Pin It button on image hover

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

31, Rue Cambon - Les Exclusifs de Chanel


Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009, 18:00h.
Mutante. A cada vez que se usa mostra uma face ou, talvez sejamos nós a não perceber sua multiplicidade de imediato.
Preciosa delicadeza com inúmeras nuances, versatilidade que só não dispensa a elegância vívida das primeiras às últimas notas.
Diria que é a essência de madame Chanel, aprimorada, modernizada, cujas arestas foram lapidadas.
Tal como seria na sabedoria de cem anos.


Considerado um chypre moderno, sem as notas resinosas e verdes usuais, atrevo-me a pensar que é um floral renovado, uma espécie diferenciada de família única.
Sofisticado e citadino leva-nos para um gabinete de amplas janelas, que permitem visualizar Paris numa tarde de sol, cálida e bela preparando-se para o anoitecer.
Um aposento íntimo, onde suave aroma invade recantos, permanentemente mesclado aos hábitos sofisticados, à vida. Envolto em papel timbrado, chás de rosas e jasmim. Puro requinte.


Quando me foi apresentado percebi madeiras recém cortadas, frescas numa brandura de celulose explodindo sobre a pele. Este início aparentemente agressivo cativou minha atenção.
Aragem agradável de final de tarde nestas madeiras, apesar da intensidade suficiente para encobrir possíveis cítricos...
Entretanto a evolução rapidamente mostrou-me flores.
Reconhecida íris e seu toque aveludado, talvez macias rosas e suaves lírios num bouquet morno, doce e condimentado; tão cremoso e refinado, que fez-me pensar na agradável oleosidade de nozes, castanhas ou amêndoas.


Talvez pimentas doces, maduras e brandas como se houvessem perdido a instigante acidez através do amadurecimento.
Incoerente nota, quase cítrica permeia esta experiência floral. Aromático balanceado provavelmente oriundo do cistus pois carrega consigo um sedoso amadeirado.
Aliás, a fragrância é assim todo tempo. Escorrega pelos sentidos como pura seda.
Formal pela elegância, casual pela confortável acomodação.
Num segundo contato percebi a doçura de mel. Tão encantadora que esqueci-me das madeiras, envolvida pelo néctar doce oriundo de flores ; tão persistente que dança entre as notas até o ultimo suspiro desvanecer sobre a pele.


As notas amadeiradas agora discretas, oscilam e não abandonam, mais volúveis que voláteis, provocando equilíbrio interessante entre o casual do leve aromático e a elegância floral.
Ainda não defini se a fixação é baixa ou se a fragrância atinge tal nível de sutileza que torna-se menos perceptível do que o desejado.
Suave animalic de base revela um couro sutil, de acessórios femininos, cuja classe e requinte denunciam preciosa procedência. Denota uma sensualidade plácida que dispensa arroubos, desconhece mistérios, vestida de almíscar e sândalo.
Este perfume é uma provocação a novos encontros. Exige familiaridade para ser compreendido. Tarefa difícil numa prima impressão.
Carismático, terno e convidativo.


Bon Soir Mademoiselle Paris!
Faz parte da coleção Les Exclusifs , hoje com 15 fragrâncias concebidas para serem encantadoras: Cuir de Russie, Bois de Iles, Chanel nº22, Gardênia, Coromandel, 28 La Pausa, Bel respiro, Nº 18, * e Eau de Cologne, Misia, Chanel 1932, Sycomore, Beige,
Comentário V.I.P.

Desgosto
Não gostei, apesar de ser um Chanel, que em geral é do meu agrado e de ser linha exclusiva, com inspiração na rua e local de tanta importância para a maison.
Não usaria. Achei mais conceitual; como se fosse um sonho do seu criador, baseado no tema de inspiração, mas que não se "materializou" como deveria . Não personificou mais uma alma feminina.
Senti um floral retrô, na linha de alguns Montale que não aprecio...tem algo que o torna desconfortável na pele . O fundo fica mais agradável, e a fixação é boa. Certamente terá seu público, mas não trouxe nada inovador, nem de único, por assim dizer.
Maria Cristina 


Ficha Técnica
Família Olfativa: Chypre
Gênero: Unissex
Perfumista: Jacques Polge
Rastro: Moderado
Fixação: Muito Boa
Notas olfativas :Tangerina, pimenta preta, patchuli, lábdano ou cistus e íris

Arte Irmã: Shalon - Bon Soir Mademoiselle Paris - ( Youtube)


 Imaagens : Apartamento de coco Chanel (leukepines),

terça-feira, fevereiro 24, 2009

Tuscan Leather Private Blend Collection - Tom Ford


Chypre..indiscutivelmente  couro e chypre.
Um aroma profundo e herbáceo de couro que asssoma os sentidos assim que é aspirado, como se entrássemos numa sala onde maceram ervas frescas, talvez para o preparo de alguma saborosa e exótica iguaria, enquanto um incenso denso e adocicado queima, impregnando profusos couros, tecidos e a própria pele.
Sala em confortável penumbra, na qual raios de luz invadindo pelas fenestras desenham arabescos entre a fumaça que se desprende, refletindo acolhedora segurança.


Perfumada camurça envolve notas de flores, ervas picantes e madeiras preciosas presentes no aroma de natureza cálida acompanhada pelo frescor de essências verdes. Acomoda na pele com a maciez de fino couro, delicadamente âmbarado, imerso no incenso extremo, intenso, quase tabaco pois fixa e impregna permanentemente. Másculo, sóbrio sem exageros, embora se perceba suavidade e delicadeza quase feminina. Poder sem ostentação é a imagem surpreendente deste chypre confortável e equilibrado.

Se pudesse compará-lo a um animal seria ao leopardo de java- felino adulto e ciente da sua força.
Silencioso, calmo, belo, perigoso se provocado, dotado de graciosa e ágil flexibilidade.
Um animal esplêndido cuja aparência convida à respeitosa proximidade, que não gasta energia inutilmente, cônscio da sua elegância e dominante liderança.
Suave e adocicado, o odor das framboesas iniciais não consegue disfarçar aromático delicioso e fresco do tomilho e das preciosas flores de açafrão. Sensação que perdura durante bom tempo na evolução da fragrância, acompanhando a nota perseverante de couro até o drydown. Este é amadeirado, incensado e ligeiramente doce revelando aroma animalic e enfumaçado que esmaece em brumas de âmbar.
Herbal picante e especiado contrabalança o calor das madeiras queimadas.

A presença do bouquet onde predomina a dama da noite é de constância encantadora, pois se faz perceber sem nenhum dissonância com os demais e elegantes acordes.
Eau de Parfum cativante na sua poderosa e contida demonstração de força, masculino e refinado se encaixa perfeitamente em locais sofisticados, onde servem o melhor bourbon, exóticos petiscos e os mais finos charutos.
Perfume para acompanhar belas jóias, o desfecho de um grande negócio ou uma jornada por locais agrestes e distantes.
Corajoso couro.
Tuscan Leather é a essência do homo dominante.
E, porque não da mulher atrevida e segura que salienta sua feminilidade exatamente neste contraste.
Sua intensidade marcante, não abusiva para mim, sustenta-se durante horas.


Família Olfativa: Chypre couro amadeirado, 2007
Gênero: Masculino (compartilhável)
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Tomilho, flor de açafrão, framboesas 
  • Coração - Olíbano, dama-da-noite 
  • Base - Couro, acorde de camurça negra, madeiras, âmbar
Similaridades:Apontadas em revista on line são Aoud Leather de Montale, C For Men de Clive Christian, Golden Boy de Dueto Parfums e Godolphy de Parfums de Marly

Arte irmã: Encontra-se com a poesia e a música de Chico Buarque de Hollanda
 O Meu Amor 
"... O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que me deixa maluca, quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita.

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
de me fazer rodeios e me beijar os seios
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
Fosse a sua casa..."

O Meu Amor - Chico Buarque de Hollanda


Comentário V.I.P.
Gosto!


Eu gosto. Não é o melhor da coleção Private Blend do Tom Ford, mas está longe se ser o pior, pois com o couro do Tuscan impossível não se imaginar numa jaqueta de couro preto à la Marlon Brando em Selvagem da Motocicleta. Com uma grande vantagem sobre os outros perfumes com notas de couro, não tem aquele adocicado enjoativo, muito pelo contrário; há uma nota seca, constante, a lembrar que o Tuscan Leather não está para brincadeiras. A não ser que estas brincadeiras incluam chicotes, mordaças e tachinhas de metal (risos). Mas nem tudo é agressivo no perfume...há uma nota aveludada que não deixa de dar um aspecto noir. Se fosse escolher um período do dia para o Tuscan Leather sem dúvida seria a madrugada.
Resumindo: Tuscan leather é Tom Ford mostrando sua faceta S&M. Leather é negro.
Comentário do leitor Luiz Alberto

 Imagens: Framboesa de Stelffen F; www.a.abcnews.com,Unknown de images.google.com.br; dama-da-noite de ww.imaginaçãoativa;

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Cinco Perfumes I

 Kate Moss em ilustração de Cedric Rivrain

Aquele fiel a um só perfume tem um companheiro para todos os momentos ...signature.
Os que necessitam de aromas diferentes conforme as nuances de humor, variações de clima  ou ocasiões multiplicam a fonte de prazer.
Vejamos o que  aficionados pela perfumaria tem a dizer.

LUZ

1. Para satisfazer uma saudade - Addict Eau Fraiche, lembra o aroma da flor-da-noite presente na minha infância.
2. Enfrentando um calor absurdo - J'Adore edt, floral poderoso que aqui ganha uma versão refrescante e balanceada.
3. Jantar informal com a família - Pure Poison, o perfume que transforma qualquer ocasião em especial
4. Namorando - Hypnose Eau Legere, descontraído e sedutor.
5. Para sentir-se linda - Femme Individuelle, um cheiro de mulher bonita.

PAULO FOLTRAN 

1. Animação na balada - Moschino Couture! Este perfume é um arremate do conjunto. O brilho  que complementa a roupa, a ocasião...tudo!
2. Trabalhando em ambiente fechado - Mambo de Liz Claiborne, confortável, fixa bem e não é invasivo. Alguns desgostam, but...
3. Lembrando uma pessoa especialMinotaure de Paloma Picasso  e Vanilla Lace VS. Cuidado! Os perfumes marcam. Ocasiões, épocas e pessoas; boas ou ruins.
4. Calouro na faculdade Blue Jeans Versace, apesar da saidinha batida conforta na base.Cai bem num meio onde as pessoas são desconhecidas.
5. Tour ecológico - Insensé Ultramarine Givenchy, um perfume confortável, que dá um "up" para as coisas boas; acorda para a vida.

MARIA FERREIRA

1. Na cátedra - Femme Individuelle, pois tem leveza e doçura.
2. Na praia...com ou sem? - Na praia  somente o cheirinho do protetor solar.
3. Passeio com a família - Theorema Fendi, Jungle L'elephant e Montana. Marcantes e únicos.
4. Para o momento sensual - Tocade Rochas. Sedutor
5. Um momento conforto - In Black de J. Del Poso, aconchegante.

DÂMARIS

1. Inspiração para arte - Marige Mariage Givenchy. Flores temperadas com canela. Uma fragrância vibrante  que me estimula o movimento. Geralmente estou com ela quando preciso produzir.
2. Viajando pela serra - Magnetism de Escada. Viagem a serra fala de frio e aconchego  e Magnetism proporciona-me isto. Aquece.
3. Momento a dois - Addict de Dior. Enigmático e sensual como um bom momento partilhado a dois.
4. Exercendo magistério - L'Instant de Guerlain. Firme e forte deixa marcas como um inspirador  e bom momento junto aos alunos.
5. Almoço domingueiro - Chance Eau Fraiche. Alegre, livre e solto, como os bons momentos passados junto da família.

FLÁVIO

1.Para dançar - L'Eau D'Issey: verão, samba e muita alegria...é incrível como esta fragrância "casa" com minha personalidade e tem afinidade com movimento, carnaval.
2. Um evento formal - Declaration de Cartier: um passo além do discreto. Elegante e sofisticado!
3. Almoço descontraído - Ice Men de Thierry Mugler: fragrância leve, fresca e descompromissada.
4. Para conquistar - Azzaro Silver Black: másculo e sólido. Transmite poder, trafega ora pelo conservador, ora pelo inovador moderno.
5. Relembrando um amor - L'eau Par kenzo: a fragrância da minha lua-de-mel. Na verdade estou vivenciando este amor.

LEANDRO BARROS

1. Passeando de moto - Atmos de Natura. Cheiro de liberdade, longe do asfalto.
2. ocasião "terno e gravata" - Boucheron Pour Homme. Luxo engarrafado. retoque suntuoso para ocasiões especiais.
3. Encantando a cara-metade - Jacomo de Jacomo. Noir, herbal, enfumaçado e especiarado. perfume escuro, misterioso e difícil. Minha signature.
4. Lembranças da infância - Fleurs de Oranger Serge Lutens. Toneladas de neroli que evocam dama-da-noite e me levam longe.
5. Para a noite - Gucci Pour Homme. Lembra muito a mistura red label+ Red Bull. Festivo energizante e atrativo.

LERNER

1.Reunião em família - Ultra Red de Paco Rabanne. doce na medida sem ser enjoativo, com boa fixação.  Para um momento feliz, como devem ser estas reuniões nas quais recarregamos energia para o cotidiano.
2. Solenidade de formatura - Femme by Montblanc. A fragrância oriental refinada e suave que não passa despercebida.
3. Festa de casamento - Momento especial e marcante na vida das pessoas requer  Classique de Jean Paul Gaultier - o luxo da rosa e da orquídea numa fragrância clássica.
4. Noite de sedução - Quizas Quizas de Loewe. Envolvente e sedutor.
5. Nos afazeres cotidianos - Trabalho, marido, filhos, enfim para aqueles afazeres do dia a dia que nos deixam exaustas mas felizes por ter tudo isto: The One de DolceGabbana. Perfume fino porém discreto que renova as energias e ainda deixa muito cheirosa.

BRUNO COLLETY

1. Curtindo um cineminha - Tanto L'Instant d'Un Étè quanto L'Instant Cristaux d'Agrumes vão bem para este propósito. Leves e originais marcam presença sem pesar. pena que durem tanto quanto o filme escolhido.
2. Estudando - Pour Un Homme de Caron é tão confortável que nem consigo pensar em outro. O único problema seria esquecer os estudos e voar no espírito da fragrância.
3. Aniversário de família - Vetiver de Guerlain. Seria ótimo e ainda arrancaria elogios de tias e avós.
4. Praticando esportes - Light Blue por si só é um convite ao movimento.Se tem um perfume que merece ser chamado de refrescante e estimulante é ele.

GUTO

1. Uma viagem para o Sul - Hoje usaria Arpege Pour Homme de Lanvin . É o Sul com uma boa surpresa atrás de cada serra, quando pacientemente esperamos avistar o mar.
2. Baile de formatura - Baile a passeio completo está vinculado à aura de M7 de YSL. Forte e elegante tem presença e completa o traje formal.Suas notas de oud e vetiver fornecem um brilho sem par.
3. Alegrando um dia triste - Un Jardin Mediterranée de Hermés tem o dom de agradar com a saída bem aberta de bergamota, laranja e limão que se cedem sua beleza para as folhas de figo. Sinto-me leve e claro como uma tarde num jardim mediterrâneo.
4. Praticando esportes - Talvez pensem que não seja muito adequado, mas é Blue Jeans de Versace. Misturado ao suor fica sexy.
5. Chopp com amigos - Marc Jacobs for Men . Elegante para situações triviais. Leve, carrega o toque  oleoso e clássico das amêndoas doces. Lembra o acorde de base típico da maison Guerlain.

Tout Les Fleurs - Frasco vintage Rene Lalique

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Chergui - Serge Lutens/ Shiseido

Winds.. ventos no Marrocos, quentes e mornos trazendo os aromas do Saara encontrando-se em agrestes praias, com as correntes frias do Atlântico sul.


Chergui... vento do Marrocos. Que não porta somente o cálido hálito e as areias poeirentas do deserto, mas abre-se com o frescor empoeirado do sândalo e da intensa íris, ambos adornados pela doçura da baunilha. Acompanhados de rosas suaves e discretas, este bouquet cresce em especiarias e revela o tabaco de forma doce picante e morna.
Uma nota de couro leve, distante faz o contraponto entre o ramalhete de flores ambaradas, almiscaradas e folhas do tabaco.
Ainda carregando o calor do deserto é denso enovelado, como se as vestes amplas do viajante guardassem aromas de flores e incensos para lembrar de jardins perfumados num oásis distante, dos rituais cotidianos.


Repentinamente, um soprar fresco sacode as flores, quase dispersando o enfumaçado do tabaco , madeiras e do incenso. Talvez um renovar do sândalo ou o amadurecer destas madeiras.
Eis que o vento do deserto encontra o mar de ondas volumosas encanto dos olhos, em praias quase frias.
Mas, este frescor invernal não amedronta a dominante íris que renova-se embalada por baunilha e mel antes de finalmente submergir neste drydown doce e amadeirado... suavemente. Íris e tabaco.
Confronto entre calor sufocante do verão e frio desconfortável do inverno, entre a secura das areias e a umidade marítima, entre a doçura da mulher marroquina e o espírito rude de homens do deserto, temperados pelo vento e pela areia, resulta num equilíbrio entre delicadeza e força.
Este perfume... traz no seu íntimo um coração capturado pelo oriente
É privilégio dos consumidores que frequentam o seleto Les Salons du Palais Royal-Shiseido, enobrece a coleção de fragrâncias Serge Lutens.



Comentário V.I.P.
Gosto
Entenderá Chergui quem permitir que aromas complexos façam parte da sua vida, pois ele é como um caldeirão de poções mágicas que explode evidenciando várias facetas, mas que infelizmente não fazem parte do gosto massivo
Sua saída assemelha-se a fumaça de incenso, mesclada ao cheiro de tabaco, com uma característica meio masculina, meio agressivo, sem ser ofensivo mas, que dispersa rapidamente. Prossegue evoluindo para um adocicado de mel, sândalo e rosa que vão prosperando a medida que a fragrância esquenta na pele. E, um fundo condimentado, maravilhoso, viciante. Quem usa repete.
É oriental, fantástico com notas de tabaco, mel almíscar, incenso feno de açucar(?), laranja, íris, rosa e sândalo.
Um elixir divino, lembra um pouco o Idole by Lubin e Ambre Narguille by Hermès. Chergui é uma ilustração da cultura marroquina.
Bel 


Ficha Técnica
Família Olfativa: Amadeirado AromÁtico<
Perfumista: Christopher Sheldrake
Notas Olfativas: Íris, rosa, folhas de tabaco, baunilha, sândalo mel, âmbar, feno e incenso.

Curiosidade
A maior parte dos rei de países árabes usa attar - ou atares para se perfumar, incluindo Hassam II de Marrocos.Perfumes que não contém álcool e sim óleos altamente concentrados, os attars são muito intensos e o termo no oriente médio tanto descreve a produção quanto a aplicação.
Estes óleos essenciais também são encontrados no Cambodja, Singapura e Índia.
A palavra atare ou attar tem origem persa e significa, essência, fragrância ou óleo essencial puro de perfume.


 Arte Irmã na poesia
"...Mulheres níveas e morenas / Atravessavam-me a alma / Como brancas espadas /E lanças escuras.
Ai quantas noites fiquei,/ Lá no remanso do rio, / Nos jogos do amor / Com a da pulseira curva / igual aos meandros da água / Enquanto o tempo passava...
E me servia de vinho: o vinho do seu olhar /As vezes o do seu copo / E outras vezes o da boca.
Tangia cordas de alaúde / E eis que eu estremecia/ Como se estivesse ouvindo / Tendões de colos cortados .
Mas retirava o seu manto / Grácil detalhe mostrando: Era ramo de salgueiro / Que abria o seu botão / Para ostentar a flor."
AL MUTAMID

domingo, fevereiro 15, 2009

Narciso Rodriguez for Her - Narciso Rodriguez


Eau de Parfum versus Eau de Toilette
Dois perfumes entrelaçados que nascem carregando cintilantes e doces acordes florais frutados,  e evoluem por diferentes caminhos, até reencontrar-se em notas de drydown delicado, embora ainda distintos.
Eau de toilette prima pelo bouquet com flores de laranjeiras e osmanthus, em esfuziante borbulhar sobre a pele, variando de intensidade, e mantendo-se fiel até as notas de base.
Eau de parfum explode carregado de flores somadas à frutado suave e passageiro.
Rapidamente assume sua identidade densa e de conotação sexual com almíscar egípcio, cálido, pungente, instigante, quase censurável.
Esta nota vem acompanhada de âmbar sutil e madeiras, cujo ar enfumaçado e incensado tornam a fragrância temporariamente seca, direta e pesada. Neste momento manifesta sua natureza chyprè de forma soturna. Enquanto Narciso For Her edt enfrenta tranquila e alegremente a luminosidade do entardecer, Narciso For Her edp envolve-se na penumbra da noite explicitamente animalic.
Uma noite conspiradora e sensual que desperta sensações perigosas.


Rosas aparecem veladas, âmbar escuro e denso, madeiras que absorvem o doce.
Evolui sóbrio desprovido de inocência até encontrar uma doçura floral e almiscarada na base. Atingida esta fase o patchuli quase não se faz notar sufocado pela doçura de sândalo e almíscar.
No toilette as madeiras não aparentam força, dissimuladas pelo acorde floral marcante e presente, do início ao fim.
Adorável diga-se logo. Estas flores exibidas e ambaradas também carregam a assinatura de sensualidade, deixada pelo almíscar.
Intensidade aldeídica hipnotiza nos dois perfumes, parecendo mais intensa no toilette, provocando aquela vontade de mergulhar os sentidos na pele perfumada.
Se eau de parfum percorre parte do seu caminho num aroma seco, ligeiramente acre e animalic, eau de toilette o faz com flores faiscantes até que ambos encontrem semelhante doçura final.
Igualmente especiais talvez não devessem ser banalizados diariamente, em quaisquer circunstâncias, mas sim participar de um ritual, sedutores como são.
Fixação muito boa que não diferencia um do outro.
Na base de parfum perduram notas bem mescladas como se fosse uma orquestra entrosada. Na eau de toilette o fundo  é dominado pelas flores sândalo e almíscar.


Similaridades
Encontrei tal leveza floral, abaunilhada e almiscarada em acorde igualmente licoroso, apesar de leve, em Lovely de Sarah Jessica Parker. Entretanto algumas notas da evolução, coração e base da fragrância eau de toilette, encontraram ecos em Red Door Velvet de Elizabeth Arden, Coco Mademoiselle eau de toilette e carolina de Carolina Herrera.


Publicidade
A bela campanha publicitária de 2004 usa o portrait de Karen Kass que estrelou campanhas para Dior, Versace e representa a grife Victoria Secrets. Esta faceta sensual da grife está representada pelos perfumes e estilismo fashion portado por estrelas como Charlize Teeron que recentemente doou um vestido Narciso Rodriguez, usado em premiação, para campanha beneficente.


Narciso For Her eau de toilette
Família Olfativa: floral almiscarado amadeirado,2004
Gênero: Feminino
Perfumista: Christine Nagel e Francis Kurkdjian
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo- Flor e laranjeira e Osmanthus  
  • Coração- amberlyn e baunilha 
  • Base- Vetiver, madeiras preciosas e almíscar
Narciso For Her eau de parfum
Família Olfativa: chypre floral, 2004
Gênero: Feminino
Perfumista: Christine Nagel e Francis Kurkdjian
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa :
  • Topo- Rosa , polpa de pêssego 
  • Coração: âmbar doce 
  • Base- Patchuli, Sândalo e almíscar 


Comentário V.I.P. - contribuição de leitores

Gosto
Narciso for Her EDT, perfume maravilhoso, adorável e refinado! Destaca-se dos demais não só por sua fragrância maravilhosa mas pela excelente fixação, pelo requinte e qualidade. Não é um perfume para o dia-a-dia , mas algo para ser usado em ocasiões muito especiais, sobretudo à noite. Merece um produção tão requintada quanto, jamais devendo ser usado com simples jeans e camiseta.
Lady Dalva

Desgosto
Narciso edp foi um amor idealizado por mim. Destes onde se espera muito mais do que ele se propõe a oferecer. Quando li uma descriçao pensei no perfume dos sonhos, mas despertei assim que ganhei a primeira amostra. As notas deixaram-me tonta. Meu olfato, desolado procurou pela baunilha e sentiu ter perdido a sensualidade do musk, no meio de notas quentíssimas que permanecem do início ao fim. Madeiras, vetiver e âmbar que tornam Narciso pesado e de forma alguma acolhedor , principalmente para nosso clima. Experimentei várias vezes até convencer-me que de fato , para meus sentidos , ele se parece com perfume rançoso na penteadeira da vovó.
Anna Paula Greca 

Arte Irmã na Poesia de Olavo Bilac

O Pássaro Cativo
Não quero o teu alpiste! / Gosto mais do alimento que procuro / Na mata livre em que a voar me viste; /Tenho água fresca num recanto escuro /Da selva em que nasci. /Da mata entre os verdores, / Tenho frutos e flores,/ sem precisar de ti!

Não quero a tua esplêndida gaiola! / Pois nenhuma riqueza me consola / De haver perdido aquilo que perdi...

Prefiro o ninho humilde, construído / De folhas secas, plácido, e escondido / Entre os galhos das árvores amigas... / Solta-me ao vento e ao sol! /Com que direito à escravidão me obrigas?

 Imagens: Narciso Rodriguez eau de parfum por Elisabeth - acervo pessoal; Publicidade Macys; Charlize Teron-editorial Vogue

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Kenzo Amour Le Parfum - Kenzo


Mal volatilizam as primeiras notas e se reconhece o genoma Kenzo no doce aromático que reaviva nossa memória desta perfumaria. Parece com todos e com nenhum.Único!
Intenso sem atordoar como poderíamos esperar de eau de parfum Kenzo.  Doçura de baunilha soma-se ao aroma de jasmim manga ou frangipani evidenciando combinação delicada e exótica.  Uma não sufoca a outra coexistindo em harmonia.
Liberados os acordes de saída surge especiaria picante remetendo à canela. Fresca, deliciosa e fugidia canela. Tão rápida chegou e se vai. Ficamos a imaginar se era real ou brincadeira da imaginação.
Rapidamente surgem traços de benjoim, incenso e patchuli, envoltos em nota de âmbar que transmitindo sensação de aconchego e sensualidade. As vezes entrevemos o seco raspar de madeiras afirmando que existe força submersa na suavidade cremosa que aflora do princípio ao fim.
Parece capturar a ondulação das hastes de um campo de arroz, o vento trazendo vapores, odores do cozimento.
Este perfume aprisiona um oriente longínquo onde a magia e o mistério incitam a imaginação. Descobri-me a imaginar sua cor. Sem dúvida roubaria o colorido dos frutos desta terra, das especiarias. poderia se tingir de suculento e luminoso amarelo damasco, do vibrante marrom alaranjado da páprica doce.
Seria o sol encontrando a noite?
Teria perfumado uma odalisca mil anos atrás, arrebatada nas areias do deserto por nômade guerreiro? Com ele galoparia até o mar distante para ver as praias banhadas em argênteo luar?  Talvez vestida de sedas adamascadas, os artísticos relevos seduzindo o olhar, perfumada para o amor...
O que um Kenzo não faz! Provoca devaneios.
Esta composição aromática faz parte de uma coleção inspirada em viagens, e que começou no tradicional Kenzo Amour.  Evidencia sua natureza oriental no belíssimo e sinuoso frasco, voluptuoso e feminino.
Foi comparado com Burberry Britt Gold e apesar de concordar com alguma semelhança percebo aqui maior sofisticação e riqueza evolutiva.  

Família Olfativa: Oriental, 2006
Gênero: Feminino  
Perfumista: Daphne Bugey e Olivier Cresp  
Rastro: Intenso  
Fixação: Ótima  
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Flor de Jasmim manga ou frangipani 
  • Coração - Incenso e madeiras 
  • Base- Patchuli, baunilha, benjoim, âmbar
Comentário V.I.P. - Contribuição de leitores

Gosto
- Falar do porquê amo, ou não, é falar de mim, é descrever minha história. Não é diferente do vínculo com um perfume. Sentir o Le Parfum- uma paixão perfumística a primeira vista ( sim o frasco convidou-me a sentir o que ele armazenava) e, imediatamente a seguir à primeira inspirada - é lembrar do aconchego das comemorações entre familiares e amigos. Daqueles encontros , os quais naõ queremos que acabem jamais. E, lá, em meio as notas adocicadas e festivas , vez por outra as incensadas bailam conduzindo-me para ares orientais. Bailam sim, pois vem e vão, perfeitamente coerentes com a noção de ser um perfume festivamente amoroso. Dâmaris O.B.S.

 Desgosto
- Não agradou-me kenzo Amour Le Parfum. Além de ser muito diferente do tradicional pareceu-me uma fragrância agressiva, com um aromático forte, que lembra cheiro de remédio. Tão intenso que provocou-me enjoo. Talvez ele tenha semelhança com Brit Gold, mas na minha opinião este é muuuito melhor. O aroma de Britt é mais usável e aconchegante, menos conceitual. Senti em Le Parfum um perfume agressivo. Louise

Arte irmã na poesia...

"O valor das coisas não esta no tempo em que elas duram,/ mas na intensidade com que acontecem. / Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." Fernando Pessoa

Imagem: Foto gentilmente cedida para Perfume Bighouse por Dâmaris O.B.S.

Coromandel - Les Exclusifs de Chanel



Extremamente oriental, embora aponte para um oriente mais sombrio aromático e soturno.Baunilha divide a cena com crispante patchuli e resina de benjoim.
Revela oriente verde e nebuloso repleto de contrastes.
Momentos de leveza matinal com toques cítricos e amadeirados  em oposição  a0o floral permeado pela fumaça picante  de incenso queimado.
Doçura controlada de baunilha acompanhada por leve frutaldo, pitadas de âmbar e sândalo.
Patchuli linear está presente em frescor úmido.
Nota predominante é resinosa embora o drydown alcance um status doce, macio e veladamente animalic.

Comentário V.I.P. - Contribuição de leitores

Gosto
Coromandel está no topo dos meus prediletos, perdendo somente para Bois de Iles e 31 Rue Cambon.
Ao conhecer os exclusivos de Chanel, esta tornou-se minha grife predileta, pois jamais senti perfumes tão inebriantes e com tanta qualidade. Divido minha preferência com Guerlain e Editions de Parfums frederic Malle.
O requinte já iniciou na matriz da casa Chanel , na rua Cam
bon,31.
Foi uma experiência única adentrar no templo de luxo pela
primeira vez onde Michele atendeu-me e mostrou todos Exclusifs. Por sua insistência, vi-me envolvido em nuvem borrifada e senti que todo o ambiente foi invadido por um aroma indescritível.
Assustador ao aplicar, deixa uma nuvem fortíssima de patchuli que perdura mais ou menos 2 horas, dando lugar a melhor baunilha que já senti algo perto dos melhores Guerlain.
Requer cuidado ao usá-lo, pois é extremamente forte e a fixação certamente dura mais de 12 horas.
Lugares fechados ? Nem pensar.
Precisa de espaço para que se expanda, respire e mostre porque é um Chanel.
Percebi que fica melhor em dias quentes. Parece que o frio não revela sua multifacetada pirâmide.
Se fosse para uma comparação rápida, diria que remete um pouquinho ao Minotaure( Paloma Picasso)ou a Desire for Men( Alfred Dunhill).

Mas, desculpem-me os fãs, estes não chegam nem perto da beleza de Coromandel. Gian Carlo

Desgosto

Coromandel - Chanel les Exclusifs - Perfumão francês típico, de uso restrito, extremamente potente que me parece ter como nota principal o patchuli.
Um patchuli especiado, com couro e baunilha. Bem seco.
E, um mix de especiarias cujo resultado está mais próximo de um Guerlain clássico do que de um Chanel. Lembra o Egoiste, batizado com patchuli sobre um acorde talcado da Guerlain.
Para as temperaturas abaixo de 17ºC , que não são típicas na
nossa terra, pode até ficar legal.Leandro
 
Família Olfativa:Chypre amadeirado,
Gênero: Unissex
Perfumista:Jacques Polge
Rastro: Moderado
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo:Bergamota 
  • Coração:Patchuli 
  • Base: Frankincence
Arte Irmã na poesia...

"Caminho por uma rua / que passa em muitos países. / Se não me veem, eu vejo / e saúdo velhos amigos." Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, fevereiro 11, 2009

Crystal Noir eau de toilette - Versace


ESPÍRITO DA FRAGRÂNCIA
Um momento floral carregado de sensualidade, para sugerir intimidade conquista e jogos de sedução.
Envolvimento centrado na gardênia que deixa perceber frescor inesperado, quase verde como num jogo de palavras veladas que escondem a real intenção.
O floral  explícito de Crystal Noir parece um vestido- deslizante seda negra acariciando a pele - provocante, numa aura de festa e suntuosidade onde domina, totalmente hipnotizador. Obra prima haute couture combina com voluptuosidade madura e feminina. Não é um floral leve, ao contrário denso e profundo como se fora um abismo de flores. Ao mesmo tempo romântico. A mulher que estiver usando, certamente esperará flores, ou pelo menos ser tratada como a mais sedutora de todas.


SENSAÇÂO OLFATIVA
Centrado na gardênia que deixa perceber frescor inesperado, quase verde. O floral é explícito mas não vem sozinho. Está adornado por almíscar, âmbar e sândalo. Percebe-se um leve incensado que contém a impetuosidade da flor.
Drydown que escapa do confortável talcado, mantendo a cremosidadee é sustentação da sua característica
Simulação de coconut  no acorde de baunilha ladeando o aroma da saída até a base.


FICHA TÉCNICA
Família Olfativa: Oriental floral
Gênero: Feminino
Perfumista: Antoine Lie
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:

  • Topo- Gengibre, cardamomo, pimenta
  • Coração- Gardênia, flor de laranjeira africana, coco, peônia
  • Base- Âmbar, Almíscar, madeira de sândalo

ARTE IRMÃ- Ah se fosse poesia...

" O primeiro amor passou. / O segundo amor passou. / O terceiro amor passou./ Mas o coração continua..."
Carlos Drummond de Andrade


COMENTÁRIO V.I.P.

GOSTO


- Gosto muito do Crystal Noir. É um perfume que inspira poder e sedução. Usado com parcimônia encanta e instiga os sentidos com facilidade. Sinto um "que" de coco inexplicável logo na saída. Aos poucos ele evolui para uma estonteante explosão de sândalo, ambarado, com um toque clássico e feminino de almíscar. Este acorde faz com que seja um perfume oriental único, noturno, encantador de uma feminilidade dócil e ímpar...Anna Paula Greca


-Acho um perfume incrível. A construção floral opulenta, bem elaborada e densa me encanta. É sensual de um jeito exibido, alegre, quase exagerado, com traços doces, suavemente atalcados, verdes e apimentados. Diluídos na explosão da gardênia criam um resultado tão feminino quanto imponente. Para mim lembra mais o aroma de cerejas do que do coco e, ali tem uma cremosidade levemente áspera que só o âmbar consegue criar. Po-de-ro-so! Nada define melhor este perfume superlativo( no conceito e no resultado). O cheiro é potente, insinuante e cheio de sensualidade red-carpet-style. Fixação a toda prova. Lú Elste 

DESGOSTO 

- Crystal Noir é um perfumes de qualidade. Um frasco sério, com toque de luxo na tampa multifacetada que atrai olhares. Mas, aí terminam seus encantos. Uma saída over, assustadora, carregada de flores brancas , torna a fragrância difícil logo no início..A flor de laranjeira e o âmbar aparecem pouquíssimo.Creio que se mais explorada esta faceta poderia tornar-se outro perfume. O que sinto todo tempo é a mistura forte e permanente de duas notas que já são difíceis sozinhas mas juntas acentuam o lado agressivo e enjoativo: coco e o que parece tuberosa. A mim parece um perfume de épocas distantes. Não necessariamente usado por pessoas conservadoras mas usado em tempos antigos. Perfume forte, de qualidade para mulheres fortes, mas que não enjoam facilmente nem são sujeitas a enxaquecas. Eu particularmente dispenso. Andrea Phatz


- Crystal Noir não é um perfume ruim, longe disso! É um dos mais intrigantes que já senti. Acredito que ninguém consegue ficar indiferente diante deste aroma. Despertou em mim um misto de sensações que foram do encanto ao asco num piscar de olhos. Ao senti-lo fui surpreendida por um aroma que adoro. Este não vem de uma nota em particular mas, de uma mistura indecifrável. Para meu olfato lembrou de maneira perfeita a brisa gostosa que sentimos um pouco antes de chover. Sim! Exatamente aquele cheirinho de ervas que essa brisa carrega nas tardes nubladas. Engraçado porque era este aroma de chuva que a perfumista do Un Jardin Aprés la Mousson by Hermés tentou reproduzir e não conseguiu. Se este cheirinho de "preste a chover" ou "depois que choveu" permanecesse em Crystal Noir, diria com fervor que ele é meu favorito. Mas quando evolui aparece um aroma tenebroso que me faz ficar profundamente enjoada. Cheiro amargo e down . Beeeem down. Como tenho dificuldade em identificar notas descrevo pelas emoções que me provoca mas já disseram que este aroma deprê vem da gardênia. Se for culpa desta flor pedirei a minha família qua na ocasião do meu funeral decorem com centenas delas. Afinal existiria coisa mais glamourosa que um funeral com aroma de Versace? Mariangela Linhares

Imagens:Frascos de Crystal Noir de publicidade; Crystal Noir de Flickr; imagens gentilmente cedidas por leitoras de Perfume Bighouse


terça-feira, fevereiro 10, 2009

Havana Pour Elle - Aramis


Crispante odor do verde exuberante de folhas frescas, recém cortadas. Temperos exóticos, folhas de tabaco e pinceladas cítricas refrescando as frutas suculentas e maduras, acrescidas de um leve toque de couro animal.
Especiarias camufladas, escondidas beiram o frutado.
Existem flores também. A medida que evolui torna-se doce insinuante e mel toma conta dos sentidos. Lânguido e cálido tem nome de trópicos mas pode muito bem aquecer as frias tardes de inverno

Família Olfativa: Oriental floral
Gênero: Feminino (compartilhável)
Perfumista: Associação com Estee Lauder
Rastro: Intenso
Fixação: Muito Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo- Melão, maçã, tangerina, pêssego, magnólia, cítricos, tagete, rainha da noite
  • Coração- Rosa, fresia, Heliotrope, Ylang-Ylang, daphne, manga, abacaxi, orquídea
  • Base- Baunilha, mel, âmbar, madeira de sândalo,fava tonka, madeira de cedro. 

Comentário V.I.P. - Contribuição de leitores

Eu Gosto
- "Uma amiga disse que não gosta dele porque tem cheiro de terreiro de macumba...hausuahsuah..medo total!
Na primeira vez que experimentei achei horrível. Muito fumacento, muito tabaco verde e especiarias que senti logo na saída.
Mas, depois que passa esta fase ele fica mágico e exótico. Faz você viajar para algum lugar entre danças luzes, calor humano, comidas picantes... um ar latino!
Passaporte para Havana.. ilhas caribenhas.
É um típico floral oriental especiarado.
Picante nos primeiros 10 minutos, doce como frutas tropicais, termina no mel e baunilha, com uma leve presença de fumo de corda o tempo todo.
Potente, belo e perfeito em noites quentes de verão.
Eu amo o Havana." Pavel

Eu Desgosto
- "Havana feminino não me agradou, justamente por "não" parecer feminino.
Muito masculino para o meu gosto.
Predomina um aroma intenso de ervas, o qual pode ser associado com cheiro de charutos.
Acho que o nome "Havana" combina perfeitamente com esta ideia: "Charutos Cubanos".
Mas, como perfumes dependem da química de cada um, pode ser que tenha acontecido assim comigo.
Que fique maravilhoso em outra pessoa.
Infelizmente em mim não deu certo". Rosária

Arte irmã na poesia de Fernando Pessoa

"Alimente a sua alma com amor, / cure as suas feridas com carinho. /descubra-se todos os dias, / deixe-se levar pelas vontades / mas, não enlouqueça por elas".

sábado, fevereiro 07, 2009

Kouros Cologne - Yves Saint Laurent



Polêmico e controvertido requer intimidade. Não convém julgá-lo na primeira invasão da pele , pois é intrigante, intenso e surpreendente.
Couro urbano é o acorde principal, incensado, denso, assomando desde o início. Forte até a base está fundamentado na composição de inusitadas especiarias e resinas.
Não recua, somente associa.
Inicialmente com a canela e flores, seguindo-se de madeiras incensadas e finalmente, após provável civeta, surge almiscarada baunilha.
Algumas notas ousam manifestar sua presença timidamente  como embasamento puramente acessório.
este aroma, que faz lembrar de estoraque como estrela principal, também remete ao cheiro das bonecas novas da minha infância. Acento que está presente  de forma e intensidade variada  na evolução de perfumes personalíssimos  como "Y", Mystere e Ivoire.
Evolução quase linear em algumas horas atinge um status animálico, sensual com morna doçura.
Surpreende quando o drydown se exibe doce e feminino e cremoso desafiando sua masculina agressiva.
Que diversidade de impressões em Kouros!
Pode-se odiá-lo numa prima volta e amá-lo na seguinte...quizas

Sábado, 7 de fevereiro de 2009


Ficha Técnica
Família Olfativa : Fougere aromático, 1981
Gênero: Masculino
Perfumista: Pierre Bourdon
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Louro, coentro, artemísia, tangerina, aldeídos
  • Coração - Cravo, canela, gerânio, jasmim, raiz de íris, vetiver
  • Base - Patchuli, âmbar, mel, fava tonka, almíscar, civeta, musgo de carvalho

Similaridade: Leitores de revista on line indicam Arabian Wood de Tom Ford

Curiosidade: Óleos essenciais agem no Sistema límbico do cérebro, onde estão os centros dos instintos básicos de fome, sede e sexo. Muitos são considerados afrodisíacos porque possuem compostos semelhantes aos feromônios animais, considerando-se que sejam atuantes indiretos.
Assim indica-se como afrodisíaco para homens os aromas de: noz moscada, patchuli, casca e folha de canela, cravo da índia , vetiver, cedro, cominho, aipo, mace, baunilha, gengibre, benjoim.
Funcionam desta maneira apenas os óleos essenciais.


Arte Irmã: Ah se fosse poesia...

"E minha alma, sem luz nem tenda, passa errante, na noite má, a procura de quem me entenda e de quem me consolará ..." Cecília Meirelles

 Lilac Fog by Leonid Afremov

Comentário V.I.P.
 Gosto! 

Uma das mais perfeitas criações da perfumaria masculina de todos os tempos, esta fragrância tremendamente seca e forte se tornou uma referência em masculinidade na década de 80.
A saída potente e aldeídica vai evoluindo para um corpo especiado, e termina com magníficas notas de civeta, couro, incenso e madeiras nobres.
Alias, estas notas de fundo são a melhor parte do perfume. Um aroma indescritível que faz lembrar almíscar animal ou seu couro suado. Muitas vezes quando transpiro tenho a impressão que ele tem o cheiro dos pelos no meu peito.
Fragrância fortíssima, elegante, masculina ao extremo e com fixação extraordinária para um edt.
Não é indicado para o grande público. Apenas para os que apreciam determinado estilo. Quem descobre " o segredo" de Kouros torna-se refém para a vida inteira. Uso desde 1986 quando tinha 15 anos de idade.
Hoje, mesmo usando e gostando de outros não encontrei um substituto a altura.
- Contribuição do leitor Julio Augusto

Desgosto!

Chypre clássico, avassalador que poderia ter  usado Dino da Silva Sauro como seu garoito propaganda no início dos anos 80 , aproveitando o famoso bordão: - "Querida!...Cheguei".
Se bem que nem precisaria, pois Kouros chegaria minutos antes dele, adentrando a porta  com uma intensa e sufocante combinação de cravo, folhas de coentro,incenso e musgo de carvalho.
Diminuindo o mal, um aroma de relva verde suaviza temporariamente para seguir-se de uma pancada de almíscar e patchuli.
Indiscutivelmente um perfume de macho, peito cabeludo, camisa aberta, palito nos dentes e rayban.
Amado  odiado? Pouco importa. Kouros é eterno!
Contribuição do leitor Bruno Leitão