Pin It button on image hover

sexta-feira, maio 22, 2009

Oxygene by Lanvin




Perfumes aquáticos não constituem uma primeira escolha do meu repertório olfativo.
Prefiro os aroma quentes e orientais, o apelo das especiarias como a canela, cravo, anis, mel... Ainda declaro uma paixão aos amadeirados e aromáticos chypres.Os aquáticos ficam para trás ....
Surpreendeu-me encontrar Oxygene  de Lanvin classificado como floral aquático.
Diria floral de bosque, talvez de bosque perto do mar, ou do alto das montanhas... bem do alto, dos picos entre nuvens.
Inevitavelmente comecei a ver este delicado e atraente aroma por outro prisma. Realmente está centrado em águas límpidas e frescor de orvalho.
O inesperado acontece.
Surpreendentemente, o perfume discreto, desprovido de sillage, fechado sobre a pele como se escondesse mistérios, revela segredos de graça e beleza.

Gardênia úmida, envolta em folhas, encabeça a saída. Fresca como devem ser as flores de elfos e duendes.

Somada a íris azul, rosa e hissopo ou erva sagrada formam um bouquet suave e recolhido, mas não menos encantador.
Percebe-se na base o toque de pimenta branca, igualmente delicada, quebrando a doçura de sândalo e almíscar.
Encontrei uma brisa leve de madeiras, cedros, quase um sopro, como se viesse transportada pelo manso sereno a cair lentamente sobre galhos e folhas, contando segredos e antigas lendas para o vento.
Transportou-me à uma história repleta de encantamentos e feitiços, amores desencontrados e intrigantes, contada sobre a atordoante beleza das praias de Fernando de Noronha. Ah...Riacho Doce



Marcante e contido, Oxygene é um sopro de ar fresco e doce. Sombra repousante para quando precisamos temperar os excesso de luz e exuberância...
Um aroma quieto, quase nostálgico naquela sensação de paz que acomete quem contempla uma linda paisagem, um entardecer em regiões intocadas e puras.
Como um arrepio, um tremor repentino pela noite que se aproxima.
Não entontece, não seduz em brilho e purpurina, não aquece e é aquático...Apesar disto, esta fragrância da virada do século tem um lugar privilegiado na minha preferência.
Mistério olfativo. Talvez sejam as flores de fada. Talvez um sortilégio.



Ficha Técnica
Família Olfativa: Floral Aquático, 2000
Gênero: Feminino (compartilhável)
Perfumista: Alberto Morillas
Rastro: Moderado a baixo
Sillage: Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Bergamota, gardênia
  • Coração - Íris azul, Rosa , Hssopo, pimenta branca
  • Base - Sândalo, Almíscar branco


Arte Irmã na música tema de  Somewhere in Time ( " Em algum lugar do Passado")


 Imagens: Oxygene by Elisabeth casagrande; Fada de recadosnanet.com; Ilha Fernando de Noronha por Claudia Sávio.

4 comentários:

  1. Num país quente como o nosso, o uso de perfumes como o Oxygène é mais o mais indicado para o uso diário. Curiosamente, eles não são muito usados. Conquista das últimas décadas da indústria perfumística, a leveza é o que realmente surgiu de novo no final do século. Sugerindo tons aéreos, Oxygène é muito delicado mas bem afirmativo e seco, sem ser chocho nem grosseiro com cheiro de banca de frutas. Um mistério transparente de fala meiga.

    ResponderExcluir
  2. Síntese perfeita Aretê. Realmente é ideal para o verão,quando o calor pesa na pele. E não tem nada deste gourmand saladinha. Como em qualquer gênero existem várias receitas... aprecio algumas,não muitas.
    Oxygene tem um amadeirado muito leve quase etéreo conseguindo esta façanha de ser delicado e seco ao mesmo tempo.Beijocas mon ami. Betty

    ResponderExcluir
  3. Olá, Elisabeth e Aretê

    Cheia da expectativa que as vossas palavras me deram sobre Oxygene, encomendei um na Strawberrynet, tendo chegado às minhas mãos no tempo previsto. E… não sei o que está errado, mas Oxygene foi uma perfeita desilusão. Não daquelas desilusões que causam mal estar, tal como me aconteceu com L’Air du Temps, que me remeteu a uma decadência rançosa, mas porque não encontrei nele aquele frescor exuberante que senti em Eclate d’Arpege, ou em Blue de Ralp Lauren, ou em Escale a Pondichery de Dior. Não encontrei nele o delicioso conforto de Happy de Clinic ou de Neroli de Chloe, nem a surpresa irreverente de A Scent, nem o deslumbramento daquele que nomeei meu nº 1, Essencial da Natura, o que não é fácil de conseguir estando em Portugal.

    Sei que Oxygene me desiludiu com um leve incómodo que não consigo explicar. Nem sequer consegui aceitá-lo para perfume dos dias sem nada de especial porque com ele não me identifico nem reconheço. Fico super tentada com outras resenhas, mas, receio. Se vocês tiverem dicas para eu experimentar dentro dos gostos que nomeei, ficarei imensamente grata, mesmo reconhecendo que cada nariz sua sentença. Estarão a presentear-me com orientações para o que mais gosto de fazer: conhecer paisagens olfativas. Muito obrigada por tudo o que disponibilizam neste blog!

    ResponderExcluir
  4. Oi Sandra. Uma vez Aretê me disse que Oxygene é um perfume melancólico. Uma garota da minha família se encantou justamente por ser uma fragrância contida, discreta com um cheiro vago de madeiras de Natal.
    Para mim é aroma confortável, como certas roupas leves que a gente nem percebe que está usando.
    Mas gosto é tão difícil de conciliar. Os narizes são todos diferentes.
    Eclat é uma versão mais leve e floral de Light Blue.Já experimentou I Love Love de Moschino. Mais denso e amadeirado.Benghal é uma bela opção. Angel Schelesser Femme que é muito próximo de Bvlgari Thé Blanc. Pure Poison de Dior, Lauren Stile, numa linha mais floral e aldeídica.
    Eu sou totalmente eclética. Tenho preferências em todas as famílias olfativas com restrições para algumas combinações ou acordes. Aprendi a gostar dos dulcíssimos, adoro chypres, orientais, amadeirados , cítricos, florais aldeídicos e consigo encontrar bons perfumes até entre os frutais e aquáticos. Beijocas de Elisabeth

    ResponderExcluir

Apreciarei sua opinião ou sugestão e tentarei responder as suas dúvidas!