Pin It button on image hover

sábado, junho 27, 2009

ALLURE, CHANCE, COCO - Perfumes Chanel

 ALLURE - A Dinâmica
Arrebatada jovem e impulsiva.
Na sua impetuosidade ela enfrenta as atividades diárias com energia e humor.
Sua fragrância deve eclodir envolvida em frutas, onde oscilam o frescor ácido e picante dos cítricos com o agridoce de pêssegos, frescos e firmes, antecipando cremosidade doce e suculenta de frutas maduras.
Saída leve e etérea com frescor que evoca lavanda e menta adquirindo rapidamente nuances frutais e especiados.
Gentileza e doçura estão embutidas nesta personalidade vibrante.
Assim como no envolvente Allure, que ao avançar do tempo, nos permite entrever flores, suaves e delicadas como nenúfares, jasmins e rosas.

Feminilidade atenuando o pungente e picante aroma do início.
Bela na sua envolvente roupagem ambarada e almíscarada, onde sentimos sândalo ladeado por estimulante e azedinho vetiver.
Baunilha fecha habilmente esta composição garantindo o envolver polvoroso e amadeirado do drydown que ainda permite uma leve pincelada de especiado frescor.


Família Olfativa: Oriental Floral,1996
Perfumista : Jacques Polge
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Bergamota, tangerina e pêssego
  • Coração - Rosa Damascena, jasmin e nenúfar ou lótus azul.
  • Base - Sândalo, vetiver e baunilha
CHANCE - A Romântica

Amorosa, elegante e criativa.
A garota Chance confia no amor e se encanta com o belo.
Chocolates e flores conquistam pelos sentidos. Delicadeza e sinceridade atraem seu espírito.
Este chypre suave, fresco e doce é dotado de jovial sensualidade e ainda conserva inocente displicência.
Existe um equilíbrio entre frutas e flores que se encontram num lugar comum em doçura oriental.
Revestido de leve sofisticação absorve das notas de vetiver e patchuli um provocante e apimentado frescor.
Baunilha garante a doçura que acompanha toda a evolução e une-se ao almíscar e âmbar aparando os excessos das folhas e raízes.

Nota suaves e sedosas embalam confortavelmente como uma canção romântica e languida.
Elegante e polivalente pode transformar-se na signature da maturidade, mas é provável que esta mulher no passar do tempo sinta-se atraída pelos mistérios e encantos de Coco Mademoiselle edp.


Família Olfativa: Chypre floral, 2003
Perfumista: Jacques Polge
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Pau Rosa, limão
  • Coração - Jacinto, jasmim, íris
  • Base - Âmbar patchuli, almíscar branco, vetiver
COCO - A Poderosa
Enigmática, sensual e dominadora.
Ela se reveste de perfume para seduzir.
Prefere o mistério das madeiras e especiarias ao encanto doce e intoxicante de extremada baunilha.
Sua fragrância desperta com cítricos e frutas temperadas pelo coentro num breve incensado.
A doçura vem das flores, como se fosse aroma emprestado de inebriante jardim.
Madeiras da base conservam instigante especiado e carregam um tênue e diluído cravo.
Cálida e envolvente nota animalic traduz sensualidade de músicas e cores arrebatadoras.

Coco é um aroma da noite, quente e intensa, tocando a pele como veludo.
Sua cadência é lenta e profunda, seu ambiente requintado e exótico. Coco pertence a outra época cuja linguagem não é cibernética.

Família Olfativa: Oriental Especiado, 1084
Perfumista: Jacques Polge
Pirâmide Olfativa:

  • Topo - Tangerina, coentro, pêssego
  • Coração - Flor de Laranjeira, acácia, cravo-da-índia, rosa
  • Base - Sândalo, Civeta, âmbar, baunilha
Vídeo: Vanessa Paradis for Coco Chanel -1992


Imagens : Editorial Chanel por Rinko Kikuchibyka de photobucket; Editorial Chanel 2007 por Larysa-Picasa; Editorial Chanel - Karl Lagerfeld/2009 Jerry HAll de Jeena Roberts; publicidades Allure, Chance e Coco de couleurparfum

quarta-feira, junho 24, 2009

Coco - Gabrielle Chanel e Perfumes


" No elegance is possible without perfume. It is unseen, unforgettable, ultimate acessory" Coco Chanel
E assim dizia Coco Chanel...
Evoluiu de menina pobre criada em asilos para um dos maiores expoentes da moda.
Criou um estilo eterno, reflexo da sua personalidade marcante e de vanguarda.



Assim dizia Gabrielle Bonheur Chanel:
" - Não é possível elegância sem perfume. Ele é o acessório final, invisível e inesquecível"
Marinho, bege e cinza eram suas cores preferidas. Pérolas e camélias faziam parte do seu estilo único e inconfundível.
Beige eau de parfum é lançamento 2009.
Um perfume de flores brancas, mel e pimenta na criação de Jacques Polge para les Exclusifs de Chanel.



" El perfume es una dimensión interior de la femineidad que, sobre todo, expresa de una manera particular aquello que no se podría decir de otro modo"
Coco Chanel vestiu várias atrizes famosas, como Romy Schnneider e Jeanne Moreau, encantando com seus tailleurs a ex - primeira dama Jackie kennedy.
Chanel nº5 foi seu primeiro sucesso na perfumaria. O precursor dos aldeídicos marcou uma época e uma família de perfumes. Este blended fascinante de rosas e jasmim de Grasse foi denominado número 5 para dar sorte e lançado em 15 de maio de 1921. Conceito de madame Chanel materializado por Ernest Beaux.



"- O mais corajoso dos atos ainda é pensar com a própria cabeça"
Com ajuda do grande amor da sua vida - Artur Boyle, Chanel iniciou seus negócios abrindo uma loja de chapéus, que vincada pelo seu gênio criativo, rapidamente prosperou. Desta forma ingressava na alta sociedade parisiense.
Entre 1922 e 1926 lançou Chanel 22, Gardénia, Bois de Iles, Cuir de Russie .
Chanel 19 , de 1970, ainda comercializado, nunca alcançou o mesmo sucesso de Chanel 5. Floral verde, criado por Henri Robert apresenta a elegância agreste do gálbano iraniano, neroli, rosas de Grasse, íris de Florença e madeira de cedro da Virginia.


"- Sou contra uma moda que não dure. É o meu lado masculino. Não consigo imaginar que se jogue uma roupa fora, só porque é primavera."
No pós guerra Chanel consagrou novo ícone fashion: o tailleur de tweed que virou coqueluche entre as mulheres.
Jaqueline kennedy usava um quando John F. kennedy foi assassinado em Dallas.
Poluarizou o uso de calças compridas pelas mulheres.
Com a parceria de Henry Robert, o novo nez da maison a partir de 54, criou Pour Monsieur , seu primeiro perfume masculino, que foi reformulado em 1988 por Jacques Polge.
As notas contundentes demonstram uma saída cítrica baseada no limão, petitgrain e neroli, enquanto o coração está centrado no cardamomo e a base em madeiras de cedro, musgo de carvalho e vetiver .


"- Não entendo como uma mulher pode sair de casa sem se arrumar um pouco-mesmo que por delicadeza. Depois, nunca se sabe, talvez seja o dia em que ela terá um encontro com o destino. E, é melhor estar tão bonita quanto for possível para o destino.
Dona de um espírito indomável e arrojado teve muitos amores com homens da alta sociedade européia e astros de cinema.
Delgada, mignon, e destituída do padrão voluptuoso da época, era inesperadamente sedutora.
Conta-se que um dos pretendentes foi o Duque de Westminster, por ela recusado, dizendo que duquesas de Westminster havia muitas e Chanel uma só.
Chance, lançamento de 2003 , é um perfume conceituado na sorte, na expectativa.
Seu aroma pretende ser fresco e sensual com notas de jacinto, almíscar branco, âmbar e patchuli


"- Quantos cuidados uma pessoa precisa tomar quando decide não ser algo mas sim alguém"
A infância pobre e sofrida deixou marcas profundas em Madame Gabrielle Chanel.
Nasceu dentro de um hospício, cresceu na penúria com mais 4 irmãos e perdeu a mãe, vítima de tuberculose, quando tinha 12 anos.
Seu pai confiou sua guarda à tias em um orfanato.
Afirmava que durante sua infância ansiava por ser amada e que sua salvação foi o orgulho.
No começo da sua carreira tentou a sorte como dançarina e cantora de cabaret, na tentativa de conseguir dinheiro para realizar o sonho de ser modista.
Obstinada, apesar das dificuldades enfrentadas, chegou ao ápice como uma das maiores revelações mundiais da haute couture.
Egoiste, amadeirado e especiado, criado em 1990, visa a camada masculina de homens fortes e determinados, destinados ao sucesso. Homens que detém paixão pela vida.
Seus acordes envolvem notas de pau-rosa, coentro, rosa, cravo,canela, sÂndalo, baunilha e âmbar.



"- Onde uma mulher deve usar perfume? perguntou-me uma moça. - Onde ela quiser ser beijada, eu respondi"
Romântica, Gabrielle Chanel sofreu após o fim do seu romance com Boyle, dono de grande fortuna, que optou por um casamento de conveniência.
Mas, futuramente conheceu e apaixonou-se por um príncipe russo, e durante a segunda guerra teve um envolvimento romântico com oficial alemão.
Desvinculada de dogmas, dona de espírito livre, dedicou ao designer de moda a mesma paixão com que enfrentava a vida.
Seus conjuntos com debruns contrastantes, sapatos bicolores, bijouterias em pérolas e strass, bolsas matelassê com correntes douradas causaram frisson. Estabeleu-se o estilo.
Coco Mademoiselle, lançado em 2001, poderia ser um representante peculiar desta geração de mulheres do pós guerra, ávidas por elegância, beleza e glamour revestido de praticidade.



"- A moda não é algo apenas presente nas roupas. A moda está no céu, nas ruas, a moda tem a ver com idéias, a forma como vivemos, o que está acontecendo."
Revolucionou a moda dos anos 20 com seus trajes de linhas retas, distintas e confortáveis . Seus desenhos eram de roupas para durar, pois afirmava que :"Tudo que é moda passa de moda". Tencionava criar um estilo que perdurasse.
Nos anos 30 foi contratada pelo magnata de Holywood- Samuel Goldwin, para vestir as grandes musas do cinema, como Katherine Hepburn, Grace Kelly, Elizabeth Taylor e Gloria Swanson.
Allure oriental floral de 1996 apresenta acorde floral embalado por madeiras e baunilha. Poderia ser o perfume de doces divas, envoltas em elegante sensualidade, como Grace Kelly ou Gloria Swanson.



"- Já que tudo está na nossa cabeça. é melhor a gente não perdê-la."

Mademoiselle Gabrielle Chanel, apesar de ter sido enfermeira na Primeira Guerra Mundial, devido ao seu envolvimento amoroso com oficial alemão na Segunda Guerra, foi relegada ao ostracismo, e enfrentou acusações de colaboracionismo com o inimigo.
Persistente e combativa viveu na Suiça durante alguns anos até superar esta situação, o que ocorreu com sua entrada e sucesso, no mercado americano da moda.
Antaeus, chypre amadeirado dos anos 80, foi inspirado na virilidade e poder masculino. Seu nome vem do deus grego filho de Poison e Gaia ( mãe Terra) que lhe conferia força quando estava com os pés no chão. Derrotado por Hércules que descobriu sua fraqueza, e supendeu-o no ar durante uma luta.
O perfume foi concebido para aqueles que sabem combinar a força dos deuses com a poesia dos homens .

"- Inovação! Não se pode ser inovador para sempre. Eu quero criar clássicos."
Fê-lo com maestria. Introduziu o uso de calças compridas para mulheres, criou o conceito do pretinho básico, transformou bijouterias em acessórios elegantes e requintados
Requintadas bolsas matelassê com correntes douradas ainda são ícones fashion.
Na perfumaria seu inovador Chanel 5, nascido do desejo de um floral intenso, simplesmente definiu uma família olfativa: Aldeídos.
Talvez Coco seja o perfume que bem representa sua personalidade. Oriental especiado tentou capturar a atmosfera barroca a envolvê-la com a decoração impressiva e exótica do seu apartamento na rua Cambon em Paris .
Saída floral frutal vibrante cede lugar ao bouquet de rosas e jasmim, apimentado pelo cravo e resina cascarila. Âmbar, baunilha e madeira de sândalo embalam a base nesta criação Jacques Polge de 1984.




VÍDEO: Coco Chanel parle de l'élégance- youtube


Imagens: Coco Chanel - domínio público; Vestido Chanel coleção 2007 -editorial Vogue junho 2007; Publicidade Chanel de couleurparfum; Maison Chanel na praça Vendome em Paris por Eric Pouhier; Publicidade de Pour Monsieur- 1989 de images de parfum; Keira knigthelly- face Chanel em 2007 de smh.com.au; Publicidades de Coco-1984 /Egoiste, Antaeus/Chance/Allure de couleurparfum.Foto de Coco Chanel - Acervo de Dâmaris OBS

segunda-feira, junho 22, 2009

John Varvatos for Women - John Varvatos

Moda, música, perfume.
John Varvatos é um designer que não se limita a prancheta.
Suas atividades envolvem o vibrante ambiente musical, incluindo no seu repertório profissional o estilo fashion de vários cantores e a promoção de badaladíssimos eventos.

Scent of a Man- John Varvatos by John Varvatos, lançado em 2004, criação de Rodrigo Flores Roux (Givaudan), foi o primeiro ensaio na perfumaria, seguido por John Varvatos Vintage em 2006.
Perfumes idealizados em torno de acordes tipicamente masculinos revelam classicismo embora estejam pontilhados por característica sensual e dark, beirando o punk rock.
O masculino John Varvatos é carregado em escuro dry down de tabaco, baunilha, couro e madeiras enfumaçadas.

Em 2008 foi criada a primeira fragrância feminina, inspirada em Joyce, sua esposa.
Aroma licoroso, doce e hipnótico.
O princípio explode em frutas maduras suculentas e sensuais. Damasco, ameixa, manga e tangerina formam acorde exótico e gustativo.
Envoltos no aroma deste licor frutal aparece o bouquet onde percebemos jasmim e lírios.
Toda a fragrância está permeada pela doçura do mel e da abaunilhada fava tonka.
Poderia ser mais um floral frutal a provocar reações sensoriais de gula, se não houvesse associação com patchuli e musgo.

Esta bela combinação extrapola para gula e pecado, garantindo a característica chypre, densidade do aroma e persistência longa, numa fixação realmente desejável.
A doçura de John Varvatos for women lembrou-me o doce frutal de Nilang by Lalique enquanto que semelhante intensidade licorosa e sensual está contida em Quizas Quizas Quizas by Loewe.
Ao estilo do masculino, apesar de algo clássico, encerra no frasco, idealizado por Doug Lloyd of Pochet, fragrância agradável, doce e de contemporânea descontração.
Perfume também é rock and roll.



Família Olfativa: Chypre floral frutal, 2008
Gênero: feminino
Perfumista: Rodrigo Flores-Roux
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa.
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Damasco , ameixa e tangerina
  • Coração - Lírio, floração de mangueira indiana, jasmin egípcio, rosa da turquia
  • Base - Musgo de carvalho, patchuli, fava tonka e mel silvestre.

Arte irmã: Inspire-se no vídeo.


Franz Ferdinand - Do You Want To
Enviado por stevanhogg

sexta-feira, junho 19, 2009

Diorella - Christian Dior


Christian Dior era um inovador de moda, como demonstra a sua coleção New Look, que trouxe arrebatamento e formas inéditas para vestir a silhueta feminina do pós guerra.
Afirmava que: " Perfume é o complemento indispensável da personalidade feminina, é o finishing touch de um vestido, é a rosa com que Lancret assinava suas telas "
Perseguia a renovação também na perfumaria, portanto nada mais adequado que outro inovador reacionário para compor perfumes da maison.
Assim encontrou Edmond Roudnitska que elaborou inesquecíveis fragrâncias Dior, dentre os quais o célebre Dioríssimo, baseado no lírio do vale, flor predileta do designer. Eau Savage o clássico da perfumaria masculina e Diorella - um sopro de ar fresco.


Diorella, um chypre... Xodó particular. E cítrico, outro encantamento.
Aromáticos que foram rejeitados, numa época distante, quando mente e corpo pediam lavandas leves, florais doces e almiscarados.
Revi conceitos e percebi que há cítricos e cítricos.
Na peregrinação olfativa aromáticos me seduziram,  fragrâncias verdes que nos transmitem a sensação de um mergulho na Natureza.
A mensagem de Diorella é do profundo frescor e limpidez fugindo da banalização de alguns aquáticos atuais. É a liberdade de um mergulho em correnteza transparente e borbulhante.
Deleite confortável e primoroso.


Complexo e ao mesmo tempo de uma simplicidade natural, como paisagens bucólicas e quietas, a esconder vida pulsante atrás de cada folha, na monocromia de planta e terra.
A sensação imediata denuncia o cítrico, picante e rápido como o brilho fugaz de fogos.
Associadas ao fragrante manjericão, notas verdes e orvalhadas, simulam o aroma de pele limpa, recém saída da água.
Esta sensação persiste durante toda a evolução.
Pinceladas cítricas mantém-se constantes embora tenham perdido a impetuosidade inicial.
Existe um fundo uniforme e estável que simula linearidade, porém a fragrância é complexa e notas deslizam sobre esta base confiável numa progressão que conduz ao doce das flores, suaves e elegantes, e posteriormente à sobriedade do musgo e do vetiver.
Flores que garantem a feminilidade deste perfume cuja saída é ligeiramente masculina de acordo com padrões clássicos.


Entremeando este floral muito delicado, quase que só uma percepção de doçura, está uma nota quente e ligeiramente picante que dá vida ao aroma. Calorosa e terna.
Acorde tênue se revela  sedoso e  persiste mesmo quando predominam as madeiras e musgo da base.
Impossível não gostar da sofisticação discreta de Diorella, no seu aroma claro, cintilante e verde; cuja intensidade e persistência revelam qualidade e harmonia na escolha dos componentes.
Uma composição brilhante do perfumista Edmond Roudnistka, na década de 70.
Elegância confortável e discreta como a que se pode esperar de Eau de Cologne Imperiale da casa Guerlain ( 1860), e de 4711 Original Eau de Cologne by Muelhens (1792).
Ambas na mesma linha olfativa de aromas refrescantes, cítricos, com toques transparentes e especiarados do manjericão, atenuados pela doçura de flores, embalados em folhas, seivas e madeiras nobres, como vetiver, musgo de carvalho, cedro e patchuli.
Esta mesma sensação agradável e duradoura é encontrada em outros que sucederam na linha olfativa.


Quem se encanta com Diorella provavelmente apreciará variações do mesmo tema como Eau d'Hadrien by Anick Goutal (1980), Cristalle by Chanel (1974), Eau de Jour by Fekkai (1997) e Green Tea by Elisabeth Arden (2000).
Perfumes cítricos e aromáticos a proporcionar refrescante conforto como seus antecessores.
Diorella é um dos divisores de águas que podem modificar opiniões, mudar preferências devido a qualidade da sua composição.
Perfeito para o uso cotidiano, casual, refrescante em calor opressivo ou estimulante nos cálidos dias de primavera.
Radiante, delicado e revigorante poderia ser a versão feminina de Eau Savage, visto que foi concebido em proximidade cronológica, contudo suas características indicam personalidade própria e não apenas modificações para garantir feminilidade.
Perfeitamente compartilhável, reflete a têmpera do seu criador, idealista em conceitos feministas e dogmas de liberdade.

Família Olfativa: Chypre Floral, 1970
Gênero: Unissex
Perfumista: Edmond Roudnitska
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Limão, manjericão, tangerina
  • Coração - Pêssego, madressilva
  • Base - Musgo de carvalho, vetiver

Imagens: New look Christian Dior by Pascale Richad; Oak tree-free image de HugWallpaper; Jardim de Art & Parfum do álbum "Spring in Art & Parfum" de Michel Roudnitska;Publicidade Dior em ilustração de Renee Grau, colagem de Elisabeth Casagrande

quinta-feira, junho 18, 2009

La haie Fleurie e Fleur de Liane - L'Artisan Parfumeur


LA HAIE FLEURI

Florais são meus perfumes favoritos, jasmim minha nota olfativa e flor preferida.
Estive durante esta primavera, que já se despede, em busca de um bom perfume "ajasminado" para celebrá-la.
Terminei me rendendo a Jasmin Noir by Bvlgari apesar de não primaveril.
Sempre resistia Voile de Jasmin por ser muito leve e a La Nuit Serge Lutens assim como Joy de Jean Patou por serem muito intensos.
Hoje tenho o prazer de escrever sobre um aroma de alta perfumaria, muito apreciada por vários leitores.
Para mim um grande amor: La Haie Fleurie L'Artisan, encontrado enquanto buscava perfumes diferentes que valessem uma boa resenha para o blog.
Acabei descobrindo um dos melhores aromas que já senti! Maravilhoso jasmim!
Porém ainda tenho curiosidade quanto a Jasmin Full de Montale e Jasmine Keiko Mecheri.
La Haie Fleurie edt é uma intensa cobertura de flores, criada por Jean-Claude Ellena em 1982.
Uma verdadeira homenagem ao jasmim na forma de perfume, com notas de mandarina, flor de laranjeira, jasmim, narciso, madressilva, baunilha e musgo.
O perfume lembra uma elegante boutique de flores, luminoso se comparado a linha niche e a outros perfumes deste nez, mantém a característica de naturalidade nos aromas L'artisan.



Imagens: Publicidade de L'Artisan Parfumeur


FLEUR de LIANE

Para os que não dispensam um lançamento ou um bom perfume compartilhável, Fleur de Liane é uma novidade L'Artisan. Criado em 2008 por Bertrand Duchaufour corresponde a atual tendências de algumas casas: faz parte de uma coleção de perfumes inspirados em viagens ou lugares exóticos...
Os antecessores são Timbuktu - Inspirado em Mali, África; Dzongka - Inspirado em Buthan reino localizado entre a China e a Índia à leste do Himalaia; Bois Farine- evocando a branca árvore mágica da ilha Reunião, leste de Madagascar.
Fleur de Liane, a quarta fragrância, foi inspirada na ilha BahiaHonda do Panamá.
Seus acordes principais são notas verdes, seivas, goiaba, magnólia, tuberosa, frangipani, malmequer, guaico, cedro, vetiver, patchuli e musgo.
Destaca-se, nas notas de abertura, uma nuance verde, tropical e pantanosa, densa e úmida.
Logo notas florais cremosas e fundo resinoso complementam a paisagem olfativa que realmente desperta o desejo de conhecer este paraíso tropical chamado Bahia Honda.



Fotos: Publicidade de L'Artisan Parfumeur

JASMIM



Jasmim, também conhecido como jasmim-amarelo, jasmim-branco, jasmim-da-china, jasmim-da-espanha, jasmim-da-itália, jasmim-de-são-josé, jasmim-dos-poetas, jasmineiro e jazmin (espanhol), jasmin (francês), gelsomino comune (italiano).
Pertencendo ao gênero Jasminum,com mais de 537 espécies diferentes, está caracterizado como um arbusto ou trepadeira perenifólio da família das oleaceas.
Planta nativo da Pérsia, disseminou rapidamente pelo Velho Mundo devido a beleza das flores geralmente brancas e de valor aromático.
É ampla sua utilização como planta ornamental, principalmente no caso das trepadeiras.
Requer cuidado diário em seu cultivo a sombra porém em ambiente iluminado.
Seu crescimento pode implicar na necessidade de inúmeras podas.
O solo deve ter umidade mediana sem problemas com ressecamento ou drenagem.
Alguns tipos de jasmim exalam aroma que ajuda a repelir vários tipos de insetos.
Em terapias alternativas é usado na forma de unguento ou infusão para se obter efeito afrodisíaco, antisséptico, calmante, emoliente, relaxante, revigorante e rejuvenescedor.
Também é utilizado para pruridos (coceiras) da pele, dores de cabeça, inflamações das amídalas e aparelho genitourinário feminino.
Algumas variedades como o J. oficcinalee J. sambac, entre outras, são empregadas na arte da perfumaria.
O óleo de jasmim apresenta nuances que podem ser florais,animalic, cálidas, frutais ou licorosas.
Para produção em perfumaria, as flores devem ser coletadas uma por uma, antes do nascer do sol a fim de não serem danificadas, preservando a fragrância.
Alguns perfumes com alta concentração de jasmim são: Joy-Jean Patou, Murmure- Van Cleef and Arpels, Le de Givenchy, Bvlgari Ville de jasmin, Le Jasmin- Annick Goutal, Jasmin-Maitre Parfumier & Gantier, A La Nuit - Serge Lutens, Jasmin Full - Montale.

Imagem: Jasmim de everystockphoto

Colaboração da leitora Luz - edição de Elisabeth Casagrande

Arte Irmã na música ...  Opera - The Jasmine Flower (Mo Li Hua) - Celine Dion e Song Zuying


terça-feira, junho 16, 2009

Noir Epices - Editions de Parfums Frederic Malle


Um nez a desenvolver sua sensibilidade em ambiente criativo e ligado a Natureza desenvolveu percepções que extrapolam o sentido da olfação.
Mesclando a capacidade aprimorada de reação aos estímulos visuais, auditivos e sensoriais, somou e potencializou o que individualmente constitui reconhecido fascínio.
Desta visão múltipla onde o raciocínio exato e matemático casa com a impressão primorosa e subjetiva dos sentidos surgiram teorias e produções artísticas.
Quintessence, arte em espetáculo cênico, foi baseado nos cinco elementos naturais, representando o ardor das chamas em tons quentes, dança de movimentos intensos e ritmados, música vibrante e sensual.


A impressão olfatória foi dada pelo aroma da queima de substâncias exóticas simulando uma rota das especiarias para o oriente.
Cálido e fascinante oriente.
Este aroma de Quintessence foi o precursor para a elaboração de Noir Epices.
Essência oriental que se abre com um disfarçado cítrico, submerso pelas ondas picantes do cravo assomando desde o início.
Foi minha primeira sensação.


Cravo. Poderoso e dominador cravo-da-índia.
Aparece de maneira seca, por uns momentos, quase atordoante como o salto de um felino.
Seguido rapidamente pelas notas coadjuvantes e igualmente belas de canela, pimenta e noz moscada que juntas atenuam sutilmente o ardor e sublinham seu caráter exótico.
As flores escondem-se tímidas entre o arrebatamento especiado.
Percebemos a doçura, talvez da rosa, e um frescor fragrante a denunciar seivas e folhas,talvez gerânios.
Este bouquet, suave e ao mesmo tempo exótico, polvilhado de especiarias prossegue sua trajetória, apimentado, gradativamente denunciando as madeiras.
Tons profundos e sedutores envolvem numa sillage persistente.
O caráter da fragrância que parecia preste a evoluir seca, cortante e metálica, adquire um viço cremoso e úmido .
Combinação de patchuli e madeiras de cedro e sândalo propicia um acorde que orvalhado e terroso é límpido, como se brotasse de profundezas férteis e intocadas.


A Natureza na sua expressão mais pura, ainda não violada.
Não são mais notas soltas, isoladas e preponderantes.
O perfume atinge uma fase onde brilham em suas peculiaridades, mas encantam ainda mais no conjunto indissolúvel.
Harmonioso, exótico, suavemente doce, picante e amadeirado.
Um prazer para os sentidos esta fragrância revela uma sensualidade confortável, despojada mas intensa.
Notas cremosas e delicadas fazem o contraponto perfeito com a agressividade picante do cravo, pimentas e patchuli.
Doçura de canela e rosa conferem elegância enquanto as madeiras suaves e límpidas acenam para o conforto de abandonada indolência.


Família Olfativa: Oriental amadeirado, 2000
Gênero: Unissex
Perfumista: Michel Roudnitska
Rastro: Intenso a moderado
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Laranja, Rosa, Gerânio
  • Coração - Noz Moscada, Canela, Cravo, Pimenta
  • Base - Patchuli, Madeira de Cedro e Madeira de Sândalo.

Vídeo: Coreografia para o filme EL Amor Brujo- Carlos Saura e Antonio Gades


Imagens: Noir Epicés de Michel Roudnitska- Art et Parfum; Syzygium aromaticum -clove de botany.hawaii.edu; flame de free photo.com; Hot spices de Michel Roudnitska-Art et Parfum

sábado, junho 13, 2009

Vent Vert eau de toilette - Pierre Balmain


Se fosse possível qual poder mágico você escolheria ?
Seria a capacidade de poder viajar no tempo e espaço num piscar de olhos?
O meu sim! Provavelmente não teria como voltar, tantas seriam as épocas e lugares acenando para minha curiosidade ... Uma inquieta viajante, perdida entre mundos e estrelas, no compasso dos milênios.
Seduzida pelas extensões verdejantes, pelo bucólico campestre, brancura infinda de neve e gelo, iria à Rússia anterior a Lênin, anterior aos Czares decadentes ...
Estaria usando Vent Vert nesta viagem.
Parece-me tão perfeito!
Um perfume revolucionário, fruto da imaginação de Germanie Cellier, perfumista rebelde em atitudes não convencionais, atrevendo-se a abusar do galbanum (80%) numa fragrância feminina.
E, a associação com a Rússia, das belas silhuetas bizantinas, góticas e barrocas recortadas contra o céu ?


"Culpa" das aulas de história da juventude e talvez das figuras femininas, e marcantes, do filme Doctor Zhivago, baseado na novela do literato russo Boris Pasternak.
Quem viu não esquece a impetuosa, apaixonada e controvertida Lara. Ou a leal e abnegada Tonya no contexto sangrento da Revolução Russa Bolchevista, berço do Comunismo, mudando radicalmente a face da Rússia e seu papel na política mundial, tornando-a uma protagonista principal da Guerra fria.Violenta, armada, uma proposta para defender o povo que aniquilou milhares, deste mesmo povo.

É assim! A historia da humanidade está carregada de ideologias utópicas a gerar batalhas, diluídas no tempo, que conseguem demonstrar nossa necessidade ainda primária de evolução espiritual.
Aniquilação da própria espécie é o lado obscuro da natureza humana.
Ganância quase obscena que extrapola o instinto básico da formiga a guardar alimento para o inverno.
Contudo o aroma dos campos, russos ou não, o belo que a Natureza nos traz é luz cintilante e necessário bálsamo.
Um sopro de natureza fresco e verde como Vent Vert é grata surpresa e maravilhosamente feminino.
Um sopro de liberdade!
Sedutor para quem gosta do gênero! Intenso, verde, adstringente, límpido.
Posso imaginar o primordial. Precursor de várias fragrâncias arrojadas, invadindo o universo de acordes ditos masculinos, mas conservando a doçura e delicadeza próprias das filhas de Eva.
Releitura de Calice Becker (1990 e 1999) que proporciona uma visão provavelmente diluída, mas deixa entrever toda a beleza e frescor desta primeira fragrância, a legar seguidores, como no apaixonante e magnífico Ivoire da própria maison.

Abre-se com frescor floral associado ao herbáceo cítrico da goma resina, cujo odor pungente, almiscarado e sulfuroso encontra-se atenuado e adocicado pelas inúmeras flores resultando numa fragrância de folhagens, lírios e violetas entremeada de tênues toques cítricos.
A sensação é de um jardim silvestre, como se andássemos entre várias plantas misturadas, aspirando o odor das flores e de folhas quebradas.Simultaneamente percebe-se uma intensidade fina e cortante, característica da profundidade aldeídica, que pincela a fragrância encobrindo o apimentado quente que tenta aflorar.
Na base, madeiras ambaradas e almiscaradas atenuam o verde em meigo cálido e doce aveludado.



O rastro ou sillage é forte mas a fixação devedora.
Comparando estas com características de outros perfumes, lançados em épocas próximas, podemos imaginar quão intenso e fragrante era o original.
Se fossem concretos os sonhados poderes, permitindo atravessar temporalidades e espaços, daria uma passadinha em Paris para garantir a posse de um Germaine Cellier. Não mais que cinco minutos ...



Família Olfativa: Floral Aromático (verde), 1947, 1990 e 1999
Perfumista : Germaine Cellier- releitura de Calice Becker
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Gálbano, limão, alfavaca e Pêssego
  • Coração - Jasmim, Jacinto, Rosa, lírio do vale ou lírio selvagem
  • Base - Vetiver, musgo de carvalho, sândalo e benjoin
Notas Olfativas - Versão 1990: limão, bergamota, lima, flor de laranjeira, gálbano, cravo francês, ylang ylang,rose, jacinto, lírio do vale, notas apimentadas, musgo de carvalho, madeira de sândalo, madeira de cedro, íris .

Notas Olfativas - Versão 1999: Flor de laranjeira,limão,lima, alfavaca, rosa, gálbano, lírio do vale, fresia, jacinto, cravo- de- defunto, ylang ylang, violeta, musgo de carvalho, sálvia, iris, madeira de guaiaco, ambar e almíscar.


VÍDEO: Lara's Theme- Music and Pictures of Russia


Imagens:Frasco de Elisabeth Casagrande; Vent Vert Publicidade de 1990; Rússia-Saint Basil's Cathedral (1555-61);exército vermelho de workdehistory.blogspot; Fleurs au vent du parc de la Tête d'Or (Lyon, France) de YVYI para flickr; lily of the valley de Victoriana Nursery Gardens

quinta-feira, junho 04, 2009

Hot Couture eau de parfum - Givenchy


Não... Obrigada, não fumo.
Também não posso afirmar que seja "bicho grilo" ou " natureba" pois apesar de bióloga convicta não sou dada à excessos ou extremos.
O apelo da Natureza é irresistível, mas o citadino de igual forma.
Sou "bicho dividido", mas não em relação ao tabaco. Passo longe.
Contudo, a perfumaria é outro universo, onde notas de incenso, tabaco, resinas e madeiras enfumaçadas fazem a delícia dos sentidos. Da percepção olfativa.
Hot Couture é uma destas delícias, quente e fresco, se possível este antagonismo caminhar em vias paralelas.
Talvez a incongruência esteja na disposição dos acentos olfatórios.


Cítricos, quase sempre presentes, aqui são delicados e tímidos. A framboesa idem.
Magnólia com certeza há, pois percebo o doce floral típico, embora não haja a exuberância da flor existente no raro Magnolia de Ives Rocher, ou a luminosidade oferecida em Rumeur e Bright Crystal.
O que a pirâmide não exlica é este enfumaçado de tabaco, que parece a bruma das geadas evaporando ao sol, carregando consigo o aroma de raízes, folhas e flores entreabertas, diluindo-se em luz.
Sinto-o como sutil aroma do fumo de rolo, negro, acre e doce, que senti algumas vezes na infância, ao entrar em antigos armazéns.
Ainda podemos encontrá-lo em poucas lojas.
Pimentas maravilhosas e verdes, picantes, sem ardência, com o frescor das recém colhidas, teimosamente envolvidas em defumadas madeiras conferindo uma sensualidade inesperada.


A evolução revela um casamento perfeito destas notas com a frescura do sândalo, vibrante vetiver, doce almíscar, profundo e acentuado âmbar.
Hot Couture é alta costura. É pret-a-porter. Elegância e refinamento Givenchy.
Perfume denso, sofisticado, não usual, cuja doçura confortável e enfumaçada  reverte em sillage poderosa, que desperta olhares, comentários e encantamento.
Perdura, abraça, e seduz. Agrada-me.


Ficha Técnica
Família Olfativa: Oriental Floral, 2000 
Gênero: Feminino ( compartilhável) 
Perfumista: Alberto Morillas
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Laranja, framboesa, tangerina
  • Coração - Magnólia, pimenta negra
  • Base - Sândalo, vetiver, âmbar,almíscar
Similaridades: Leitores apontam alguma semelhança com Gucci II, Jean Paul Gaultier e Heavenly Kiss de Victoria Secrets. Para mim é aroma ímpar.

Arte Irmã:Se fosse música estaria na bela voz de Norah Jones em Sunrise

Imagens: Frasco de Hot Couture de Elisabeth Casagrande - Parque Barigui,2009 por Magda Marcela; woman de vi.sualize.us; ensaio de Haleh Bryan