelaçam em dengo e graça, como se estivessem numa brincadeira de adivinhações com nosso olfato.
A única certeza que temos é a intensidade da doçura melífera.
Esta perfeita interação poderia exacerbar e cansar os sentidos se não houvesse um frescor inerente, natural e luminoso que pode advir de sândalo, almíscar ou âmbar. Talvez da adição de algum tempero mentolado, frio e muito leve, apenas uma pitada à manter o mistério.
Um tom açucarado surge no decorrer da evolução para reforçar o acorde, e sobrepondo ao mel, como a calda que arremata tentadora sobremesa.
Versátil, adapta-se ao ambiente onde volatiliza podendo exercer sedução sofisticada e sensual ou acompanhar um contexto de ingênua simplicidade.

Botrytis sugere mel verdadeiro, cujas características atestam a fidelidade da Natureza ao padrão irresistível, e perfeitamente adaptado, que não mais se submete à evolução, afirmando sua primazia e status de "néctar dos deuses".
Denso e simultaneamente leve; belo na simplicidade voluptuosa a saciar a fome dos sentidos.
Sinto com Botrytis uma languidez doce e confortável desenvolvida junto ao seu ritmo cadenciado, linear.
Muitos cenários comportam este perfume.
Poderia estar na alcova de rainhas ou deusas do Olimpo, entretanto nada impediria seu trânsito em róseos quartos juvenis, ou no camarim de uma diva hollywoodiana.
Cada cútis define seu status, cada ambiente provoca diferente interpretação.
O lugar comum é que em todos pode conquistar na sua irresistível doçura.

Vários comentários reportam ao aroma de alguns vinhos.
Apesar de gostar de vinhos (do pouco que conheço), e admitir que muitas notas existentes em tais bebidas também aparecem nos perfumes, não consigo fazer tal associação neste produto final.
Talvez tenha experimentado os vinhos errados...talvez esta imagem tenha surgido apenas pela origem do perfume, produzido pela famosa Ginestet, tradicional fabricante, ou pelos conceitos que vinculam estes dois líquidos aromáticos: vinhos e perfumes.
Botrytis representa o espírito de uma geração de bebidas licorosas da região de Sauternes caracterizadas pela alta concentração de açúcar alcançada nas uvas que as produzem.
Encerrado em atraente garrafa arredondada, e embalado num saquinho de veludo evoca o ar vintage transmitido pelos tradicionais vinhos Bordeaux.
Qual é o senão?
Permanência! Na minha pele persiste por breve período de tempo.


Família Olfativa: Oriental abaunilhado, 2008
Gênero: Feminino
Notas Olfativas: Mel, frutas secas, marmelo, flores brancas, âmbar

GINESTET - Vinhos e Perfumes

Sr. Delpeuch, diretor geral da Société Ginestet e apaixonado por vinhos se depara com outro apaixonado, desta feita pelos perfumes: Dr. Gilles Toledano da Parfumeur Socieété Florescence à Grâce.
O saldo deste encontro foi a idéia de listar pontos comuns entre perfumes e vinhos Bordeaux elaborando fragrâncias a partir destes.
Escolheram 3 vinhos - Blanc, sauternes e rouge - que foram enviados à faculdade de Bordeaux para definir suas moléculas primárias, as notas de base do aroma.
Após tal definição seguiu-se a etapa de elaboração dos perfumes e a coleção d'Eaux de Toilette da maison Ginestet: Botrytis, Sauvignnone, Le Boise.
Enquanto o conceito de Botrytis nasceu dos doces e licorosos vinhos de Sauternes, Sauvignnone transmite o espírito dos vinhos brancos, leves e frutados das cepa Sauvignon e Le Boisé é fruto da inspiração dos barris onde vinhos envelhecem, mesclando o aroma da madeira nova, baunilha e vinho tinto.

Pontos Comuns :
  • Origem- Ambos utilizam matéria prima que pode diversificar de acordo com a procedência. Flores e uvas diferem conforme o solo onde são cultivadas, cruzamentos das espécies, condições climáticas e colheita.
  • Obtenção - Os cuidados com a colheita, manuseio e transporte são igualmente delicados.
  • Elaboração - Como na vinificação a construção do perfume exige etapas, extração de sumos e mistura dos componentes aromáticos.
  • Blended - A mistura harmoniosa dos componentes produz a melhor qualidade do produto final. É decisiva no sucesso do vinho ou do perfume.
  • Olfato- Enólogos e nez usam seu olfato para discernir a melhor e mais harmoniosa combinação ou a que atende ao conceito proposto.
* BOTRYTIS

Botrytis cinerea é um fungo que acomete as videiras da região de Sauternes- França, no início do outono.
Ocorre em função das variações climáticas locais e ataca a casca das uvas provocando poros por onde a água evapora, causando uma alta concentração de frutose (açucar de frutas ).
A colheita manual, em diferentes e ocasionais locais do cultivo, além das técnicas de produção, encarece muito a produção deste vinho branco de sobremesa.
Especialistas afirmam que Botrytis cinerea é o segredo atrás do sabor e aroma deliciosos destes vinhos.
Sauternes Château d'Yquem é classificado Grand premier Cru, e um dos melhores Sauternes do mundo

Fontes: Imagens e texto oficial - Site/ Relações Públicas de Ginestet;Fragrância Botrytis; Sede antiga de Ginestet; frasco de Botrytis em montagem com favo de mel de Slow Food Australia; Botrytis riesling de Academic Dictionaries

VÍDEO: Like a Prayer

sábado, outubro 03, 2009

Mídia Kit


Perfume Bighouse - Site nicho perfumaria
Elisabeth Casagrande - Administradora, redatora, editora de texto e de arte gráfica.
Contato: www.perfumebighouse@yahoo.com
Curitiba-Paraná-Brasil
2015
* Para visualizar o arquivo PDF clique AQUI


sexta-feira, outubro 02, 2009

Magical Moon - Hanae Mori


Desculpe, estou reeditando esta resenha. Será publicada em breve!

Sorry, I am reprinting this review. Will be published shortly