Pin It button on image hover

sexta-feira, março 30, 2018

Eau de Hongrie - Minya Viktoria



Diz a lenda que nos idos de 1370, após a morte do rei húngaro Charles Robert, sua viúva Elisabeth da Polônia, então com 72 anos,  foi pedida em casamento por um jovem príncipe polonês. A bela rainha mantinha sua aparência e juventude  com um vinagre medicinal especialmente formulado em seu benefício.


Nas versões oficiais da história Elisabeth da Polônia foi rainha regente para seu filho o príncipe Luís da Hungria que se tornou rei da Polônia.
Outra versão conta que  no século XIV uma senhora idosa solicitou ao  seu farmacêutico uma preparação para aliviar suas dores devido ao reumatismo e gota.  
A fórmula milagrosa teria rejuvenescido e proporcionado tal beleza que  o rei se apaixonou e a pediu em casamento. 
De idosa doente passou a Rainha da Hungria. 


Provavelmente a água miraculosa era um alcoolato de alecrim e lavanda. Várias receitas mais refinadas e complexas sucederam este produto.  Vinagres, águas e perfumes que adicionaram cidra, rosas, neroli, erva-cidreira, calêndula, camomila, malva e outras plantas medicinais ao elixir original.
O nome de Eau de la Reine tornou-se sinônimo de panaceia para a juventude e beleza da pele.
 L'Eau de la reine de Hongrie, alcoolato de alecrim,  hoje é considerado por muitos a primeira fragrância da era moderna.


Minya Viktoria ,  perfumista húngara,  reside há quinze anos em Paris onde desenvolve suas criações.
No início do seu curso de perfumaria em Grasse na França ouviu, ao lado dos colegas de várias nacionalidades,  um relato da lenda húngara. Justamente no primeiro dia de aula que versava sobre história da perfumaria.


Ali nasceu o desejo de refazer  Eau de Hongrie  numa   homenagem a sua terra natal,  fiel ao conceito inicial de óleos e ervas medicinais . Que fosse representativa porém contemporânea, sem cair em conhecidos clichês.
A busca temática esbarrou nas famosas termas húngaras, mas os aromas relacionados a sauna  não satisfaziam ao modelo de riqueza aromática pretendida.


Inesperadamente ouviu em família uma  referência  da sua mãe ao  perfumado vinho tokaji, servido junto as sobremesas,  e  também apresentando utilidade medicinal.
Percebeu que havia encontrado o ponto de partida, e  após vários estudos e pesquisas surgiu Eau de Hongrie, fragrância com acentos de vinho licoroso, jasmim, toranja, madeira de sândalo, especiarias quentes e imortelle  ou erva-do-caril.


Este é o quinto perfume da coleção iniciada em 2013, e apesar de todos serem imbuídos de lindos conceitos seduziu-me, teoricamente, pela inspiração na lendária  "Água da Rainha da Hungria".

Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral Oriental, 2014
Gênero: Unissex
Perfumista: Minya Viktoria
Frasco: Miklos Kiss


Pirâmide Olfativa:
  • Topo -  Vinho Tokaji, mel, limão, toranja e cravo
  • Coração - Jasmim, erva-d0-caril
  • Base - Ládano, fava-tonka, madeira de sândalo
Arte-Irmã : Na série de filmes Sissi a Imperatriz, referência a beleza e graça de Elisabeth da Austria que se tornou rainha da Húngria em 1867.
 

Imagens: Travel Size Collection (designer Miklos Kiss)-  photo Daniel Herendi
                 Minya Viktoria - photo Erdélyi Gábor
                 Élisabeth de Pologne-photo Simone Martins 
                 Kaiserin Elisabeth "Sisi" von Österreich - Wikipedia.




segunda-feira, março 26, 2018

Perfumaria na Holanda


O cidadão brasileiro reúne no seu DNA múltiplas nacionalidades. Nosso lindo Brasil foi colonizado pelos portugueses que miscigenaram com  indígenas, escravos africanos  e imigrantes de diversas origens.
No Sul recebemos várias etnias que fundaram colônias de onde nasceram belas cidades,  levando à  grande diversidade étnica e cultural  deste país.
Um acontecimento singular no dia a dia desta semana  voltou minha atenção para a história destes antepassados, e aguçou-me a curiosidade  uma foto do parque Carambeí , memorial da colonização holandesa,   mais ou menos 130 km distante de Curitiba.


Próxima da bonita Carambeí encontra-se  Castro (cidade do leite) cujo desenvolvimento foi marcado pela imigração de alemães, poloneses e holandeses.
Carambeí ou "Rio das Tartarugas" é grande polo produtor de laticínios, sendo hoje uma das maiores bacias leiteiras do Brasil, além de apresentar vários atrativos turísticos.
Leite e derivados, comida típica, excelente confeitaria, lavouras bem tratadas, jardins...daí para a curiosidade sobre os perfumes foi um pequeno passo.


Como será a indústria de fragrâncias deste país distante e atraente que é a Holanda?  Quais serão os  perfumistas de moda, niche, celebridades, grandes ou pequenos fabricantes?
Conhecemos pouco da perfumaria holandesa, apesar de existirem alguns nomes proeminentes de designers que atuam no próprio país, ou levaram sua arte para outras praças.
Listo abaixo alguns perfumistas  e/ou marcas de origem holandesa;  por ordem alfabética:

Abel - Perfumaria natural / niche
Addy van den Krommenacker - Grife de haute Ccuture
Ariane Inden - Indústria cosmética



Baruti - Perfumaria -  Spyros  Drosopoulos ( perfumista)
Eauk perfumes and Colognes - Perfumaria niche
Fab. by Fabienne - Marca de acessórios


Francesca Bianchi - Perfumaria niche
Frank Govers - Designer de moda
Haderman -  Perfumaria niche
Hema - Varejista de Perfumarias


Hiram Green - Perfumaria natural / niche
Hunkemõller - Indústria de lingerie
Linn Young - Perfumaria popular.
L'essence de Mastenbrõek - Perfumaria niche
Magnetic Scent - Perfumaria  - Spyros Drosopoulos (perfumista)


Maria Lux - Designer de moda  Lilien Driesser e Alessandro Gualtieri da Nasomatto
Mexx - Designer de Moda


Mona di Oro - Perfumaria Niche /Jeroen Oude Sogtoen CEO
Nina's Nature - Perfumaria natural / niche
Oilily - Perfumaria e grife de moda.


Pure Distance - Perfumaria niche
Rituals - Perfumaria  natural - Cosméticos


Ruik - Perfumaria natural
Scoth & Soda - Designer de moda
Sexy and City - Perfumaria
Sjaak Hullekes - Designer de moda
Super Trash - Designer de moda
Sylvie van der Vaart - Celebridade  (modelo e apresentadora de tv)
TC World of Women - Indústria de lingerie
The Devil Wears Divinity - Perfumaria
The Master Perfumer - Varejista de perfumes
The People of the Labyrinths - Designer de moda


Van Gils - Perfumaria niche


Viktor & Rolf  - Designer de moda
Vincent Van Gogh - Linha de Perfumaria da Cia Royal Sanders
Viv! Bodie Luxuries - Perfumaria da cia Lecorps
Yvra 1958 - Celebridade  ( jornalista)
Zinzi - Joalheria
Switsal - Cosméticos infantis

quinta-feira, março 22, 2018

Beautiful Day - Castelbajac



Era uma vez um perfume que ficou conhecido como Doudou, cujo termo se refere a  brinquedo  de pelúcia ou   cobertor macio  para tranquilizar um bebê inquieto.
O nome ficou assim marcado devido ao aroma adocicado de amêndoas,  que remete ao universo das doçuras infantis,  presente na famosa  cola Cléopâtre  criada para crianças,  e feita de amido perfumado.
Doudou by Castelbajac  elaborado por Maurice Roucel em 2001 foi descontinuado, deixando muitos adultos órfãos.


Entretanto, o mundo dá voltas e ei-lo repaginado, com toques de modernidade.
Inicialmente  promete amêndoa fresca e verde, com toques florais empoeirados..Laranja amarga pretende recordar o universo infantil somando  sensação de exuberante jardim onde reinam heliotrópio, fava tonka e baunilha.
Seu lema é gourmandise e feminilidade.


Quem experimentou afirma que Beautifl Day by Castelbajac é muito parecido  com o saudoso antecessor Doudou.
Se assim for ficamos gratos ao designer pois era uma fragrância apreciada por muitos e que  deixou um vazio na perfumaria.

Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral Gourmand, 2017
Gênero: Feminino
Perfumista: Maurice Roucel
Designer: Castelbajac
Pirâmide Olfativa
  • Topo - Amêndoa verde, laranja amarga.
  • Coração - Heliotrópio ( jasmim imperador), lírio do vale ou lírio de maio , flor de laranjeira.
  • Base -Fava tonka, almíscar , baunilha.
Leia mais sobre Doudou by Casteljaback

terça-feira, março 20, 2018

Dark Amber & Ginger Lily - Jo Malone



Inicialmente pretendia descrever Wood Sage & Sea Salt, o perfume escolhido pela futura realeza Meghan Markle.
Simpatizo com as princesas da casa real inglesa. São modernas, tem personalidade e não se deixam escravizar pela suntuosidade das grifes,  embora portem o luxo muito bem. E o perfume em questão é atraente.
Entretanto  Dark Amber & Ginger Lily é minha preferência e a pauta de hoje.




Conceito
Misterioso e leve, sofisticado e refinado.
Talvez seja esta a alusão adequada para  a fragrância que contem o  aroma de incenso da misteriosa madeira Kiara, também conhecida como aloeswood, jinkoh, oudh  ou eagleswood.
Composição exata ou fatores  que levam ao aroma final deste incenso de agarwood são desconhecidos. Especula-se sobre riqueza do solo,  clima, envelhecimento da árvore...Alguns pensam em 85, outros em 120 anos.
Hipóteses. Ainda não se definiu o que realmente identifica uma árvore agarwood como madeira Kiara e posteriormente incenso Kiara.
Opiniões conflitam, estudiosos afirmam que a sua estrutura química é única e que a verdadeira Kiara é proveniente apenas de Aquilarias vietnamitas.


Entretanto este incenso precioso é obtido na ritualística da cerimônia Kohdo  (indiana) ou  Kõdõ, (japonesa) o"caminho do incenso",  desde a Antiguidade.
Tão clássica quanto a Ikebana e chadô, o preparo  de incenso inclui objetos de arte e ferramentas muito especiais a semelhança  das que  são usadas  na cerimônia do chá.
Esta abstração ou conceito de arte ritualística, fundamentado em cerimônias  milenares embasa toda elegância do perfume Jo Malone...


Percepção Pessoal
A bancada de degustação de Jo Malone é uma mesa de doces para criança, e o mais gostoso fica para o final: Cologne Intense.

- Orris &Saldalwood
- Incense & cedrat
- Dark Amber & Ginger Lily
- Myrrh & Tonka
- Oud & Bergamot.
- Velvet Rose &Oud
- Tuberose & Angelica

Myrrh & Tonka é muito atraente,  Tuberose & Angelica também, porém o acorde de agarwood presente em Velvet Rose e Dark Amber...ahhh
Similares na sensualidade carnal apontam caminhos  diferentes na construção.
Enquanto o aveludado oud de rosas é linear, evoluindo de forma  previsível e confiável,  Dark Amber apresenta o inesperado.
De maneira elegante, discreta e cativante,  dentro das modulações picantes e florais.


Não senti especialmente  gengibre ou  cardamomo,  na adstringência específica de um e frescor mentolado do outro. Entretanto existe uma sinergia entre estes aromas que resulta no acorde floral equilibrado, relaxante e delicado somado ao  frescor de pimentas verdes.
Este bouquet floral com toques aquático de lírios d'água em contraponto ao aroma terroso e cálido de oud  faz uma balanço bonito e acariciante para o olfato
Desliza  com suavidade, ambarado e quieto. Talvez atingisse um monótono Nirvana se não fosse a presença do incenso kiara , quebrando esta morna peculiaridade com notas amadeiradas  condimentadas  e nebulosas.
Depois de muito tempo, pelo menos 24 horas o cartão olfativo embebido com Dark Amber inundou-me da sensação de doçura da madeira de figueira, com ligeira sugestão de coconut. Surpreendente.
Infelizmente na pele dissipou mais rápido do que o esperado em fragrância de custo tão nobre. Talvez a química entre nós seja fugaz.


Uma amiga sugeriu a combinação com o creme da mesma linha para aumentar a fixação. creio que daria certo, mas não gosto da dependência criada.
Jo Malone sugere combinações para alcançar outros resultados. Com Lime Basil & mandarin Body Crème para um perfume refrescante e com Velvet Rose & Oud Cologne Intense para um perfume envolvente.
Este cristal escuro  seria sem dúvida minha segunda opção dentro da coleção  Cologne Intense, mas ainda não mergulhei em Myrrh & Tonka...

Ficha Técnica

Família Olfativa: Oriental amadeirado, 2008
Gênero: Unissex
Perfumista: Jo Malone
Designer: Jo Malone
Rastro: Intenso a moderado
Fixação: Mediana
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Cardamomo negro, gengibre e pimenta rosa
  • Coração - Orquídea, jasmim, vitória-régia, 
  • Base - Incenso de madeira Kiara, couro, sândalo, olíbano, patchouli e âmbar.
Similaridades: Legno di Guajaco de Tesori d'Orient, Aspen for Men de Coty, Lalique Encre Noir Pour Elle, Crystal Noir de Versace.


Arte irmã: Na profunda e angelical apresentação de Katie Melua.



segunda-feira, março 19, 2018

Velvet Rose & Oud - Jo Malone


Conceito
Definitivamente amo OUD! E como não tenho critérios para comparar posso dizer que aceito as misturas que incluem  algo de síntético.
Não tive oportunidade de provar nenhum exclusivíssimo niche,  feito com o mais puro, raro,  e caríssimo Oud.
Muitas formulações juram sob as estrelas que trazem Agarwood natural direto do mais longínquo oriente.
Como posso confirmar ou desmentir? Só indo direto à fonte para estabelecer parâmetros.
Entretanto gosto do que sinto aqui, das perfumarias locais.
Hoje experimentei na loja Jo Malone  o encantador  Velvet Rose & Oud.
Somente ele. Não combinei com  Blacberry & Bay , nem com Peony & Blush conforme o sugerido pelo fabricante para obter um aroma refrescante  ou mais envolvente .
Veio solitário para minha pele e foi muito envolvente. Sedutor, cálido, amadeirado, instigante.


Li em comentário sobre outra fragrância oud que seria um perfume de bruxa ou  sacerdotisa, wicca, linda elegante e sexy.
Exatamente a que  Oud me transporta, inclusive este.
Para cerimônias ancestrais dos antigos celtas, ao redor de crepitantes fogueiras, ou percorrendo silenciosos corredores de pedra  em construções medievais, lugares secretos e mágicos para celebrar os mistérios da Natureza,  saudar solstícios e os milagres de renovação da Terra.
É uma provocação para o intelecto, para a imaginação, para a viagem através do conhecimento e  da história.
Também é  docemente carnal.
Velvet rose & Oud faz parte da coleção Cologne Intense e oferece  rosas de Damasco, misteriosas e amadeiradas, embrulhadas em delicioso Oud.


Impressão Pessoal
 Existe uma linearidade da base em Oud  sobre a qual se desenrolam acordes sutis e equilibrados.
Minha primeira sensação foi de ardor amadeirado, pungente, impactante e quente. Senti a força do Oud e de especiarias indefinidas, doces e picantes.
Notas florais, principalmente de  rosa foram reveladas na sequência e fixadas no fundo de Oud. Ali permaneceram adocicando com o passar do tempo como se uma bebida quente fosse delicadamente açucarada.
A fragrância é  aveludada como o nome sugere.
Na minha pele foi absorvida com rapidez. Do impacto inicial após 5 ou 6 horas restou tênue e doce amadeirado.
O cartão borrifado se manteve perfumado até o dia seguinte.
Sillage  mediana. Não inunda o ambiente mas não requer proximidade extrema para ser percebido. Fica no meio do caminho entre as "bombas olfativas" e  fragrâncias intimistas. Equilibrado.
Como os anjos não tem sexo. Posso imaginá-lo extremamente feminino ou másculo e arrebatador.  Dependerá de quem use.


Ficha Técnica
Família Olfativa: oriental Floral, 2012
Gênero: Feminino (compartilhável)
Perfumista: Fabrice Pellegrin
Designer: Jo Malone
Rastro: Intenso a moderado
Fixação: Boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Cravo-da-índia, flores brancas
  • Coração - Rosa damascena, especiarias
  • Base -Agarwood, praline

Similaridades: Al Sharquiah de Al Rehab; Aoud de M. Micallef; Majestic Rose de YSL; Armani Prive- Rose d'Arabie L'Or du Desert; Dior Oud Spahan; indonesia Oud de Ermenegildo Zegna

Arte irmã na poesia de Gibran Khalil


Imagens: Rosa collection de Flash La Revista;
Pintura da Roda do Ano no Museu de Bruxaria, Cornualha, Inglaterra, Reino Unido, exibindo todos os oito Sabá; Velvet RoseOud de Jo Malon; Gibran khalil mural de Elisabeth Casagrande

quarta-feira, fevereiro 28, 2018

Perfumaria - Que Arte É Esta?


Sinto-me atraída pelas artes. Aquela atração que impele, alheia as considerações lógicas.
Procuro uma forma,  caminho  ou a receita  na tentativa, talvez, de obscurecer a ausência da maestria natural, do toque de genialidade que distingue um artista de pobres mortais.
Escrevi versos pueris, pinteis cores vagas e certamente terei minha própria composição aromática. Algum dia. Música não me atrevo. Nasci deficiente de "ouvido" e a voz cantante lembra o desafinado grasnar dos corvos. Talvez nem tanto, mas aqui austeridade é melhor que a benevolência.
O que faço bem é ler, e tentar entender.
Como um perfumista consegue ver notas olfativas, ouvi-las e finalmente cheirar? Mistérios sinuosos e delicados da mente.
Imagino-me uma sombra observadora no estúdio de Jean Claude Ellena enquanto elabora suas mil formas vazias, a espera da perfeita, do aroma que se aproxime do conceito olfativo abstrato dentro da sua mente. Uma abstração odorífera.  Sua  "promessa angustiante"  e sequente "linha clara". Isto me surpreende.


O conceito me impressiona, pois para mim um objeto de pretensão artística surge primeiro, amorfo e sem identidade. Apenas caminha de encontro ao seu destino.E quando toma ciência é ou está.
Detenho-me a divagar sobre o método de Michel Roudnitska, um caçador de aromas e substâncias. Será que sua  mola impulsionadora é a descoberta maravilhada de uma nova raiz, uma resina de terras distantes, um cheiro de outra cultura? Estará aí o seu conceito primordial?
Pelo histórico e referências lidas  mestre Roudnitska, (Edmond) soa como um cientista dos odores que disciplinou e ordenou seu próprio caos criativo. E assim fez maravilhas.
Deixou um legado. Referências perenes para aprendizes.
Jovem, moderno e cotado perfumista, afirmou que não é necessário sentir o aroma para construir uma fragrância. Que basta lê-la quimicamente. A fórmula diz  qual é o produto  e indica o resultado das combinações.
Estaria ali a diferença sutil que Ellena refere? Entre ser o alquimista ou apenas um químico formal?
-"  Ao longo das minhas criações mudou minha maneira de conceber os perfumes. Não dou mais ouvidos ao mercado - a criação as vezes exige surdez. Não empilho mais os componentes, eu os justaponho uns aos outros; não os misturo mais, eu os associo. Meus perfumes são perfumes acabados, mas não terminados. Cada perfume  está ligado ao precedente e já figura no próximo.
Assim diz Ellena no "Diário de um Perfumista"
Será possível para jovens perfumistas conceber esta signature parfum  que Jean Claude Ellena desenvolveu apenas com áridas fórmulas químicas?


Alquimistas de odores sempre existiram e existirão. Hoje vicejam confinados na classificação nicho, árvore frondosa que produz inúmeros ramos.
Quantos mergulham nos seus jardins, destilam e esquadrinham cheiros enquanto apenas colhemos flores...Alguns místicos procuram nos símbolos e números ou na espiritualidade um norte para sua criação. Outros, terapeutas, esmiúçam a finalidade de cada óleo ou planta aromática, a interação com nosso corpo elaborando sinfonias de bem estar. Todos alquimistas, todos artistas.
Cada processo criativo uma arte.
E quedo-me perdida. A arte me seduz  e me conduz. Fantoche dos seus caprichos na compulsão de fazer sem saber o quê e porquê, sem conseguir repetir, reproduzir, ordenar.
Sinto-me aprendiz de outras vidas e ainda não absorvi esta tal de Perfumaria.

domingo, fevereiro 25, 2018

Mystère e Nicholas Mamounas


Meu primeiro parfum signature: Mystère by Rochas.
Especial, marcou minha história entre 20 e 30 anos, e deixou saudades.
Posso afirmar que foi a mola impulsionadora para a criação do blog Perfume Bighouse, pois atrás de um similar mergulhei no mundo da perfumaria. E encantei-me ainda mas pelo universo dos aromas.
Nunca encontrei uma fragrância tal e qual Mystère.
Entretanto senti curiosidade pela totalidade das criações de Nicholas Mamounas.
E voilá!
A casa Rochas nasceu em 1925 na França, fundada por Marcel Rochas. Sua história foi marcada por grandes perfumistas,  entre os quais Nicholas Mamounas no período entre 1970 a 1987.
As fragrâncias criadas na época marcaram história embora a maioria esteja descontinuada.


Grego de nascimento despertou para a química dos odores ainda criança e fazia experimentos em casa.  De formação acadêmica pela Sorbonne,  alcançou doutorado e começou carreira profissional  fabricando corantes.
Através de amigos descobriu o fascinante mundo olfativo e começou estudos  construindo seu herbário, sob orientação de um perfumista de Grasse.
A primeira criação e grande sucesso, incorporada à maison Rochas, foi Eau de Rochas.
Em 1978 consagrou o segundo sucesso: O admirável Mystère.

Criações de Nicholas Mamounas



Eau de Rochas feminino, Rochas - 1970

Mystere, Rochas - 1978

Macassar, Rochas - 1980 ( com Roger Pellegrino)

Lumiere original, Rochas - 1984

Fleur de Nacre, Jennica  - 1985

Byzance, Rochas - 1987 ( com Alberto Morillas)

Globe , Rochas - 1991

Eau de Rochas masculino, Rochas - 1993

Arbre de Vie, Jean Marais - 1998

Galaad, Jean Marais -1999. * Existe outra fragrância com a mesma denominação da casa Lubin criada por Delphine Thierry.

Pour La Belle, Jean Marais - 1999

Nicholas  Mamounas trabalhou para outras casas menos difundidas como Jennica  e Jean Marais.


Nota de Elisabeth: Notícias lidas afirmam que Mystère voltou através de Proctor&Gambles.  
Não vi, mas pela internet estão resenhas,  imagens e vídeos de Secret de Rochas Oud Mystère,  (2014) elaborado pelo perfumista  Jean-Michel Duriez. E flankers com rosas.
Pelas descrições não seguem a linha de Mystére, contudo uma ideia ocorreu-me:
Seria este o segredo do sucesso e desaparecimento do icônico Mystère By Rochas? 
Um inestimável e natural Oudh?
Devaneios... 






Imagens: Mystére de Victor wong; Nicholas Mamounas; Fleur de nacre de Serafina;

sexta-feira, fevereiro 23, 2018

Agarwood Parte II - Um rol de Fragrâncias


Fragrâncias com Agarwood - OUDH

Existem muitas listas online com fragrâncias que citam Oudh na pirâmide olfativa. Naturalmente é impossível conhecer e avaliar todos. Principalmente considerando que esta é uma nota difícil!
Apesar de estar mais conhecido e desejado na perfumaria ocidental o produto natural é extremamente dispendioso e raro.
As alternativas sintéticas não conseguem reproduzir fielmente toda a riqueza de nuances do agarwood natural.
Dentre os sintéticos também há diversidade.
Desde os blends de produtos artificiais com alguma quantidade de óleo natural até o similar mais simples e pobre.



Perfumistas de nicho tratam Oudh com reserva e cuidado, entretanto o acento populariza cada vez mais.
Procurei informações sobre diferenças entre Oudh natural e artificial.  Difícil quem já tenha experimentado. Mas colecionadores afirmam que o natural é animalic, enfumaçado, aproximando -se da civeta, enquanto o artificial tende ao medicinal e balsâmico.
No Brasil pouco se faz com este acento, logo pouco conhecemos. E o brasileiro ainda não abraçou totalmente a perfumaria nicho ou botânica...
Assim, diligentemente, tentei elaborar  uma listagem com a estrela Oudh intensa e predominante.
Vi-me impelida  mais uma vez  a abusar da gentileza de amigos, perfumistas, colecionadores ou aficionados pela perfumaria.
Surgiu este rol de fragrâncias nicho, perfumaria botânica, poucos attars e clássicos comerciais.
Alguns com o verdadeiro Oudh. Outros com compostos sintéticos, porém todos grandes fragrâncias.
Ressalto M. Micallef e Montale que podem ser considerados os designers precursores da perfumaria oriental  na Europa.
As  coleções de fragrâncias que levam Oudh são extensas nas duas casas.
Quanto aos attars será necessário mais pesquisas e um rol dedicado exclusivamente, vista que a profusão  de  fragrâncias é grande no mercado oriental.
* Muito obrigada para todos que sugeriram fragrâncias  e compartilharam imagens!


Foto de Wma van Winsberghe

Amber Oud de Rojas Parfum - Oriental condimentado e compartilhável foi idealizado pelo nez Roja Dove em 2012. Esta casa sofisticada, que prima pela qualidade da matéria-prima que utiliza , descreve-o como: Mistura sensual de cítricos com jasmim, rosa e ylang ylang sobre acorde de figo, musgo patchuli e couro. Benjoim , almíscar, orris e âmbar  suportam oudh e sândalo na base.



Foto de Wma van Winsberghe

Aoud Parfum de Rojas Parfum -  Com oudh em destaque, rodeado por rosa, jasmim e ylang é acrescido de gerânio, cítricos e ruibarbo. Na base madeiras, canela, noz-moscada, açafrão,âmbar, baunilha almíscar e couro. Roja Dove apaixonou-se pelos aromas orientais, pelo trabalho com Oudh e  pelo "cheiro de Backhoor"



Arabesque de DSH - A perfumaria natural de Dawn Spencer  traz Arabesque na linha de perfumes árabes terrosos e espirituais. Para a fragrância resinosa e lenhosa com toques gourmand reuniu  notas de figueira, romã, açafrão, rosa, chocolate, café e bakhoor oudh.



Attar AT de Andy Tauer -  Perfume veiculado em óleo cujo aroma floresce em contato com a pele. Óleo escuro e não diluído apresenta aroma coriáceo, animalic com notas de sândalo, madeiras, oud, vetiver, cistus, castóreo e jasmim. Aplaudido como  genuína fragrância oriental de acentos florais amadeirados e enfumaçados.



Black Golden Parfum - De Libby Paterson  / LPO ou Libby Patterson Organics. Com notas de immortelle, ylang ylang, rosa, patchuli, chá preto, cacau, sementes de coentro,  âmbar cinzento, tabaco, frankincense, árvore-de-fogo, oud/agarwood, jasmim, tuberosa, absoluto lírio d'água, absoluto junquilho, acácia, açafrão, cogumelo cepes, tília, laranja, limão, clementine, abeto, jacarandá, jasmim do imperador, neroli, sândalo, benjoim, artemísia,  noz-moscada, menta perilla,  baunilha, conhaque.



Black Oud de LM Parfums - Marca francesa criada em 2011 por Laurent Mazzoni apresenta formulações de  Jerome Epinette e Richard Ibanez.  O rol olfativo é cominho, incenso, noz-moscada, ládano, agarwood, civeta e baunilha.


Foto de: Vlad Stanescu

Dubai Amber de Bond no. 9 New York - Segundo comentário de colecionador  é âmbar cremoso, arredondado por oudh. Rico e opulento, típico do oriente Médio. Apesar de não citar Oudh na composição apresenta notas florais, de bálsamo de Gurjan ou Copaíba da Índia, madeira de guaiaco, cedro, açafrão, baunilha e almíscar



Dubai Oud de The Spirit of Dubai - A luxuosa casa criada em 2015 nos Emirados Árabes Unidos, Golfo Pérsico, com loja também em Londres cria perfumes com as notas típicas da perfumaria oriental. Dubai Oud traz na sua composição agarwood indiano, incenso, orquídea, lírio-de-maio,  rosa, couro e tabaco. Além deste outras fragrâncias apresentam Oud na composição:  
- Abraj homenagem à moderna arquitetura de Dubai com notas de pimenta preta, cardamomo,  bergamota, oud, patchouli, rosa e jasmim
- Meydan inspirado pelos campos verdes reais e majestosos cavalos árabes. Notas de lavanda, tons de oud, tabaco, sândalo e especiarias.



Harrods Oud  de Bond N.9 Perfumes  - Oriental amadeirado, 2018. Sobressaem notas de Oudh, cominho, mirra, âmbar e pimenta preta.



Hayat de Kemi -  Hayat ou vida em árabe é uma mistura inspirada nos quatro elementos antigos da terra, da água, do fogo e do ar. As notas são: laranja, lavanda, açafrão, cardamomo, canela, âmbar, cipreste, cedro patchuli e oud.



 L'Hombre de Envoyage Perfumes - Apesar de não apreciar distinção de gêneros nos perfumes Shelley Waddington diz que esta é seu perfume preferido para o público masculino: - "Adocicado sem exageros, picante, misterioso, sexy ... em suma, tudo o que um HOMEM deve ser." Bom rastro, fixação e uma nota de oudh equilibrada. Os acordes envolvem scotch, especiarias, cítricos, café, âmbar mineral, vetiver, musgo, patchuli e almíscar. Premiado com a medalha de ouro em 2013 nas categorias  Aroma, Combinação de Ingredientes e Perfumista Artesanal- International Fragrance Salon Awards Competition.



Majestic Oud de Shemagh Al Bassam  - Oriental amadeirado  criado em  2016 (Robertet) tem notas de limão, incenso, rosa, cardamomo, açafrão, couro, almíscar, oudh e madeiras.



Madly Kenzo Oud Collection -  Oriental floral de  2013, criado por  Alberto Morillas. Uma leitora definiu como um combo de rosa, almíscar e oudh. Clássico!


Megaleion de DSH Perfumes -  Madeiras incensadas juntam-se ao aroma balsâmico do rico oudh negro,  que é suavizado pelo acento de âmbar. As notas acessórias são: Cedro, bergamota, musgo, rosa, cardamomo, cássia, castóreo, canela, costo, noz de junça, patchuli, vinho tinto, olíbano, incenso, ládano, citronela, mirra, mirtilo, bálsamo do peru e nardo. Criado por Dawn Spencer Hurvitz em 2013.



Mohur de Neela Vermeire Creations - O nome refere a mais valiosa moeda indiana, a última cunhada em 1918. O clássico acordo oriental de rosa e oudh tem acento de couro, chá e um acorde sutil com notas de cenoura, cardamomo, ambrette e amêndoa. Mescla a tradicional perfumaria oriental com a opulenta tradição francesa.



Mosiqa Oud de Mishane - Uma crítica comparou o aroma aos pedaços de madeira oud de Mabhkara. Rico, intrincado, enfumaçado e terroso, porém suavizado pelo açafrão, toranja e sândalo. Dominado pelas madeiras apresenta cedro vermelho, e madeira palo santo.





Oud de Maison Francis Kurkdjian -  Criado em 2012 é compartilhável, oriental e amadeirado assinado pelo próprio Francis Kurkdjian. A pirâmide Olfativa destaca patchuli, cedro, açafrão, oud e elemi. Fragrância clássica , precedeu várias  com acorde oud, como Velvet Mood e Cashmere Mood  inclusive a recente ( 2018) Oud SilK Mood. Seguidores da marca relatam como perfumes equilibrados com acento enfumaçado suave.



OUD 777 de Stéphane Humbert Lucas 777 -  Perfumaria niche criada em 2013 na França. A composição adaptada de antiga fórmula do oriente Médio é um tributo do perfumista a exuberância do Sudeste Asiático. Usando Oudh branco do Laos, oudh marrom de Burma, couro e fava tonka o aroma se afasta do penetrante e agudo oudh da perfumaria moderna.



Oude Arabique de DSL Perfumes - Visto como místico, sagrado e raro este oudh é precedido pela nota de resina de lentisco ou aroeira. Agrega madeira de sândalo, buddha wood - óleo obtido de árore australiana, usado na meditação - cedro do Himalaia e bálsamo de tolú. Cálido e suavemente arborizado.



Oud Assam de Rania J perfumes - Usando puro oud indiano, considerado o mais espiritual oud traz uma faceta ocidental com as notas de vetiver, incenso e pimentas que transmitem a sensação lenhosa de um bosque. Intenso oud nesta fragrância.



Oud de Burgas  de Santi Burgas-  Perfumaria criada em 2010 cujos aromas são criados por Santi Burgas em colaboração com Blanca Dalmau, Rodrigo Flores Roux e Chris Maurice.  A fragrância oriental, amadeirada e  animalic  foi lançada em 2015.Suas principais notas são: Trevo, bálsamo de gurjan, cipriol ( nargamota) cedro, orris, madeira guaiaco, sândalo e Oudh.



Oudh Infini de Dusita Parfums - Pissara Umavijani é uma jovem tailandesa artista da perfumaria, que concretizou sua paixão pelos perfumes  em 2011 indo para Paris estudar o metier. Atualmente produz na maison de exclusiva perfumaria em Grasse, desde 2015. Oud Infini faz parte de uma coleção em homenagem ao renomado poeta tailandês Montri Umavijani, seu pai.


Oud Luban eau de parfum de Aftelier Perfumes - Oudh escuro resinoso e oito variedades fazem deste um perfume floral enfumaçado, picante e balsâmico  envolto em patchuli e  incenso. A fragrãncia preferida de Leonard Cohen .




Oud Stars Al Khatt de Xerjoff - Criado na tradição da perfumaria oriental traz Oud puro das plantações do Laos, Índia e Bornéu além da notas de madeiras, musgo, jasmim, baunilha e benjoim.
Sahraa Oud eau de parfum de Fragrance du Bois - Belo  e exótico bouquet temperado pelas notas de Oud , musgo e madeiras. Outras fragrâncias da marca, na coleção Oudh são:  Oud Noir Intense, London Oud, Oud Jaune Intense,  Oud Rouge e Heritage.


Imagem de Remco van Ellesvijk

Oud zen de Areej Le Doré  - É descrito como Oudh cru, selvagem e nú que leva à sensação de paz , harmonia e tranquilidade, quando equilibrado com madeira de sândalo e açafrão. Além de diversos tipos de Oudh na pirâmide constam vetiver, bálsamo de tolú, mirra, civeta e castóreo.



Rose d'Arabie de Armani Privé -  Centrado na intoxicante rosa damascena o perfume oriental floral  foi lançado em 2010. Adornam esta rosa voluptuosa notas de oud, patchuli e baunilha.



Rose Oud de Killian - Rosa verde (tintura de rosas) que lentamente absorve oud  tornando-se amadeirada, incensada e com acentos de couro. Apesar das notas intensas e cálido e feminino. Criação de Calice Becker em 2010.



Ruba'iyat Botanique de DSH Perfumes -  De composição 100% botânica foi construído com Oudh ( CO2) na tradição aromática  do oriente Médio. Inspirado na poesia do mesmo nome  traz ao redor acentos de incenso, açafrão e especiarias. Além das notas davana, rosas, mirtilo,  gerânio , sândalo, mirra, patchuli, ládano e ambrette.


Foto de Aggeloss Balami

Sahraa Oud Eau de Parfum de Fragrance du Bois - Criação na tradição oriental usa Oud puro das plantações do Laos, Índia e Bornéu. Outras notas são rosa, gerânio, jasmim, musgo, patchuli, sândalo, açafrão, âmbar e baunilha.
Da mesma marca  a coleção Oudh tem  Oud Noir Intense, London Oud, Oud Rouge Intense.




Santal Royal de Guerlain - Thierry Wasser, o perfumista de Santal Royal centrou no sândalo a construção do acorde que emoldura oud e couro de forma misteriosa e sombria. Acorde de jasmim e rosa iluminam a composição. Esta fragrância faz parte da coleção Luxury Natural Perfumes.



Signature Collection Oud de Ayala Moriel Parfums - Reúne 4 fragrâncias:
Bonzai - Oriental amadeirado e fresco com notas cítricas, verdes e diversas madeiras.
Charisma -  Contrasta notas quentes de jasmim com folhas verdes e etéreas.
Megumi - Chypre de rosa turca e jasmim indiano embrulhados em oudh e vetiver
Song of Songs - Ode ao amor, contém todas as plantas bíblicas aromáticas usadas para purificar e seduzir - Açafrão, rosa, nardo, incenso, mirra, oudh e ládano



Sybarite parfum - de JoAnne Basset  Parfums - Com notas de rosa branca da Bulgária, absoluto de flor de laranjeira, absoluto de osmanthus, neroli, absoluto de rosa damascena, frankincense, oud-agarwood, almíscar e ládano



Terrestre - de Roxane Iluminated Perfume -  Da perfumaria artesanal botânica e orgânica o perfume sólido é feito com cera de abelha, jojoba oil; oud, incenso, patchuli, terra indiana destilada (mitti) , vetiver, rosa e gálbano. Nasceu como uma homenagem ao planeta terra. Sincronismo entre acentos botânicos verdes resinosos e madeiras.  Compartilhável.



The Night de Frederic Malle - Assinado por Dominique Ropion é fragrância oriental amadeirada de 2014. As notas principais são Oud, rosa turca e âmbar.



Trayee  de Neela Vermeire Creations - Oriental condimentado de 2012 leva assinatura do nez Bertrand Duchaufour. Trayee (pronunciado 'try-ee' significa 'A Tríade'. O nome foi sugerido pela origem divina dos três primeiros Vedas: Rig, yajur e Sama - Vedic Era
 A listagem olfativa indica  alta porcentagem das substâncias naturais também usadas em muitas cerimônias vedicas. As notas são gengibre, elemi, canela, groselha, manjericão, absoluto de jasmim e cardamomo, cravo açafrão, sândalo,vetiver, incenso, sândalo, patchuli, âmbar, musgo, Oudh do Laos.




Velvet Rose & Oud de Jo Malone - Óleo corporal  seguindo o estilo oriental de perfumar-se (com óleos ou attars)  traz oudh, rosa, cravo-da-índia, trevo e pralinê na composição. Lançado em 2012 assinado por Fabrice Pellegrin. Segue a linha aromática de Rose d'Arabie Armani Privé.

Oudh 
" O oudh é incrível. Incrivelmente forte acima de tudo.Derruba qualquer um, golpeia como uma pedra caindo. Mas o que espanta é sua vasta dimensão: Um aroma imenso, espacialmente imenso e de uma incrível complexidade. Uma camada amanteigada tão profunda como uma folha de vidro, de impacto inteiramente animal, e ainda assim o oudh em si mesmo não é na realidade animal. Condimentado sem ser condimento. O fungo - os minúsculos micróbios orgânicos que comeram, digeriram e defecaram esta madeira sensual - deixaram para trás a sua fragrância, e o Oudh é o aroa desta madeira podre,inestimável, e de bilhões de diminutos seres mortos".  
O Imperador do Olfato, Chandler Burr.