Pin It button on image hover

sábado, fevereiro 29, 2020

Água Nativa - Parfumeurs Sans Frontières



Voici le discours que j'ai prononcé pour le lancement de l'association "Parfumeurs sans Frontières"
(https://parfumeurssansfrontieres.com/) hier soir à Paris à l'occasion de la célébration des 10 ans de la Parfumerie Jovoy. Gratitude à Francois Hénin.
"Depuis la révolution industrielle nous sommes dans une véritable « exploitation » des sols, des sous-sols, des océans, avec tout le cortège de destructions des forêts primaires, des écosystèmes et des cultures indigènes traditionnelles qui, elles, vivaient en harmonie avec leur environnement.
Sans parler de l’asservissement des animaux sous toutes ses formes et la disparition de trop nombreuses espèces !...
Il semble y avoir un parallélisme entre la volonté de domination de l’Homme sur la Nature et celle que l’Homme a eu sur la Femme.
Plus j’avance sur le chemin de la conscience, plus je ressens l’attitude actuelle de l’homme vis-à-vis de la Nature comme un viol, un viol de sa propre mère, sa Terre-Mère : il la « défonce », la laboure, la pénètre avec violence en profondeur, la fracture puis la « souille » avec ses pollutions toxiques…
Ce système nous mène tout droit dans le mur, il est à bout de souffle…
Pour s’en sortir un changement complet de paradigme est nécessaire à tous les niveaux : économique, écologique, technologique, politique, moral et spirituel…
C’est le grand Défi du 21ème siècle!


Il s’agit de façon urgente de créer une Nouvelle Alliance entre:
l’Homme et la Nature, entre le producteur et le consommateur, entre les traditions et les nouvelles technologies, entre l’Esprit et la Matière…
Une relation où il n’y ait plus d’exploité et d’exploitant, mais une coopération gagnant/gagnant où chacun s’enrichit du savoir de l’autre dans un partage équitable.
Une relation commerciale et humaine où l’appât du gain ne l’emporte plus sur la réalisation d’un idéal, au service de l’humanité.
De plus en plus de personnes ont désormais pris conscience de cet impératif mais encore trop rares sont les initiatives commerciales qui associent ces dimensions éthiques, humanitaires, environnementales et traditionnelles.
« Parfumeurs sans Frontières » en est un exemple particulièrement significatif et prometteur car il réunit des personnalités ayant déjà largement fait leurs preuves depuis des années, chacune dans son domaine. Ce sont des hommes de terrain, d’expérience et de conviction, des hommes passionnés qui ne comptent pas leurs heures au service des populations autochtones et de leurs traditions millénaires, animés par une véritable générosité qui vient du cœur.
J’ai eu moi-même la chance et l’honneur de participer, avec des membres de cette équipe, à certains projets antérieurs, notamment celui avec les Shipibos du Pérou qui m’a profondément marqué par la cohérence qu’il a amenée dans ma vie. Ce fut l’occasion de lui donner du sens en mettant ainsi mon expérience de parfumeur au service d’une cause noble qui me passionne aussi depuis des années, à savoir la préservation d’une culture millénaire extraordinairement riche en connaissances botaniques, médicinales et spirituelles, véritable trésor de l’humanité.
Ce qui semblait utopique au départ a vu le jour en 2 ans et s’est concrétisé par la création d’un parfum 100% naturel haut de gamme, "Agua Nativa", crée en collaboration avec les guérisseurs locaux (perfumeros) et qui est désormais diffusé mondialement avec succès.


C’est cet esprit particulier qui prend maintenant un nouvel envol avec ces 3 projets ambitieux, mais aussi réalistes et au fort potentiel, compte-tenu de l’évolution des mentalités dans un monde qui prend de plus en plus conscience des schémas destructeurs envers notre planète et ses cultures ancestrales.
"La compréhension spirituelle de l'existence est seule capable d'appréhender les "menaces du monde" dans une perspective saine."

La parfumerie de luxe est aussi à bout de souffle, elle ne progresse plus que dans les marques de niche qui développent une créativité, une authenticité et une véritable éthique qui, seules, sont compatibles avec les nouvelles valeurs émergentes du 21ème siècle.
Les projets « Parfumeurs sans Frontières » s’inscrivent totalement dans ces démarches et sont absolument compatibles avec un développement durable, solidaire et responsable.
J’apporte mon soutien inconditionnel à ce programme exaltant et exemplaire afin qu’il réunisse le maximum de bonnes volontés et de collaborations efficaces.
A chacun d’effectuer sa part de colibri, selon la formule de Pierre Rabhi...

Michel Roudnitska


Tradução Google

Aqui está o discurso que proferi para o lançamento da associação "Parfumeurs sans Frontières"
(https://parfumeurssansfrontieres.com/) ontem à noite em Paris, por ocasião da celebração dos 10 anos da Perfumaria Jovoy. Gratidão a Francois Hénin.
" Desde a revolução industrial estamos em uma verdadeira " exploração " dos solos, cave, oceanos, com todo o cortejo de destruição das florestas primárias, ecossistemas e culturas indígenas tradicionais que viviam em harmonia com o seu Ambiente.
Sem mencionar a escravidão dos animais em todas as suas formas e o desaparecimento de muitas espécies!...
Parece haver um paralelismo entre a vontade de dominação do homem sobre a natureza e a que o Homem teve sobre a Mulher. Quanto mais eu avanço no caminho da consciência, mais eu sinto a atitude atual do homem em relação à natureza como uma violação, uma violação da própria mãe, sua terra-mãe: ele a "moca", A lavra, penetra com violência em profundidade, fractura e depois a "mancha" com as suas poluições tóxicas...
Este sistema nos leva direto para a parede, está sem fôlego...
Para sair de uma mudança completa de paradigma é necessária em todos os níveis: econômica, ecológica, tecnológica, política, moral e espiritual...
Este é o grande desafio do século 21!
Trata-se urgentemente de criar uma nova aliança entre:
O homem e a natureza,
entre o produtor e o consumidor,
entre tradições e novas tecnologias,
Entre a mente e a Matéria...
Um relacionamento onde não existe mais explorado e explorador, mas uma cooperação vencedora / vencedor onde cada um enriquece com o conhecimento do outro em uma partilha justa.
Uma relação comercial e humana, onde o isco do ganho já não prevalece sobre a realização de um ideal, ao serviço da humanidade. Cada vez mais pessoas tomaram consciência desse imperativo, mas ainda muito raras são as iniciativas comerciais que associam estas dimensões éticas, humanitárias, ambientais e tradicionais.
"Perfumistas sem Fronteiras" é um exemplo particularmente significativo e promissor, pois reúne personalidades que já demonstraram amplamente há anos, cada uma na sua área. São homens de campo, experiência e convicção, homens apaixonados que não contam as suas horas ao serviço das populações indígenas e das suas tradições milênios, animados por uma verdadeira generosidade que vem do coração.
Eu próprio tive a sorte e a honra de participar, juntamente com membros desta equipa, em alguns projetos anteriores, incluindo aquele com os Shipibos do Peru, que me marcou profundamente pela coerência que ele trouxe para a minha vida. Esta foi a oportunidade de lhe dar sentido colocando assim a minha experiência de perfumista ao serviço de uma causa nobre que também me apaixona há anos, a saber, a preservação de uma cultura milénio extraordinariamente rica em conhecimento botânico, medicinal e espiritual, verdadeiro tesouro da humanidade. O que parecia utópico inicialmente surgiu em 2 anos e concretizou-se na criação de um perfume 100 % natural de topo de gama, "Água Nativa", cria em colaboração com os curandeiros locais (perfumeros ) e que agora está sendo transmitido globalmente com sucesso.

É esse espírito particular que agora voa com estes 3 projetos ambiciosos, mas também realistas e com o forte potencial, tendo em conta a evolução das mentalidades num mundo que toma cada vez mais consciência dos padrões destrutivos para Nosso planeta e suas culturas ancestrais.
" A compreensão espiritual da existência é a única capaz de apreender as " ameaças do mundo " numa perspectiva saudável."

A perfumaria de luxo também está sem fôlego, só avança nas marcas de nicho que desenvolvem criatividade, autenticidade e verdadeira ética que, sozinhos, são compatíveis com os novos valores emergentes do século 21.
Os projetos "Perfumistas sem Fronteiras" inscrevem-se totalmente nestas diligências e são absolutamente compatíveis com um desenvolvimento sustentável, solidário e responsável.
Apoio incondicional a este programa emocionante e exemplar para que ele consiga o máximo de boas vontades e colaborações eficazes.
Cada um de fazer a sua parte de beija-flor, de acordo com a fórmula de Pierre Rabhi...

Michel Roudnitska



segunda-feira, dezembro 16, 2019

Kenzo World Collection - Kenzo



Perfumaria Kenzo é tradicionalmente atraente. Algumas relíquias da minha aromateca o comprovam e quando encontrei Kenzo World Power senti a presença desta exótica perfumaria.
Gostei assim que caiu na pele, embora uma pitada a mais de nota resinosa (cipreste?) impedisse a entrega total. Poderoso, fixação do tipo dia seguinte e sillage indiscutível.
Arquivei na memória para experimentar novamente, seguindo aquela linha...se ainda estiver apaixonada amanhã, e depois,  pensarei em comprar. Estratégia para evitar o consumismo impulsivo.
Procurei Kenzo World numa perfumaria maior e encontrei quatro! Na verdade atualmente são sete. Uma coleção, que dádiva.
Depois de experimentar  os quatro minha predileção recaiu sobre o Kenzo World eau de parfum.
Apesar de ter definido qual afina mais comigo não foi desta vez, pois consultei preços em lojas fora do Brasil...aqui continua proibitivo.


Kenzo World eau de parfum
Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral, 2016
Gênero:Feminino
Designer: Kenzo
Perfumista: Francis Kurkdjian
Frasco: Carol Lim e Humberto Leon
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa
  • Topo - Frutas vermelhas
  • Coração - Peônia, jasmim egípcio, notas florais
  • Base - Ambroxan ( molécula é sintetizada em laboratório a partir do esclareol, um composto natural extraído da sálvia esclareia)
SimilaresMiss Grey Fiorucci, Surreal island avon, jeunesse de Robert Piguet, Our Moment de  One Direction, Carven Le parfum, Flora Botânica Balenciaga, My Lily Boticário. Black XS Paco Rabanne

Vídeo Kenzo World edp

 


Kenzo World  eau de toilette 

Ficha Técnica 

Família Olfativa: Floral, 2016
Gênero:Feminino
Designer: Kenzo
Perfumistas: Francis Kurkdjian e Maria Lernout
Frasco: Carol Lim e Humberto Leon
Rastro: Intenso
Fixação: BoaPirâmide Olfativa
  • Topo - Pera, bergamota
  • Coração - Flor de amendoeira, peonia, rosa
  • Base - Raiz de íris, Iso E super, sândalo, baunilha, violeta, almiscar branco
Similaridades - Nívea edt, Beach Walk  de Maison Martin Margiella, Miu Miu L"Eau Rose, Elie Saab Le Parfum Rose Couture

Vídeo Kenzo World edt


Kenzo World Intense

Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral frutal gourmand, 2017
Gênero:Feminino
Designer: Kenzo
Perfumistas: Francis Kurkdjian, Maria Lernout
Frasco: Carol Lim e Humberto Leon
Rastro: Intenso
Fixação: ÓtimaPirâmide Olfativa
  • Topo - Ameixa preta
  • Coração - Peônia, jasmim egípcio, notas florais
  • Base -Baunilha
Similaridades: Dahlia Divin de Givenchy, Gucci Rush, Oriental Zara, Volgere L'acqua di Fiori
Vídeo Kenzo World Intense



Kenzo World Power

Ficha Técnica

Família Olfativa: Amadeirado aromático, 2019
Gênero:Feminino
Designer: Kenzo
Perfumistas: Jerome di Marino
Frasco: Carol Lim e Humberto Leon
Rastro: Intenso
Fixação: ÓtimaPirâmide Olfativa
  • Topo - Cipreste
  • Coração -Sal Marinho
  • Base - Fava Tonka
Similaridades: Reveal de Calvin Klein, True by Woman de La Rive

Vídeo Kenzo World Power


quinta-feira, novembro 07, 2019

Chloé Eau de Parfum - Chloé




Conceito

Segundo a grife revela proposta floral intimista e sensual, sendo atualmente sua fragrância assinatura
Incorpora o espírito Chloé: fresco, moderno, romântico e original.
Baseia-se nos acordes clássicos de rosa, na característica e sensualidade da essência das flores orvalhadas, ao amanhecer




Opinião Pessoal

Amo Narcisse, e quando uma jovem prima, que não suporta a maioria dos perfumes, voltou da Itália com um Chloé na bagagem pensei num aroma desmaiado, lembrando talco de bebê ou sabonete. Conferindo a aparência delicada e rósea  voluntariamente esqueci. Repudiei. Estava num momento de veemências.
Havia resenhado o intenso Chloé Women (1975), e nada nas características deste  frasco etéreo evocava o marcante  feminino, antecessor do picante e personalíssimo Chloe  Narcisse (1992).
Há pouco provei  um similar nacional, que todos comentam ser igualzinho a Chloe Eau de Parfum, porém com uma saída mais verde.
Interessei-me justamente  pela nota herbal, criticada por muitos.
Adoro verde. A cor e suas derivações. Na mesa, nas roupas e acessórios, nos  jardins,  florestas, e nas fragrâncias herbais.
Que surpresa! Gostei, e na sequência experimentei Chloé edp, em pequenina amostra esquecida numa caixa. 
Também li algumas opiniões, que revelaram uma ou outra discrepância. Entretanto houve um lugar comum verdadeiro para meu olfato: floral limpo.


Para encontrarmos estas flores que remetem a banho recente percorremos um leve caminho cítrico enfeitado com delicadas notas de frutas.
Do encontro de citrinos e lichia  esperava intensidade relevante; uma lufada generosa de folhas, polpas e cascas.  Receei esta mistura,  pois  lichia é uma nota dominadora e sempre me proporcionou sentimentos antagônicos.  Apesar de gostar da fruta o aroma é meu desafio.
Não evolui assim provocador. Mostra-se suave e moderno mesmo ao  flertar com fragrâncias florais clássicas.
Na linguagem coloquial dos que amam o assunto é "perfume de escritório", e penso que de um  corporativo posterior aos anos 90.
Nada remete à coqueteria das secretárias  década 50, com salto agulha, meia de nylon, saia lápis bem justa, cabelo preso em elegante coque e delineado gatinho no olhar. Nem aos florais impactantes, dos salões enfumaçados,  que carinhosamente chamamos de "bombas dos anos 80".


Representa a mulher atarefada, que se preocupa em não invadir a bolha alheia,  porém deseja exalar aromático e prolongado frescor.
Esta composição é assim, e transita por flores equilibradas, doces rosas peônias e magnólias.
Sem pressa, sutil e delicadamente,  desliza para o acorde final ,amadeirado, fresco e empoeirado. Neste momento encontramos o talco,  refinado e elegante.
Gostaria de ter conhecido Chloé antes. Existem situações que pedem o seu balsâmico frescor, este gume aristocrático e leve.
Talvez alguns narizes repudiem  a nota aguda, que soa como um tilintar fino e longo. Esta "vibe" de transparência olfativa, laboratorial, evocando  pilhas de roupas limpas. Outros irão adorar.
Enfim... Chloé  Eau de Parfum merece ser avaliado pelos nossos olfatos.

Vídeo: Chloé eau de parfum


Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral, 2008
Gênero: Feminino
Perfumista: Amandine Clerc Marie, Michel Almairac
Designer: Chloé - Coty
Rastro:Moderado
Fixação:Muito boa
Pirâmide Olfativa:
  • Topo - Peônia, fresia, lichia
  • Coração - Rosa, lírio-do-vale ( lírio de maio) , magnólia.
  • Base - Cedro, âmbar
Similaridades: São listados como  linha aromática semelhante:  Moment de Bonheur- Yves Rocher;  Chloé eau de toilette;  Cute -La Rive; JLO Glow;  Powdery Magnolia- Zara;  Dolce Amore - Fiorucci;  Make me Fever Forever Gold - Mahogany;  Essences 45 - Nuancie.


terça-feira, novembro 05, 2019

Perfumaria e Pinturas



The Three perfumes - Margareth MacDonald

"Todas as artes são irmãs e cada uma delas ilumina as outras resultando numa luz universal."
Esta frase atribuída a Voltaire é um dos nortes do meu site.


Pout Pourri - Herbert James Draper (1897)

Existe uma disposição natural para as artes se irmanarem. Aromas suscitam lembranças, provocam humores e nos remetem à músicas, cores e formas.


Perfumes - Viktoria Kukhtina

Amante da perfumaria e das artes em geral, principalmente de pinturas e desenhos,  fico encantada quando encontro minhas duas paixões reunidas no mesmo contexto


Michèle Carer Le Parfum

Esta é uma escrita diferente das habituais em Perfume Bighouse...menos prolixa e mais visual porque também podemos ler através das cores e formas.


La Miss - Lemon Chanej


Pintura mediterrânea sobre estuque


Chanel - Nathalie Chiasson


Autor desconhecido


Profumi e Assenzio - Alessandra Martini



Parfum d'orient - Audrey Marienkoff


Dina Morzhina Old Perfumes


Parfums -  Philippe


Autor desconhecido


Pearls and Perfumes - Margaret Hodgson


Parfum de Chocolat


Pintura Romana

terça-feira, outubro 22, 2019

Ekos Alma - Natura



Conceito

Minha intenção não era um perfume. Entrei na loja Natura para comprar um delineador. Os cosméticos são bons. Eu uso.
No caixa me deparei com o frasco bonito em forma de gota, de transparência âmbar. Soube que era lançamento, recém chegado, e na mídia encontrei o conceito. Bonito.
Foi  concebido para ser essência Alma da Amazônia encerrada no frasco representando  um "fóssil vivo".
Segundo Verônica Kato, perfumista da Natura, que atuou ao lado  do françês Yves Cassar (IFF),  esta fragrância é inspirada no ciclo da vida da floresta.


Verônica diz que a raiz de priprioca simboliza o contato com a terra, a semente de cumaru traz a doçura, o elixir da vida e a indulgência, breu branco é o incenso que purifica, madeira de copaíba  a força da cura, e vitória-régia simboliza a beleza e a força do feminino.
Três anos de pesquisas, em torno das espécies brasileiras,  levaram ao deo-parfum que tem edição limitada e será lançado uma vez por ano.
O método de produção está vinculado ao preparo da matéria-prima,  pois o óleo de priprioca é maturado em madeira durante doze meses. Assim é possível que a característica olfativa se altere ligeiramente, como nas safras de vinho.
Um bônus oferecido pela marca é o code QR  que proporciona ao consumidor uma meditação guiada.
Ekos Alma deo-parfum está disponível em frasco de 70ml por R$ 250,00.


Opinião Pessoal

Levei o frasco ao nariz (exatamente como não se deve fazer) e percebi as madeiras de imediato. Doce em boca de criança! Adoro amadeirados.
Não ficou devedor. As madeiras são devastadoras, envolventes, úmidas como a entrada de uma floresta.
Enquanto ouvia distraidamente a vendedora prometendo 12 horas de fixação, (na verdade umas 8h) vagueei mansamente pela terra  do Oud.
E vieram as especiarias. Não listadas, mas sentidas.  Canela e cravo flutuando no ar. É possível que seja apenas o picante exótico dos tubérculos de priprioca, também conhecida como "Aroma do Pará", cidade que é a porta de entrada para Amazônia.
Docura!  Brisas passageiras de mel...de onde veio este mel? O doce de cumaru é muito diferente.
E novamente Oud. Ou alguma matéria-prima enfumaçada, curtida, amadeirada numa proposta diferente. Ainda não sabia da maturação da priprioca em madeiras, talvez seja este o aroma que não decifrei. E naturalmente que não se esqueça da contribuição de breu branco e da suavidade aromática  da copaíba. Amo óleo de copaíba.
Floral sim. Existe, mas é nebuloso. O que realmente predomina é  amadeirado exótico, resinoso e um pouco balsâmeo.
Na base depois de muitas horas deixa no tecido resíduos balsâmicos intensos, na pele evolui de forma diferente.
Este perfume me deixou contente. A história é bonita, e vai além. Existe uma qualidade de formulação,  aroma com nuances diferentes e ao mesmo tempo se mostra bem engajado na  tendência de mercado,  das fragrâncias amadeiradas/oud.
Diria que adequado para mulheres e homens dotados de alguma ousadia e maturidade. Não necessariamente a física, porém a do espírito que se inclina ao singular.
Senti vontade de ter. Talvez eu me presenteie com um frasco...talvez ($?). Para usar, perpetuar em fotografias e incluir uma amostra na  minha "perfumoteca"

Plantação de Priprioca em Santo Antonio - PA Foto de  Quinari Óleos

Ficha Técnica

Família Olfativa: Floral amadeirado, outubro de 2019
Gênero:Unissex
Perfumista:Verônica Kato, Yves Cassar
Designer: Natura
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima


Túberculos de Priprioca - imagem de UFOPA

Pirâmide Olfativa
  • Topo  - Vitória-régia
  • Coração -  Tintura de terra (sintético), priprioca, palo santo, cumarú.
  • Base -  Priprioca, breu branco, copaíba,  madeiras e resinas.
Similaridades 
Apesar da evolução diferenciada, na transição do coração para a base, recordei  notas de La Petit Fleur d'Or de Paris Elysees, que por sua vez segue a linha olfativa de Valentina Oud Assolu e Soir de Orient da Sisley.



 Arte Irmã: Lembrou-me uma leitura de adolescência, textos cativantes e ilustrações perfeitas - Os Rios e as Florestas







terça-feira, maio 07, 2019

Água Perfumada de Camomila Para Cabelos.



Camomila ilumina cabelo louro ou castanho claro. Acentua o louro e proporciona reflexos dourados. Fica lindo no cabelo ruivo também. Nos cabelos escuros talvez tenha efeito benéfico como tônico e promotor do crescimento, mas não colore.
Geralmente as infusões são feitas a olho, porém  descobri num livro inglês  sobre fragrâncias florais, edição espanhola de 1990, esta receita de água perfumada!


Água Perfumada de Camomila para Enxague dos Cabelos.

 Ingredientes

1/2 xícara de flores secas de camomila
2 xícaras e 1/2 de água,
1 xícara de pétalas frescas perfumadas

Preparo

- Coloque a camomila com a água numa panela, tampe e deixer ferver durante 15 minutos em fogo baixo.
- Coe e despeje o líquido quente sobre uma xícara de pétalas.*
- Deixe em repouso durante 30 minutos e coe novamente.
- Para usar aqueça um pouco, enxague os cabelos e seque no sol ou com secador.**


* A receita não especifica quais pétalas, mas presumo que possam ser de rosa, cravo, lavanda ou magnólia. Lembre-se que flores exalam aroma durante diferentes horas do dia. E devem ser colhidas nestes horários. Flores de laranjeira e mimoseira exalam aroma intenso ao amanhecer.  Mirabilis ou flor maravilha são intensas ao cair da noite.


** Geralmente quando enxaguamos os cabelos com infusões de pigmentos naturais não usamos toalha para secar. E não espere uma cor esplendorosa numa única lavagem. É uma coloração suave que se desenvolve após várias aplicações. Por deposição do pigmento no fio de cabelo. Da mesma forma que acontece com a henna.

Referências: Textuais de Floral Fragrances, ilustração de  Mary Woodin, Photo Michelle Garret

sábado, maio 04, 2019

Perfumes Através do Tempo - Revolução Francesa.


Hábitos  relativos a higiene geram fábulas. Comumente lemos ou ouvimos a referência sobre o hábito francês de substituir banhos pelos perfumes.
Talvez este conceito remonte das cortes francesas no século XVIII.  Nobres da época ostentavam penteados extravagantes, altíssimos, muito adornados e empoeirados. Era comum cuidarem da higiene com talcos perfumados e coloridos feitos de amido de trigo seco. Violetas e rosas eram aromas de sucesso.


No reinado de Luiz XVI, a rainha Marie Antoinette foi admirada e imitada pela corte devido a criatividade frívola em relação à vestuário e costumes. Era uma influenciadora de moda. Amante dos perfumes o que  impulsionou o ofício de perfumista.
Produtores de fragrâncias  floresceram neste período, como A La Corbeille Fleurie  no endereço 19, rue du Faubourg Saint-Honoré. 
Houbigant de Grasse em 1775 transformou esta loja que vendia perfumes, luvas e  ramalhetes de noivas na famosa perfumaria produzindo até hoje.
Perfumes influenciavam a nobreza de tal forma que sentimentos e intenções amorosas eram expressos através dos aromas usados. 


Segundo a história na execução pela guilhotina Marie Antoinette levava frasco de perfume Houbigant no corpete.
Entretanto quando ocorreu a Revolução Francesa (1789-1799) esta ascensão dos perfumistas regrediu instalando-se censura em relação a produção.
Robespierre o líder dos jacobinos  (extrema esquerda), enquanto ditador, proibiu a perfumaria por ele considerada artificial.
Sem muito sucesso pois a veia criativa não se extinguiu e criaram-se perfumes com alusão à Revolução, como "Elixirs à la Guillotine".
Em reação a este Diretório Francês ou "Período de Terror" surgiram os "Muscadins", jovens opositores de comportamento dândi, conhecidos  apreciadores do aroma de almíscar.


Denominados "Incroyables " ou "Inacreditáveis" emergiram de remanescentes das classes nobres dominantes. A representação feminina estava nas "Merveulleises" ou "divas fabulosas" influenciadoras  de moda e tendências, no estilo luxo decadente. As atitudes reacionárias visavam agregar os sobreviventes do "Reinado de Terror".
Extremamente excêntricas e escandalosas as Merveulleises  usavam roupas na modelagem das túnicas gregas, tecidos transparentes, sandálias de tiras, perucas coloridas (proibidas pela comuna francesa), chapéus enfeitados, cachos e... perfumes!


Fragrâncias exóticas  da casa Lubin (1979) eram as preferidas. Com o passar do tempo, e culminando no reinado de Napoleão Bonaparte, preferências inclinaram-se  pelos aromas de temas florais e frutais.
Eau de Lubin (1798) conquistou a corte napoleônica e a perfumaria  prestou serviços para praticamente todas as cabeças coroadas da Europa .
Passou a ser comercializada  na América do Norte em 1830. Atingiu ápice na década de 40, deixou de produzir perfumes nos anos 80, e foi reestruturada em 2001.


Houbigant foi outra casa a obter grande prestígio junto a corte de Napoleão, e a única fábrica de perfumes ativa sem interrupções durante 4 séculos.


quarta-feira, maio 01, 2019

Chanel Nº 5 - Parfums Chanel


Simbólico, provavelmente das fragrâncias mais clássicas e conhecidas da nossa história. Aqui mencionada tantas vezes e nunca resenhada.
Creio que Chanel n.5  leva à um temor respeitoso, transparecendo a dificuldade de  abordar o ícone celebrado em tantas prosas. O que ainda não foi dito?
Nasceu numa época  de mudanças relevantes para a humanidade.


Emergíamos da 1º Grande Guerra Mundial  para vida mais simples e minimalista, numa  sociedade voltada a avanços industriais... urbana  e mutante.
Nos anos 20 cool era dançar e ouvir jazz ou blues, se encantar com arte abstrata e surrealismo,  admirar a escola de Bauhaus, art deco  ou o modernismo de Corbusier.


Chanel vestia a sociedade em preto e branco. Chaplin e o Gato Felix faziam rir no mesmo dueto de cor.
Mulheres se libertavam dos aromas frescos e desmaiados, das vestimentas sufocantes, escapavam das sombras masculinas  se revelando através da fumaça de cigarros, do ousado comprimento das saias, mostrando os joelhos.


Assumiram  postos de trabalhos pela premente necessidade de mão de obra, e lá ficaram.
Era a década da eletricidade, do telefone, dos automóveis. Um pós guerra global abrindo espaço para modificações nas ofertas de consumo, e nos costumes.
Chanel 5 adequou-se perfeitamente neste cenário.


Elegante no  frasco quadrado, de rótulo minimalista se comparado com os rococós dos anos anteriores, debutava perfeito.
Nome moderno, curto e fashion, fugia dos padrões românticos e tributos à uma única flor.
Para conceituar o sucesso  havia a proposta de Coco Chanel...
Sua perspectiva sobre uma fragrância era de algo extravagante, rico e voluptuoso. Um aroma criado artificialmente, e não um perfume como tantos, que deixasse a mulher cheirando igual a uma determinada flor.
 A dose extra de aldeídos proporcionou justamente a modernidade que ela buscava.


Trágico desenlace de uma intensa relação amorosa desencadeou a gestação deste perfume... Após a morte de Arthur "Boy" Chapel num acidente automobilístico Madame  Chanel entrou  em profunda depressão.
Foi levada ao Sul da Franca por um casal amigo e lá resolveu dar seguimento a criação  do último projeto idealizado com seu amante: Um Perfume!
Nova paixão, pelo Grão Duque  Dimitri Pavlovicht Romanov,  a coloca em contato com um perfumista russo, que teria criado  fragrância encantadora para a imperatriz Catarina a Grande.
Ernest Beaux, o perfumista, era pródigo em aromas ícones.


Cuir de Russie, Bois des Iles, Gardenia; Soir de Paris e Kobako de Bourjois foram algumas das suas idealizações soberbas no decorrer da profissão.
Nascido em Moscou, trouxe na bagagem o aprendizado russo em cosméticos,  e sucessos como Bouquet de Napoleon.
Currículo a altura da maison Coco Chanel.
Apresentou a sua possível cliente, em 1921, referências e algumas fragrâncias dentre as quais a selecionada, Chanel N.5. O nome da maison seguido por um número da sorte.
Inicialmente foram produzidos 100 frascos para presentear amigas e clientes de Madame  Chanel, no Natal.



Tal foi o sucesso  que em 1924 os proprietários das Galeries Lafayette compraram de Gabrielle Coco Chanel os direitos sobre o perfume fundando Parfums Chanel.
Naturalmente Beaux foi convidado para o cargo de perfumista chefe.
A manipulação de aldeídos crescia  revolucionando os hábitos da indústria de perfumes.
Procura do que era clássico previsível e duradouro passou para segundo plano privilegiando novidades de mercados.
Creio que nesta década demos o primeiro passo para a  frenética e ansiosa necessidade de lançamentos frequentes no comércio. Em tal velocidade que atualmente se torna impossível acompanhar.


A sociedade perseguia o novo, o desconhecido e daí para o descartável foi um pulo.
Hoje  fragrâncias vem e vão como chuvas de verão. Infelizmente. Perdemos um pouco da magia.
Perfumes inesquecíveis marcaram esta década: -  Après L'Ondée, Habanita, Emeraude, My Sin, Paris, Guerlinade, Shalimar, Nuit de Noel, Arpege, L'Aimant, Moment supreme...
Entretanto Chanel 5 criou  raízes profundas na preferência do público e permanece glorioso até os dias atuais.
O número 1!


Impressão Olfativa 
Doçura equilibrada e elegante. Sensualidade animal contida pelo frescor cítrico. Versatilidade do aroma amadeirado em delicadeza de flores. Suntuosidade de vestidos de gala e suavidade das nuvens de talco. Cheiro de banho, spa de beleza e festa noturna.
Atemporal e moderno. Será sempre um sonho de consumo.

*Lembrei-me agora da vizinha de 4 décadas, quase dafamília, senhorinha não mais no nosso convívio. 
Se foi com o desejo coquete realizado,  pois conseguira novamente um cobiçado Chanel 5, através de uma antiga amiga muito viajante.
Ganhara meses antes um Mademoiselle, da neta afetuosa, e confidenciou-me com resignado sorriso:
- Foi o Chanel errado...


Ficha Técnica
Família Olfativa: Floral aldeídico, 1921
Gênero: Feminino
Perfumista: Ernest Beaux
Designer:Parfums Chanel
Rastro: Intenso
Fixação: Ótima
Pirâmide Olfativa
  • Topo - Aldeídos, neroli, limão siciliano, bergamota , ylan-ylang
  • Coração - Jasmim, íris, raiz de lírio florentino, rosa, lírio do vale, pau-rosa.
  • Base - Vetiver, almíscar, sândalo, patchuli, musgo, âmbar, baunilha, civeta.
Artes Irmãs: Os Livros "O Segredo do Chanel Nº 5 " e " Mademoiselle Chanel e o Cheiro do Amor" - O filme "Coco Antes de Chanel".